Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O Popper que existe no taxista V.

por Samuel de Paiva Pires, em 12.01.10

 

(imagem picada daqui)

 

Às segundas-feiras, tendo aulas até às 22h, hora a que o 723 para o Desterro já não funciona, acabo por chamar um táxi para me deslocar da faculdade até casa. Hoje, como normalmente, assim fiz. E já há muito tempo que não apanhava um taxista culto e com um português escorreito e correctíssimo. Tão bem falado, que numa única frase traduziu por miúdos o que Popper enunciou como um dos problemas do nosso tempo, o relativismo moral e intelectual. Disse o taxista V. que o problema da democracia é que "qualquer "bonzo" com um mínimo de carisma consegue ter milhares de seguidores, mesmo que só diga merda". Pois é.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:15


7 comentários

Imagem de perfil

De manuel gouveia a 12.01.2010 às 10:37

Mas o povo é feliz...
Sem imagem de perfil

De Gi a 12.01.2010 às 16:11

Ele disse "bonzo", a sério?
Já me tinham dito (http://valkirio.blogspot.com/2009/03/forca-que-o-destino-tem.html) que havia um motorista de táxi muito especial em Lisboa. Será o mesmo?
Eu já raramente levo o carro para Lisboa :-)
Imagem de perfil

De Samuel de Paiva Pires a 13.01.2010 às 00:43

Disse pois, Gi, ipsis verbis. Não sei se será o mesmo. De facto falou-me em algumas personalidades públicas que costuma transportar. No fim deu-me o cartão para que eu passe a chamá-lo quando preciso.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 13.01.2010 às 01:11

Com o desemprego de pessoas mais qualificadas academicamente a apresentar níveis tão elevados, passará a ser comum entrar num táxi e ouvir dos motoristas opiniões fundamentadas sobre história económica e social, política externa, dissertações sobre entomologia, ciência política, demografia, biologia, e tantas outras...
Ou, tão simplesmente, há mais pessoas interessantes, interessadas e com opinião formada.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 13.01.2010 às 01:13

Com o desemprego de pessoas mais qualificadas academicamente a apresentar níveis tão elevados, passará a ser comum entrar num táxi e ouvir dos motoristas opiniões fundamentadas sobre história económica e social, política externa, dissertações sobre entomologia, ciência política, demografia, biologia, e tantas outras...
Ou, tão simplesmente, há mais pessoas interessantes, interessadas e com opinião formada.

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas