Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Uma minhota com hábitos ingleses.

por Cristina Ribeiro, em 18.01.10

 

Quando escrevia o post sobre os serões sem luz eléctrica na casa dos avós maternos, lembrei-me muito da minha avó, que conheci bem, pois que tinha vinte anos quando ela morreu, tendo sobrevivido ao meu avô muitos anos. Entre outras coisas lembrei o seu gosto por chá bem preto, apenas com uma gotinha de leite, coisa estranha para toda a gente.

Mas não se esgotava nesse gostar a " veia " inglesa- era uma mulher rigorosa nos horários.

E dei comigo a interrogar-me se terei herdado dela este fascínio por Inglaterra, e  esta pontualidade, que me faz quase  estrangeira entre os meus.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:28


11 comentários

Imagem de perfil

De José António Abreu a 18.01.2010 às 11:02

Talvez, Cristina. Entre os mistérios da genética e da empatia, muitas são as possibilidades. Mas eu, que não tive qualquer avó com tendência para misturar leite no chá (acto até muito estranho para os hábitos da minha família), também aprecio os britânicos (o humor, talvez) e também detesto atrasar-me, motivo por que sou especialista em estar à espera.
Imagem de perfil

De António de Almeida a 18.01.2010 às 12:12

Nada tenho a ver com os britânicos, mas sou pontual. Dizem os que lidam comigo que tenho um apurado sentido de humor, não gosto de me julgar a mim próprio.
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 18.01.2010 às 19:02

Duas características que lhe ficam muito bem, António.
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 18.01.2010 às 19:00

Pelo menos gosto de pensar que sim, JAA: seria mais uma ligação a uma velhinha de quem muito gostei.

Eu aprecio o humor, as paisagens, a pronúncia - tudo:)
Não gosto de fazer esperar e fico danada quando me fazem esperar: considero uma falta de respeito ( claro que entendo certos atrasos )
Sem imagem de perfil

De Luísa a 18.01.2010 às 13:54

A pontualidade não é só apanágio dos ingleses, Cristina, embora seja virtude menos comum neste nosso cantinho europeu. Já o chá com leite, só mesmo os ingleses. Embora seja grande consumidora de chás, de todos os tipos, preto, encarnado, branco, verde, não suporto a «nuvenzinha de leite» tão ao gosto britânico. Só a experimentei uma vez – por acaso, numa simpática casa de chá em Brighton – e não sei como consegui reter a mistela no meu indignado aparelho digestivo. ;-D
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.01.2010 às 15:58

Ahahahah

Sem querer intrometer-me ou ser pretensiosa....

Olhem...não esqueçam que o chá foi introduzido por uma princesa nossa em Inglaterra que casou com o rei...não me lembro do nome ...O Direito tornou-me burra.

Quanto à Cristina...sempre essa sensibilidade, que me impede de ser «traquinas».
Eu não sei das suas crenças Cristina, mas eu acredito, por experiências que já tive e outras que conheci, que Platão não era nada parvo...aquela história das ideias inatas, da reencarnação não eram, nem são tolas...simplesmente trazemos para cada uma das nossas vidas os nossos «peluches» que nos aconchegam... numa nova vida.

Porque o caminho é sempre em frente, e só nos lembramos conscientemente do que está para tras, quando no-lo permitem...caso contrario...fica sempre o apego e aquela ideia « Mas já estive aqui...não sei porque tenho tanta afinidade com os ingleses...».

Naturalmente, que estes são temas muito polémicos...bem na verdade para aqueles que já passaram por experiências, são apenas coisas normais...que se saldam assim: Ok, já percebi...

Agora a Cristina vai achar-me estranha....

Samuel, diga à Cristina que sou simpática...
Beijinhos
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 18.01.2010 às 19:22

Uma sensação muito frequente, Educadinha...
E não é necessário o Samuel dizer-mo :)
Beijinhos
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 18.01.2010 às 19:13

A minha avó gostava muito, Luísa, e fazia disso um ritual com todos os quês, mas confesso que nunca me atraiu.
Claro que a pontualidade não é exclusivo inglês - os alemães e os suíços, por ex. também a chamam sua, mas está tão arraigada naquele povo que todos falamos na " pontualidade britânica " :)
Imagem de perfil

De Daniel João Santos a 18.01.2010 às 21:26

Pontualidade é a palavra chave, habito pouco comum entre os portugueses.

Adoptamos tantas coisas estrangeira, mas raramente as que interessam.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.01.2010 às 19:49

"E dei comigo a interrogar-me se terei herdado dela este fascínio por Inglaterra, e esta pontualidade, que me faz quase estrangeira entre os meus."

Não faz de si quase uma estrangeira.
Faz de si é uma pessoa de raras qualidades.
(não só o exposto, chá incluído)

JMB
Sem imagem de perfil

De André a 23.01.2010 às 14:33

Cara Cristina,

Nao creia que a pontualidade é apenas britânica, é comum a todos os países que se industrializaram cedo, por força das máquinas. Portugal é que tem um problema endógeno de Sol a mais e pouco carinho ao relógio. Igualmente, nunca fomos mestres nas artes da precisao, pelo que mantemos um fuso horário de 5 minutos com o resto do Mundo. Somos mais flexíveis que a maioria dos povos e isso reflecte-se também nos nossos comportamentos.

Agora, pessoalmente sou pontual, gosto de sê-lo, nao gosto de esperar, sou impaciente e irrita-me que as pessoas sejam incapazes de cumprir horários minimamente. Ainda assim, e falando por experiência, há-os bem piores que nós: espanhóis, italianos, etc.

Quanto ao chá, bem, a tradiçao do chá das cinco é portuguesa (no RU nem se chama chá das cinco!), que se perdeu entre nós, e que eles souberam conservar. O leite adicionado ao chá é uma tradiçao indiana e paquistanesa e nao britânica que eles acabaram de copiar.

Também gosto de chá com leite e sou do mais português que se pode ser. Já agora um segredo: o chá verde é o único que nao se deve ferver a água e isso os ingleses nao o sabem...

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Em destaque

  •  
  • Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas