Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Haiti: onde está a solidariedade marxista?

por Nuno Castelo-Branco, em 24.01.10

 

Uma questão interessante e sem resposta. As imagens que nos chegam pela televisão, mostram aviões de origem ocidental que desembarcam equipas de auxílio e busca, médicos, enfermeiros, segurança. Outros cargueiros civis e militares desembarcam no aeroporto de Port-au-Prince, bens de primeira necessidade. Americanos, ingleses, alemães, gregos, italianos, israelitas, brasileiros, espanhóis, portugueses. Não vislumbramos uma única bandeira venezuelana, iraniana, saudita, dos emiratos ou de países africanos. Uma honrosa excepção, consistiu na pronta resposta médica cubana.

 

O mundo dos "súbditos do imperialismo norte-americano", parecem ser os únicos presentes ao serviço e nota-se, sente-se, o total desinteresse e silêncio dos habituais palradores do internacionalismo de fachada. De Portugal e dos manifestantes anti-USA, nada. Nem uma recolha de fundos, nem baladas solidárias de trovadores de outras décadas, ou um discurso lacrimoso de Louçã. Nada. Pelo contrário, quem mais se tem esforçado é a igreja católica e as organizações com ela relacionadas, assim como a muito meritória AMI. Já estamos à espera dos comentários jocosos aqui ou ali, falando da perversa caridade e apontando-a como suprema hipocrisia. Os haitianos decerto dariam a resposta devida, se pudessem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:55


9 comentários

Sem imagem de perfil

De Daniel Oliveira a 24.01.2010 às 22:32

Extraordinário, que os haitianos dariam a resposta devida a uma coisa que o senhor imagina que será dita mas não foi. Ou seja, o comentário e a resposta acontecem todos na sua cabeça. E já o sinto indignado com um comentário que não foi feito. Deve ser uma experiência extraordinária viver em polémicas que nós próprios inventamos.

O presidente da AMI está entre os habituais "palradores do internacionalismo de fachada" e "manifestantes anti-USA". Pelo entre o que eu imagino que o senhor ache que isso é. Como resolve isso?
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 24.01.2010 às 22:56

Não, não acontecem na minha cabeça, não se preocupe. Por experiência própria, conheço bem esse meio e o silêncio neste caso, é bem sintomático.
Quanto ao presidente da AMI é um dos nossos bem conhecidos correligionários, ou pelo menos assim surge publicamente. Pesquise na net e poderá surpreender-se.

Aconselharia o Daniel Oliveira a passar uma vista de olhos na blogosfera e então, conclua acerca da minha "imaginação". Ou então, faça melhor: telefone para a sua sede e solicite a marcação urgente de um movimento solidário - com marchas, recolhas de fundos e cantorias -, nem que seja apenas para a hora do telejornal. Fica-lhes bem.

Nota: não perfilho de qualquer obediência religiosa, mas tal não me impede de ver a diferença.
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 25.01.2010 às 10:45

Caro daniel Oliveira, quanto ao presidente da AMI, aconselho uma visita a este site:

http://www.realistas.org/modules/news/

Avise na sede do BE, onde também andam alguns correligionários "cá da casa".
Imagem de perfil

De João Mattos e Silva a 24.01.2010 às 23:29

A única coisa que o grande timoneiro bolivariano da Venezuela fez, em apoio ao martirizado Haiti, seu vizinho americano,foi insurgir-se com os EUA por terem mandado auxílio e tropas para impedir os saques e o caos que se iniciava. Ajuda, nem vê-la.
é assim a solidariedade marxista de que fala o post. Por cá nem se fala da esquerda solidária com os povos oprimidos desde que sejam também governados à esquerda. Se fosse no tempo do Aristide, talvez o folclore habitual do BE e do PCP se fizesse notar.
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 24.01.2010 às 23:35

O Aristide também era "de esquerda"? Nunca dei por isso, mas que dele se falava, é um facto.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.01.2010 às 02:18

A solidariedade marxista...está nos livros e por lá tem ficado...cheira a mofo que tresanda....
Sem imagem de perfil

De André a 25.01.2010 às 14:51

A Esquerda parece que tem andado a converter-se ao capitalismo humano (não ao económico como propomos desde conservadores a liberais). Tu dás-me uma batata, eu dou-te uma cenoura. Só ajudamos gente vermelha! Uma prova de que a ideologia conta na relação da Esquerda com os demais e principalmente se são um povo altamente religioso como o haitiano.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.01.2010 às 22:18

São curiosos os que se insurgem contra os estado - unidenses. Por um lado policiam, e até que o fazem, são então condenados por isso. Por outro lado, ajudam, estão presentes, e são as barrigas das mães americanas ou daquelas que não sendo americanas, pariram filhos americanos, sempre na eminência de serem chamados a lutar, a dar o corpo, para defender o equilibrio. Naturalmente que os pulhas como Chavez e outros da mesma seita, não gostam, afinal quem gosta de obstáculos no caminho?
Mas há sempre uns portuguesinhos de reposteiro, nti americanos, sorvedores de cocal - cola e calçinhas de ganga, e outros produtos «uncle sam» que gostam de se insurgir, ctiticar...mas vê-los a chegar-se e dar o corpo, não...quedam-se no cinismo e na grande dor de cotvelo que pura e simplesmente têm dos americanos.
Vivam primeiro nos EUA e depois falem. Solidariedades de mercearia avulsa, dispensam-se. Cheguem-se à frente, dêm o vosso dinheiro e ajudem quem precisa...em vez de votarem em energúmenos que compram submarinos rotos, cretinos que simpatizam com ditadores, bloquistas armados em raça superior e outros merdas da mesma seita parlamentar, peritos em subornos e cursos tirados à distância.
Varra-se essa escumalha, enterre-se e ponha-se-lhe sal em cima...por causa dos maus espiritos..

Sem imagem de perfil

De julio cesar a 14.09.2015 às 21:25

comunismo=fascismo=nazismo=racismo
comunismo=fascismo=nazismo=racismo

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas