Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Mais uma grande contribuição para a democracia e liberdade

por Samuel de Paiva Pires, em 14.03.10

Foi aprovada no Congresso laranja uma proposta que considera que "Será infracção grave, especialmente quando a mesma se consubstanciar na oposição às directrizes do partido no período de 60 dias anterior à realização de actos eleitorais nos quais o PSD apresenta ou apoia candidaturas”.

 

Visto que não conseguem resolver crises e atritos internos pela discussão, fazem-no à força, condicionando a liberdade de expressão dos militantes. Está certo. Ainda gostava de saber onde anda a minha ficha de inscrição que foi chumbada (e ainda bem, porque só esta proposta seria mais que suficiente para me levar a desfiliar), mas é sempre bom lembrar um certo episódio que se passou comigo. A falta de capacidade para suportar a crítica e a liberdade de expressão continua a impor-se, infelizmente. Já Ostrogorski havia observado, no século XIX, como se comportam os partidos políticos. Não mudaram nada.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:44


9 comentários

Imagem de perfil

De P.F. a 14.03.2010 às 16:24

Samuel

Temos de admitir a partilha de aprendizagem e de experiências, muito construtiva!, entre os partidos da democracia cá do Rectângulo. Por exemplo, nesta medida, o PSD aprendeu uma coisas com o PCP e afiliados. Há que aprender coisas edificantes uns com os outros. Faz parte do espírito de Abril!
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 14.03.2010 às 18:20

Tudo isto consiste num enorme mal entendido:
1. Um partido social-democrata que nunca o foi.
2. Um partido que se colocou contra o regime da 2ª república logo a seguir ao 25 de Abril. Isto não impediu o sr. Sá Carneiro de enviar gente aos quatro cantos do país, afiliando à pressa todos os locais da antiga ANP. Quando 3 meses depois Freitas tentou o mesmo, lá lhe responderam: que pena, já nos comprometemos com o dr. Carneiro...
3. Sem princípios, sem programa e sempre dependente do poder e do dinheiro disponível para os eu exercício.
4. Gente que por nada mais se interessa - com uma ou duas excepções - senão pelos negócios, festas e em "aparecer". Não conseguem firmar-se fora desses círculos.
5. Enfim, nem de esquerda, nem de direita, mas muito convenientemente, de gestão "daquilo que há e dá".
6. Resume-se a uma só pessoa: Cavaco Silva. É pouco, quase nada.

Ainda têm ilusões?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.03.2010 às 20:01

Então e aqueles que não são de direita, nem de esquerda, nem do centro ...que alegadamente são da ...frente política?

De certeza que o partido se reduz a Cavaco Silva....hum...e quem manda nele?

Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 15.03.2010 às 09:49

Ele. Ou duvida da sua participação nos bastidores?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.03.2010 às 02:18

Caro Nuno...eu sei...jeune homme, eu sei...

Mas a Dona Cavaca há-de ter uma palavra a dizer..não é?

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.03.2010 às 19:07

Jovem Doutor,

Olá! Então o meu bom «filho adoptivo» não se recorda a propósito de «infracções partidárias», umas quantas impressões que troquei consigo....

Que se deve fazer nesses casos? Objectiva e friamente mas com paixão, sempre com paixão, «acertamos as porcas e os parafusos» in loco.

Adoro palavras. Têm uma importância mais do que crucial na expressão do que nos vai na alma. Foi assim que conheci algumas das figuras do Estado Sentido...bem sei que o Nuno não se lembra...( ele tem de me convencer a ser monárquica, porque ele escreve com tanta paixão o que diz, que é impossível não ler o que aquele autor escreve...bem na verdade todo o ES escreve muito bem e sentidamente.)

Mas sabe Samuel,
Sejamos como o Pe. António Vieira...quer dizer...nunca serei como ele..bem sei... mas pratiquemos aquilo que pregamos... E eu fiz isso. Deu-me um gozo, jovem doutor.
Sabe que há novidades nesse campo? Fiquei com fama de buiça...e o «pum pum deu resultado». Por uma democracia transparente, mas sem entrarem na minha cabeça e bolso, que nesses campos, sou o mais ditadora possível....

Imagem de perfil

De Samuel de Paiva Pires a 14.03.2010 às 19:11

O pior são mesmo aqueles falsos moralistas que fazem tudo menos aquilo que pregam...disso está o país cheio!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.03.2010 às 19:57

Samuel,

«Para além de mim», nunca tinha convivido com uma figura ditadora ....se lhe pusesse o bigodinho, acho que teríamos um projecto «de coisa brincalhona»...

Mas sim...há por aí umas coisas a fazerem «ensaios» de política.
Adoro o oneco do charuto...estou concentrada....

Imagem de perfil

De António de Almeida a 15.03.2010 às 14:36

Temos de admitir que existe aqui uma evolução, falaram em suspender a Democracia por seis meses, afinal serão apenas dois...

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Em destaque

  •  
  • Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas