Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




República de Abril ou o Centenário descarado

por Nuno Castelo-Branco, em 04.04.10

Andam mesmo desesperados. 31 de Janeiro às moscas e com uns "gatunos prá prisão!", mas com correspondentes pândegas gastronómicas repletas de convivas à conta do orçamento. O vergonhoso silêncio oficial pela passagem do Centenário de Herculano. As terríveis maçadas da guerrilha inter-partidária e dos quid pro quo da eleição presidencial e tricas, desagrados e amuos de Belém pela conclusão do Congresso do seu partido. A inoportuna visita do Papa e o correspondente "comício" multitudinário que se calcula. Escândalos sobre escândalos e a um ritmo mais alucinante que o Deliverance. Bandeiras que não param - e não vão parar - de subir aos mastros de todo o país.

 

Os safardanas esmifradores do erário público, agora deitam a mão a qualquer coisa que seja passível de fazer encher uma sala de espectáculos. Assim e para os nostálgicos dos tempos das "companheiras para todo o serviço", pescam umas relíquias dos tempos da queima de soutiens no Rossio e para compensar, fazem arregalar a vista com apresentadoras -"estilo Cinha"- de danças de salão da RTP. No fundo, é a mesma coisa. Tudo servido com músicas de outros tempos - a Maria do Amparo com a sua "Força Força Camarada Vasco, Nós Seremos a Muralha d'Aço"-, numa apetitosa entremeada com o "Deixa-me Sonhar, Só Mais uma Vez" da Rita Guerra. Bravo...

 

Quando do período revolucionário pós-25 de Abril, os militares foram avisando os mais incautos saudosistas do reviralho, que ..."as Forças Armadas não querem o regresso aos desastres da 1ª República", aliás por elas deposta sem o disparar de um único tiro. Pior ainda, os "grandes vultos de 1910-26" eram mimoseados com epítetos que iam do burguês explorador ao terratenente latifundiário, banqueiro e usurário da Baixa lisboeta, rachas-sindicalistas, etc. Nada que não fosse verdade.

 

Agora chega mais esta prova cabal de desonestidade, falta de vergonha e mau serviço público. Para cúmulo, em homenagem à mulher a quem a 1ª República remetia para o arear de panelas, lavagem de fraldas e pouco mais. Que lata!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:08







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas