Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Liberdade? Claro que deve ser motivo de festejos.

por Cristina Ribeiro, em 25.04.10

Como dizia há tempos o Pedro, sem ela " ninguém foi, é, ou será feliz ".

Mas, e isto tem toda a aparência de contra-senso, é um festejo carregado de silêncio e muita desilusão. Primeiro pelo modo como desde 1974 os políticos a geriram e geriram o país, até chegarmos ao estado em que hoje nos encontramos.

Depois pelo modo como esses políticos deixaram que os portugueses pensassem que a liberdade não subentendia a autoridade - e assim fomos escorregando até ao estado de libertinagem.

Oxalá, algum dia, um Português surja com os argumentos bastantes para festejarmos ruidosamente a liberdade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:59


12 comentários

Imagem de perfil

De P.F. a 25.04.2010 às 15:58

Cristina

Não acredito que possa existir Liberdade, digna desse nome, sem autoridade, também digna desse nome. Essa autoridade, deveria ter fundametação constitucional para proteger; a vida humana, a propriedade, a liberdade de expressão e de associação.
BAsta ter o olhos um pouquinho abertos para constatar o contrário.
Não quero discutir aqui os fundamentos ideológicos da Revolução, mas pelo que aconteceu pouco tepo depois, seu objectivos nada tinham que ver com isto - expropriações, prisões, saneamentos... isto para não falar de outras maravilhas.
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 25.04.2010 às 21:16

Um bluff, pelo qual estamos a pagar, e continuaremos, e continuarão os vindouros, se continuarmos pela mesma senda.
Imagem de perfil

De Luísa Correia a 25.04.2010 às 18:20

Pois é, Cristina. Penso que ganhámos alguma coisa no plano da «liberdade política» e da «igualdade» (no sentido de massificação). Mas não ganhámos nada no plano ético e perdemos muito no económico. Não sei fazer um balanço com tais dados. Só sei que, neste momento, não me apetece nada sorrir.
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 25.04.2010 às 21:32

Luísa, eu acho que perdemos em toda a linha: a liberdade, as liberdades, estavam para chegar, pelo que tenho lido. Ninguém é eterno num cargo, e as mudanças viriam, mais sólidas, com outros alicerces, como aconteceu depois na Alemanha, onde o caso era muito mais bicudo. Ainda há tempos o Nuno ( não o Castelo Branco ) mostrou um relatório referente ao fim dos anos 60, inícios dos anos 70, muitíssimo elucidativo- feito de factos contra os quais não se pode argumentar).
Imagem de perfil

De Luísa Correia a 26.04.2010 às 16:46

Nesse ponto, Cristina, dou-lhe toda a razão: as coisas acabariam por mudar, com «revolução» ou sem ela. :-)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.04.2010 às 20:57

Desculpai! Que se festeja no dia 25 de Abril?

Eu não percebo, e garanto-vos que há muito tempo anda a tentar perceber. Ora vede! Rolhas, fechos, freeport, casa pia, PGR, censura, tratado de Lisboa, Portugal é com a Grécia o Estado membro mais atrasado da Europa, as verdades são escamoteadas ao Povo Português, a Comunicação Social ao serviço de interesses obscuros, entrega de terras a comunistas, regime de auto - gestão, saneamentos, pobreza social, partidos politicos que ganham euros por cada voto que alcançam ....

Eu não sei o que se comemora no 25 de Abril, mas acho que é uma espécie de dia de finados...deviamos estar de luto e não misturar uma flor tão bonita como é o cravo com tanta pulhitiquice nojenta como aquela a que assisto ...justamente aqueles que nos escamoteiam as verdades, são os primeiros a receber honras de anfitriães do festejo daquilo que eles neham - a liberdade.
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 25.04.2010 às 21:38

É mais ou menos o que digo no post.
A liberdade deveria, sim, ser festejada, caso a não tivessem desvirtuado.
Imagem de perfil

De Daniel João Santos a 25.04.2010 às 21:33

o problema é que para muitos a liberdade é tão banal que nem lhe dão valor.
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 25.04.2010 às 21:42

Porque o exemplo tem de vir sempre de cima, Daniel, e com os governantes que nos têm saído na rifa as coisas tornaram-se num " tudo ao molhe, e fé em Deus "
Sem imagem de perfil

De Gastao de Brito e Silva a 26.04.2010 às 11:03

Não confundir liberdade com libertinagem seria o primeiro passo para entrar na Europa civilizada...

Dizem que o Salazar deixou Portugal com um atraso de 30 anos, dizem os economistas que temos agora um atraso de 50 anos...

Contas bem feitas, não lucrámos nada com o 25 de Abril...pelo menos no plano económico e social...

Um bem haja a todos e viva a LIBERDADE...
Imagem de perfil

De António de Almeida a 26.04.2010 às 17:41

Desde 1974 que o país se encontra mal dirigido? Não será desde o século XIX? No mínimo...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.04.2010 às 22:30

Portugal precisa de provas de recuperação ....medidas correctivas por excesso de faltas...

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Em destaque

  •  
  • Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas