Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Revolução em Bangkok: a Siamesa Voadora!

por Nuno Castelo-Branco, em 20.05.10

Da noite para o dia, a fama da Siamesa Voadora

 

Nas revoluções ou ameaços disso, existem sempre umas figuras que no rescaldo dos momentos turbulentos, acabam por se tornar nos ícones do momento. Umas mais conhecidas, podem chamar-se Rosa Luxemburgo, Pasionaria, Ana Pauker ou Krupskaya, para sempre ficando no historial proletário de primeira fila. No entanto, este caso é bem diferente.

 

Fui hoje avisado de que esta senhora de provecta (?) idade, se tornou da noite dos incêndios para o dia da faxina, numa superstar. As televisões tailandesas foram alertadas para a sua omnipresença na BBC, CNN, Aljazeera, Sky News, Euronews, NBC, ABC e até, pasmem!, na tortelinesca RAI. Os canais nacionais decidiram-se por um visionar das reportagens que ao longo destes últimos dois anos se foram sucedendo no país. A ascensão dos "vermelhos" - cujo núcleo duro era mesmo vermelho e ao gosto do corte de bigode à Estaline -, foi acompanhada por marchas, comícios, manifestações de protesto ou de repúdio fosse pelo que fosse. Na tradição dos levantamentos "nacionais, proletários, populares e patrióticos das camadas escravizadas pela oligarquia terratenente em revolta imposta pelas contradições de classe" - lembram-se da conversa do PREC? -, havia que mobilizar gente de "forma espontânea". Agora conhece-se a verdade deste súbito ímpeto.

 

Esta quinta-feira, foi com gáudio que o país tomou conhecimento daquela que agora é chamada de "Siamesa Voadora", dada o suspeitado dom da ubiquidade de que parece beneficiar. Se a CNN lhe atribuiu noventa e cinco anos de idade - quase podia ter andado ao colo do nosso Afonso Costinha -, a BBC dava-lhe um desconto de vinte aninhos, carimbando-lhe o B.I. com setenta e cinco primaveras de monção. Logo a seguir, a péssima France24 dramatizava a coisa, pois especialista como deve ser em cremes de beleza, fillers de rugas, lévres contours, rimmel e outras coisas imprescindíveis à saúde pública, aumentou-lhe a idade para um escalão intermédio, fixando-a em oitenta e cinco anos, mesmo a tempo de assistir aos acontecimentos nipónicos na China pré-maoísta. Vasculhando as peças de reportagem e imagens repescadas nos jornais de referência da Europa e dos EUA, a "Siamesa Voadora" está em quase todos os comícios. Quase todos e mais alguns, se possível.

 

A risota foi geral e em todos os canais da televisão tailandesa. Num dia 23 de Abril, marcava presença na "sua" terra natal, Chiang Mai. A 24, já estava na outra terra natal, Phuket - uns mil e tal quilómetros mais a sul e como "mãe de uma família de pescadores desenredados" -, para a 25 participar num encontro com comes, bebes e futebol de elefantes, em Surin, mais uma localidade onde previsivelmente terá nascido. Ficou famosa, até em Krabi! É hoje de manhã uma habitante de Nong Kai, para logo ao fim da tarde já estar sentada na sua esteira de "camponesa semi-feudalizada" em Aiutáia. Surathani, Songhkla, Hat-Yai, Nakhon si Tamarat, Nakhon Ratchasima, ko Samui e até Chiang Rai, são outras manjedouras onde esta senhora terá visto a luz do dia. Não se admirem se depois de amanhã a surpreenderem a passear-se com "as massas operárias em rebelião contra a exploração capitalista de recorte oitocentista", admirando as largas avenidas de Bangkok, os Chedis dos templos à beira do Chao Phraya, ou a comer um som-tam num restaurantezinho de Pratunam. Ela vai, está em todas e anda há dois anos nesta roda-viva. Que fona! Pudera...

 

As más línguas já começaram a fazer insinuações com as habituais perfídias próprias da "burguesia exploradora, em aliança estratégica com as elites palatinas e possidentes". Imaginem que no meio de sonoras gargalhadas, os locutores vão comparando as datas das fotos e das reportagens televisionadas no "Ocidente bem-informado", concluindo que a cavalheira - decerto uma "ceifeira dos mais amplos campos de trigo (!) calcinados pelo Sol do nordeste do Issan" - deve andar muito de comboio e de autocarro, para cima e para baixo e de oeste para leste. Esta digníssima filha "de um povo oprimido que prefere morrer de pé e em luta pelos mais nobres ideais da humanidade humilhada pelas grilhetas impostas por milénios de escravidão", farta-se de flanar, quiçá a expensas de um outro "filho do povo esmagado, amigo dos seus amigos, homem são, bom pai de todos, Grande Pensador do porvir radioso das massas nacionais, populares, democráticas e patrióticas, sequiosas de justiça", ou seja, o pobrezinho - outra vítima - Thaksin Shinawatra.

 

Se qualquer um dos canais da televisão portuguesa - sempre tão presentes em reportagens de inaugurações de tascas chiques à la saison- quisesse brilhar entre os conglomerados internacionais da informação, bem podia descobrir a "Siamesa Voadora", transportando-a para Lisboa e fazendo render o peixe em futuras campanhas eleitorais. Pouco importará se a virmos um dia sentada no Altis, celebrando a vitória PS numas autárquicas. Natural de Carregueiras de Cima, não poderá falar, porque está afónica de tanto saudar o sucesso dos seus libertadores correligionários. No dia seguinte, talvez a possam enviar como encarte ao Pontal, festivamente celebrando a liderança PSD. Num plano mais consentâneo com o politicamente correcto, vê-la-emos num pequeno grupo à porta da sua casa em Rio de Mouro, enquadrando um sr. Louçã indignado pela ..."esbulhadora política de rendas sociais do governo a soldo dos GRAAAAANDES interesses banqueiros oligárquicos".

 

Este verdadeiro escudo humano*, uma vítima** paga pela política caciquista, transformou-se sem que nisso jamais tivesse pensado, numa Bunny thaksinista, quase numa Playmate do "movimento internacionalista".

 

Sob o céu plúmbeo da monção que agora começa, ressoa uma ribombante trovoada de risos em Bangkok. É o chamado "tai satai" - pronúncia local -, ou seja, o Thai style. Sanuk-sanuk, sabai-sabai e ainda melhor, same-same but... different!

 

* Não participou nos saques nem nas acções incendiárias. Continuou sentada na sua esteira, comendo um apetitoso kao-pad kai. É uma inocente.

** Não foi apenas alvo do interesse da CNN, BBC, Euronews, France24, etc. Até o Miguel a fotografou. A imagem foi tirada do COMBUSTÕES.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:35


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.05.2010 às 00:09

emplastro tailandês!
aparece em

http://forcanamaionese.blogspot.com/
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 21.05.2010 às 07:47

Exacto, é uma espécie de emplastro.

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Em destaque

  •  
  • Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas