Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Chego a casa cansada do trabalho,

por Cristina Ribeiro, em 25.05.10

e leio este artigo. Reforça a ideia, que já tinha, de que a felicidade se vem tornando cada vez mais inalcançável, ou pelo menos mais trabalhosa, coisa  de que me fui convencendo gradualmente, ao ouvir os relatos dos tempos mais sãos, simples e solidários vividos na juventude dos meus pais.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:53


4 comentários

Sem imagem de perfil

De mike a 25.05.2010 às 23:14

Eu cá acho que a felicidade vai-se alcançando. Assim a modos como um caminho, não um fim. Mas sim, concordo consigo sobre os tempos vividos pelos nossos pais. E sabe uma coisa? até os meus pais concordam consigo, Cristina.
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 26.05.2010 às 00:00

Vai-se alcançando, Mike, claro, e é acima de tudo um processo interior. Mas se o que nos rodeia é feio, ela torna-se mais arredia...
Imagem de perfil

De António de Almeida a 26.05.2010 às 10:56

A felicidade é sempre inatingível, porque depende desde logo do patamar em que colocamos os nossos objectivos, quantas pessoas que consideramos terem tudo para serem felizes, segundo os nossos padrões obviamente, não se sentirão infelizes? Porque têm padrões diferentes, objectivos diferentes. Conseguimos sim, os que conseguem, viver momentos de intensa felicidade, há que aproveitar ao máximo...
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 26.05.2010 às 14:20

Achei esse estudo curioso. Na verdade, e dou-lhe razão António, nunca ouvi ninguém falar em felicidade como um estado permanente: se o monge o é, é um dos escolhidos por Deus. Entre os " simples mortais ", realmente viver momentos felizes já é "quase" a felicidade.
Mas muito dela vai depender do nosso grau de exigência, e é aí que contraponho a simplicidade à complexidade actual ( que felizmente não é ainda a regra ).

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas