Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




our man in Moscow- Carlos Santos

por Manuel Pinto de Rezende, em 13.06.10

Das acusações que alguns dos seus ex-arqui-inimigos e novos arqui-inimigos lhe lançam, os comentários chico-espertinhos "invejam" sempre a disponibilidade de Carlos Santos para as "pesquisas académicas" que o Carlos Santos faz nos arquivos dos antigos blogues nacionais.

Muito pessoal da direita e da esquerda é demasiado cool para ler arquivos, ou sequer para se importar com aquilo que escreveu no passado. O Carlos Santos não pensa assim.

Penso que o que Carlos viu no Simplex e no contacto com aquela gente proporcionou-lhe uma visão da outra barricada que muitos de nós não terá, alguma vez, oportunidade de usufruir.

Sempre vi a desenvoltura financeira e de outros meios que colegas e conhecidos meus das juventudes esquerdistas gozam, especialmente a JS, como algo extremamente aliciante para as cabeças ainda pouco desenvolvidas dos jovens estudantes.

Nunca observei o mesmo - não na mesma escala - para os que militavam na bancada das direitas.

Ultimamente, e essa observação é radicalmente óbvia na última remessa de estudantes de direito da Faculdade do Porto, a presença do Partido Socialista no ideário estudantil, bem como nas comunidades académicas, bem como nos acontecimentos estudantis da Universidade do Porto, aumentou violentamente. A queda próxima do Partido Socialista nas eleições está sustentada por uma alcateia que já se vem formando, de forma enérgica, nas faculdades, por forma a assegurar o futuro do PS.

Este fenómeno acompanha a queda de valores e a desonestidade (intelectual) que vão pululando por estes lados. O PS tornou-se o partido dos empregos, da prosperidade e do sucesso académico/social. É uma decrescente minoria que a enfrenta, e cada vez mais desiludida e desunida.

É claro que vaticinar um futuro negro para a Direita, neste país, através de uma representação pessoal do que se passa na Universidade do Porto é um salto maior que a perna. Mas virá, na minha opinião, ao encontro do que Carlos Santos experienciou no Simplex: um poder propagandístico enorme, uma habilidade de contra-informação despudorada, uma entrega quase total dos sicofantas do Partido à Causa do Partido.

Não terá a direita, neste presente regime, alguma oportunidade de usufruir dos meios da esquerda para o controlo das Massas.

 

Ainda que nos pareçam exageradas algumas das suas suposições ou investigações, Carlos Santos continua a ser o blogger da direita portuguesa que melhor conhece a esquerda. E digo blogger de direita por causa da casa onde escreve, e porque não me parece que lhe envergonharia essa designação. Só espero que, no dia em que convidem o Carlos Santos para fazer parte de um SimpleX da direita, ele não seja ingénuo - outra vez.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:03


3 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.06.2010 às 02:39

Pode desenvolver? É que diz que a JS ou o PS têm poder na UP e não é verdade.
FAP. Está lá um JSD a mandar e os vices são igualmente JSD's.
Na AEISEP sempre foi JSD, quem não se lembra do Ivo Santos, que também passou pela FAP?
AEFMDUP.Têm lá um tipo JSD com um bom currículo académico mas politicamente é fraquito.
AEFLUP.A JS e o BE perderam as eleições para os gajos da JSD que estão lá e devem continuar e bem.
AEFEP.o Presidente sim era JS, do Marco de Canaveses e é bom, mas o meio é de direita,nem se percebe porque ganharam.
AEFCUP.Têm lá um tipo ex-JS que devia ser bom demais para lá andar e bazou da jota.
AEFDUP.Têm lá um tipo JS que é muito bom dirigente associativo e se está a cagar para a JS. O resto é tudo JSD's lá mas eles não se chateiam muito e dão-se todos muito bem.
AEFEUP.Um vice é JSD e está presente em tudo da jota, também está na FAP. Mas tem muito JS lá infiltrado em órgãos menores e todos com algum relevo interno na jota mas na AEFEUP são insignificantes
AEFAUP e AEFBAUP. Estes são de extrema esquerda.
Nos privados, nem é preciso falar, apesar de que na Católica aquilo deve andar ela por ela, com JSD's e JS's betos.

O problema destas associações é precisamente porque o centrão controla tudo mas salvem-se as neutras, sempre é melhor que nada.
Imagem de perfil

De Manuel Pinto de Rezende a 14.06.2010 às 11:23

o quadro que o Anónimo pinta não está de acordo com a minha experiência. Eu vejo a predominância de alguns órgãos da JS em algumas dessas organizações académicas, e também vejo nas privadas - que a contrário do que pensa, não são pasto exclusivo dos "betos" e muito menos da Direita.

obviamente não digo nomes nem revelo insitituições, por ser de mau tom e porque há que desconfiar dos contactos com anónimos. Aceito completamente o anonimato, mas isto da identidade escondida tem de ter a contrapartida do preconceito.

No entanto, o objectivo do meu texto não era o escrutínio das associações de estudantes, mas antes o ambiente partidário dos mais jovens.

PS: se me quiser contactar por email: manuelmarques.rezende@gmail.com
Sem imagem de perfil

De Dirigente Associativo do Porto a 28.07.2010 às 09:21

Seria bom identificar-se ou pelo menos dizer a verdade. No mínimo.

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Em destaque

  •  
  • Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas