Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Soares o Salvador da Democracia

por Nuno, em 07.07.10

 

Uma coisa que muitas vezes me tem surpreendido é o tom de veneração e agradecimento com que muitas pessoas referem o papel decisivo que o antigo secretário geral do PS, Mário Soares desempenhou no verão quente de 1975 quando derrotou os planos do PCP de levar para a frente a revolução popular e implantar uma ditadura comunista em Portugal.

Afinal de contas é verdade ou mentira que ao PS cabiam grandes responsabilidades no derrube do Estado Novo?

Nesse caso o que o PS fez foi o mínimo a que estava obrigado, tendo em conta as tantas e tantas promessas feitas ao povo português, e as múltiplas conspirações em que participou para derrubar a ditadura de Salazar e Marcelo Caetano.

Derrubar uma ditadura para permitir em seguida uma bem pior é de facto de uma estupidez injustificável.

Mário Soares não prestou portanto nenhum grande “favor” ao país, antes cumpriu a sua obrigação. Na verdade acabou por defender também o seu grande interesse em abrir o aparelho do Estado e o governo aos partidos políticos e a ele próprio (claro está).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:13


3 comentários

Imagem de perfil

De P.F. a 07.07.2010 às 20:00

Não é assim tão líquido que MS e o o PS tenham sido os causadores directos da derrota das intenções do PCP. É verdade que fizeram oposição efectiva e foram a alternativa de esquerda ao comunismo e mais a Fonte Luminosa e etc. e tal, mas o que de facto impediu a guerra civil e uma possível vitória comunista foi a recusa da URSS ao apelo do PCP em fornecer armas e efectivos militares, pois sabiam que o apoio popular era minoritário. Temos de admitir que foi muito importante do Mondego para cima, mais coisa menos coisa, a população ser de maioria católica e não-esquerdista. Não é querer dividir o país mas sim uma realidade que ainda hoje se nota (ver referendo ao Aborto).
Imagem de perfil

De Nuno a 08.07.2010 às 02:48

Penso o mesmo, a vitória comunista era impossível num país membro da NATO. Igualmente inconcebível seria um apoio directo da URSS ao PCP que implicasse o envio de armas e tropas (como aconteceu em Angola), seria um flagrante Casus Belli . Agora é inegável que Mário Soares conseguiu unir toda a oposição aos comunistas de forma a derrota-los sem grande perda de vidas. Claro que o apoio americano que serviu para ajudar a derrubar o Estado Novo, foi igualmente essencial a Mário Soares em 1975. Agora como disse no Post acho que o dito se limitou a resolver o problema que ajudou a criar com a revolução mal concebida que tivemos de experimentar.
Sem imagem de perfil

De Francisco Brito a 08.07.2010 às 13:59

O problema é que neste país raros são os políticos que cumprem a sua obrigação...
Neste caso concreto a "obrigação" de impedir uma ditadura comunista ou de extrema direita cabia não só a Soares mas a todos os responsáveis partidários que fossem democratas (que, apesar de tudo, ainda eram alguns).

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas