Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Marquês de Sade, O Imaginativo

por Manuel Pinto de Rezende, em 15.07.10

Esteve preso na Bastilha, numa jaula própria para criminosos de sangue nobre, onde permaneceu sem julgamento por força de uma lettre de cachet apresentada pela sua sogra, que se queixou ao Rei de França dos cruéis maus tratos que Sade inflingiu à sua esposa.

Da sua clausura quase luxuosa, Sade lança rotineiramente à população próxima panfletos seus onde prova a sua inocência e a dos seus companheiros de prisão.

O comandante da prisão, cuja guarnição é composta por um corpo de mercenários suíços e invalides - que serão massacrados no dia da Tomada, da prisão, mesmo após terem prometido rendição - implora a Luís XVI que transfira o problemático recluso, ao que o Rei anui, e Sade é colocado em Charenton, uma prisão para criminosos altamente perigosos.

Dez dias depois a Bastilha cai, e Sade, liberto de Charenton, passa a ser conhecido como Cidadão Brutus Sade, secretário da Section des Piques, um grupo miliciano com semelhanças às SS.

 

Sade considerou-se, até ao seu violento fim, como uma das peças fundamentais na Revolução e na condenação à morte do Rei de França.

 

De tarado sexual a preso político, flósofo do Mal medíocre a activo burocrata da Novo Ordo, a vida de Sade é tão interessante e exemplar como um mau conto erótico.

G. Lely, Vie du Marquis de Sade

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:52


5 comentários

Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 15.07.2010 às 11:32

O que não impediu de ter deixado uma obra original, interessante e demonstrativa da natureza humana perene ao longo de centos de gerações. É isso o que resta de Sade, ofuscando ainda qualquer veleidade da actual indústria da "especialidade". Gostei de o ler.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 16.07.2010 às 00:30

D. Rezende,

Não há tarados sexuais. Há sexo. Ok. Concedo que o governo portuguê é um tarado sexual porque nos f..e todos os dias.

Mal medíocre? Mas...o mal nunca é medíocre, porque não há mal bom, nem muito bom...
Mau conto erótico...calma mon garçon...olhe que não deve ser tão mau assim que Sade é conhecido em toda a parte do Mundo e arredores. Uma espécie de Marx...todos o lêem, mas aplicarem...bem já depende de cada um...

Para já, Sade é de grande utilidade: está na origem do estudo e da reflexão de ...muita coisa.
Imagem de perfil

De Manuel Pinto de Rezende a 16.07.2010 às 00:45

esse anjinho no final deixou várias interrogações, e até algum receio :P
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.07.2010 às 02:31

D. Rezende,

E que interrogações são essas?

E que receio é esse?

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 16.07.2010 às 16:36

D. Rezende,

Não percebi o :P...confesso-lhe que não sei o significado....


Bem, o anjinho quer dizer que eu sou mesmo assim...mazinha, mazinha, mazinha, ...mas acho que o Sade é um grande concorrente ao Carl Marx, ao Socrates, Platão, a essa malta toda da sabedoria ...histórico - universal.

Eu diria que nos tempos que correm...ele seria uma espécie de madonna ( a que canta) incompleta..claro

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Em destaque

  •  
  • Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas