Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A guerra "atómica plantada por JMF

por Nuno Castelo-Branco, em 07.08.10


Entre berreiros indiciados por maiúsculas, lendas e narrativas de propaganda de diverso corte, mentirolas de café, preconceitos e maluquices. Ora leiam!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:23


8 comentários

Sem imagem de perfil

De NanBanJin a 07.08.2010 às 17:25

Meu Caro Nuno:

Bem metida, a foto a ilustrar o conteúdo deste breve opúsculo.
E lembremos também os olvidados assaltos a Little Yokohama, em Vancouver (1907) e a 'tal' Conferência de Washington', onde uns se assumiram 'mais dignos' do que outros (1921), só para princípio de conversa. Não justificam a barbárie nipónica em terra alheia, mas conviria não esquecer o que ficara para trás, a pesar sobre as costas de um país sobrepovoado que só pedia para ser respeitado no Mundo.

Há quem ainda não tenha percebido (ou não queira perceber) que 'Little Boy' e 'Fatman' mais não foram que dois 'recados' à U.R.S.S.
O 'resto' eram 'cobaias'...
Mas como dizia o destinatário de ambos os 'recados' — o velho 'Pai dos Povos':
"Uma morte isolada é uma tragédia. Um milhão de mortos é uma estatística."

Cruel, macabro, repugnante.

Um Grande Abraço do Japão,

Luís F. Afonso, NBJ

Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 07.08.2010 às 17:55

Caro Luís, pelo que parece, perdi o meu latim,. Em vão. Continuam a acreditar que o imperador era uma espécie de Fuehrer e que tudo decidia, na sua divina solidão. Estes tipos que nem sabem dizer o nome de duas personalidades japonesas da época, insistem no disparate e na "estória contada". A propaganda rende, porque por regra aceite, é mentirosa, coisa que bastante convém aos bípedes.
Já agora, como residente no Japão, podia perder uns minutos e deixe lá o seu parecer. Não sei se me apetece insistir. É que esta gente, nem com provas ou até, o mais simples raciocínio, chega lá. Burrancas, como diz a minha avó!
Sem imagem de perfil

De Carlos Velasco a 07.08.2010 às 21:00

Caro Nuno,

Li os comentários e isso infelizmente é a regra nos blogues bem conhecidos. O pessoal faz mal em não censurar quem não é honesto intelectualmente.
O tema do post é um assunto em aberto para mim. Ainda terei que ler muito mais para poder ter uma posição sólida nessa questão.
Porém, adianto que a escolha de Nagasaki me parece ter obedecido a critérios inconfessáveis...

Imagem de perfil

De Manuel Pinto de Rezende a 08.08.2010 às 16:27

quando li o post no Blasfémias tive vontade de escrever algo muito parecido.

merecia continuação :)
Sem imagem de perfil

De Maria a 08.08.2010 às 19:29

Fui ler o que o Nuno recomendou no Blasfémias e fez muito bem em recomendar. Raramente leio aquele Blog por falta de tempo, mas valeu a pena. Entre muito disparate, lá vem um ou dois comentários (talvez três ou quatro para ser mais precisa) que justificam plenamente o tempo perdido, melhor, ganho com a leitura dos mesmos. Sobretudo os seus comentários, o primeiro dos quais além de esclarecedor, é simplesmente arrasador relativamente à verdade dos factos. Como já aqui disse anteriormente, os seus escritos são de leitura obrigatória. E são-no não só pelos bastos conhecimentos sobre os temas que aborda mas também pela enorme clareza e inteligência como o faz. Tendo como exemplo o seu primeiro comentário nesse Blog (que merecia por si só um texto de primeira página), como muitos outros magníficos escritos que aqui tenho lido. Por fim mas não menos importante, a maneira digna como engrandece a nossa língua. Tal como o seu irmão, onde também encontro o mesmo respeito pelo português "bem falado e bem escrito" - como diziam os antigos (e bons) professores da nossa língua-pátria.
Sem imagem de perfil

De Maria a 08.08.2010 às 19:36

O comentário anterior é meu, peço desculpa por me ter esquecido de o assinar.
Maria
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 09.08.2010 às 19:14

Obrigado pelas suas palavras, maria. Esteja descansada, porque... assinou! Bjs
Nuno
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 13.08.2010 às 21:27

So...Japs keep moving, and?

Não estou a perceber nada disto. Outra americanice?

Educadinha

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas