Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Bangkok e Maputo em "observação"

por Nuno Castelo-Branco, em 01.09.10

Há uns meses, os distraídos "observadores" a prazo contado, iam pintalgando chamadas de piedosa atenção para o desvario que os radicais vermelhos fizeram desfilar pela capital tailandesa. A contemporização do governo de Abhisit era encarada como fraqueza e os óbvios apoiantes estrangeiros dos "reds", nem sequer deram conta da vontade em evitar a violência por parte das forças da legalidade constitucional e democrática. Pelo contrário, desejaram ardentemente a queda do regime que é uma ilha de liberdade num âmbito geográfico de terríveis ditaduras. O problema era a Monarquia, sugeriam em entrelinhas. Agora, com as ruas de Maputo a transformarem-se num símbolo de revolta contra a opressão oligárquica do partido que é um sinónimo de miséria para 95% da população, os tais "observadores" quedam-se no esperado comprometimento com os algozes. Já sabíamos que assim seria e dentro de poucas horas, já haverá quem apode os revoltados famélicos, de "bandidos a soldo".

 

Esta tarde, na Antena Aberta da RTPN, dizia um moçambicano que a tudo assistia in loco, que ..."este país era auto-suficiente nos tempos coloniais". Uma novidade arcaica de 36 anos, mas que incomoda muita gente, a começar por aquela que se passeia pelos corredores de S. Bento, ONU e UE. Os tais que patrocinam o "observadorismo" cooperante e politicamente correcto.

 

Adenda: o discurso presidencial não mencionou "bandidos a soldo". Por enquanto, ficou-se pelos "ingénuos manipulados". Veremos o que as próximas horas trarão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:59


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Luís a 02.09.2010 às 01:44

Qual seria a alternativa? Uma «Commonwealth», Angola e Moçambique transformados numa espécie de Austrália ou Nova Zelândia, e as restantes ex-colónias com autonomia regional, integradas actualmente na UE juntamente com Portugal? Acha que ainda vamos a tempo de «reconstruir» parte do que foi destruído no 25 de Abril? Portugal com um pé no mundo e outro na Europa, em vez de ser o país provinciano que se ajoelha em Bruxelas?
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 02.09.2010 às 08:53

Sempre achei isso. Antes de 74, era um miúdo e já ouvia isso em casa. Lá, em Lourenço Marques.

Comentar post







Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas