Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Conforme prometido, aqui estou a deixar alguns pontos de vista sobre o acto eleitoral que passou. Porque praticamente tudo já foi dito, vou procurar ser sucinto. Até porque, no final deste post, encontra-se uma iniciativa que decidi lançar, nomeadamente, pela inclusão da opção "Nenhum dos anteriores" nos boletins de voto de futuras eleições. Mas já lá vamos. Assim sendo:

 

1 - Várias foram as vezes em que escrevi e afirmei que iria votar nulo. Assim fiz. E tal fundamenta-se nos seguintes considerandos:

 

i) nenhum dos candidatos merecia o meu voto. Confesso que muito reflecti e cheguei à conclusão que, se fosse pela regra do mal menor, seria forçado a votar Cavaco Silva. Mas, por outro lado, considero o mesmo como um dos principais responsáveis da situação actual que o país vive. Não falo da sua governação, sempre evocada por muitos mas, tão só, da sua falta de coragem para dissolver a Assembleia da República há uns meses, antes de entrar em efeito o constrangimento constitucional que não permite o recurso a essa prerrogativa presidencial nos meses anteriores às eleições;

 

ii) a abstenção, por mais elevada que seja, é uma "caixa" propensa a interpretações abusivas, de que relevam normalmente as que consideram os abstencionistas como preguiçosos que não quiseram sair de casa ou deixar de ir passear para ir votar, e assim permite aos serviçais do regime evitar enfrentar um fenómeno que, em parte, também pode ser entendido como um protesto;

 

iii) a opção do voto em branco é propensa à fraude - já todos ouvimos histórias sobre membros das mesas de voto que, na hora de contar votos, aproveitam para fazer cruzes em alguns boletins;

 

iv) dado que me parece particularmente importante salvaguardar a Democracia, e considerando que esta ainda tem como requisito fundamental a ocorrência de periódicas eleições livres e justas, votar é para mim um direito e um dever do qual não estou disposto a abdicar.

 

2 - Decorrente da alínea i) do ponto anterior, importa salientar que o país está refém de um regime há já vários meses. Esta questão deve motivar sérias reflexões. Algumas sugestões podem passar pela alteração da Constituição e dos constrangimentos acima referidos. Outras, pela drástica diminuição dos prazos que envolvem todo o acto eleitoral. Quando o país enfrenta uma das crises mais graves das últimas décadas, não deixa de ser lamentável que o regime nos tenha enrodilhado numas eleições para um cargo que pouco ou nenhum impacto tem na vida real dos portugueses. E, infelizmente, mais uma vez se comprova o eleitoralismo nefasto de quem ocupa o assento de Belém - ou de outros cargos políticos, diga-se de passagem, como todos sabemos. Cavaco, porque sempre quis recandidatar-se sem grandes riscos para a sua imagem, não teve coragem para dissolver a AR quando podia - terminando o consulado de José Sócrates que nos continua a levar para o abismo - e convocar uma espécie de governo de iniciativa presidencial ou até de salvação nacional, como em tempos sugeri aqui. Feitas as contas, os verdadeiros prejudicados são todos os portugueses. Nisso, Cavaco pode dizer que é o presidente de todos.

 

3 - Considerando os resultados da votação que ontem e hoje vieram a público, o que me parece de assinalar é o elevado nível de abstenção, bem como de votos nulos e brancos. E porque, para evitar que se continue a interpretar a abstenção como um todo, me parece necessário que exista uma opção nos boletins de voto que permita reflectir as opções daqueles que não se revêem em qualquer dos partidos ou candidatos concorrentes, decidi lançar uma Petição pela inclusão da opção «Nenhum dos anteriores» nos boletins de voto de futuras eleições. Comprometo-me, desde já, a levar a mesma à Assembleia da República, caso atinja o número mínimo de peticionários para tal (4000). Pedimos a todos os que concordem que assinem e divulguem a petição, que podem encontrar aqui. Fica o texto da mesma:

 

Exmo. Sr. Presidente da Assembleia da República,


1 - Os signatários e peticionários vêm solicitar a V. Exa. a apreciação, em plenário da Assembleia da República, da presente petição «Pela inclusão da opção "Nenhum dos anteriores" nos boletins de voto de futuras eleições».


2 - Considerando os elevados níveis de abstenção, bem como os votos de protesto manifestados sob a forma de votos brancos e nulos, que têm vindo a marcar de forma inegável os mais variados actos eleitorais, é nossa convicção que se torna necessário criar uma alternativa que possa mais acertadamente reflectir a opção dos que pretendem manifestar o seu voto de protesto.


3 - Por um aperfeiçoamento contínuo da democracia portuguesa, vimos desta forma propor que se inclua nos boletins de voto de futuras eleições a opção "Nenhum dos anteriores".


Pedem e esperam o competente deferimento,


Os signatários

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:36


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.01.2011 às 10:22

Concordo.

deferimento
Imagem de perfil

De Samuel de Paiva Pires a 25.01.2011 às 10:29

Obrigado! Tem toda a razão. O adiantado da hora a que escrevi isto estava a toldar-me o discernimento. Vou corrigir aqui, e enviarei um mail para os gestores do site para que corrijam lá também.

Comentar post







Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas