Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Palácio de Belém falha protocolo?

por Estado Sentido, em 18.02.12

 

No próximo dia 21 de Fevereiro, será inaugurado o monumento Sala Thai, excepcional honra concedida a Portugal pelo Reino da Tailândia. No âmbito da celebração dos 500 anos do estabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países, a Casa Real tailandesa será representada ao mais alto nível pela Princesa Maha Chakri Sirindhorn que no protocolo daquele Estado, substitui Sua Majestade o Rei Bhumibol Adulyadej.

 

As relações de Portugal com aquela potência asiática, situadas no quadro da viragem da política mundial que se vai centrando no âmbito das margens do Pacífico, revestem-se hoje de uma extrema importância, facto que o Palácio de Belém não poderá ignorar. Seria desejável a máxima representação do Estado naquela cerimónia que dentro de poucos dias decorrerá em Belém, mas existem informações absolutamente fidedignas acerca de mais uma não-presença presidencial naquele acto. A Chefia do Estado é antes do mais representativa e protocolar, assim se entendendo o seu alegado caracter supra-partidário e simbólico. Embora reconhecendo-se a quimera deste distanciamento numa forma de representação republicana cujos limites são bem conhecidos, a Presidência da República deveria esforçar-se por entender o peso de uma história que conta perto de um milénio. Marcando sempre posição em qualquer reunião empresarial ou do restrito mundo da plutocracia de elite, a Presidência da República tem ignominiosamente descurado os seus deveres protocolares, precisamente aqueles que não se compadecem com crises económicas ou apetites de sector, seja este político ou financeiro.

 

Sabemos que o Ministério dos Negócios Estrangeiros procedeu a diligências no sentido de proporcionar a máxima dignidade ao acto. Quando do planeamento da visita da Princesa Sirindhorn, causa estranheza não ter sido prevista uma visita real à iniciativa mais relevante no âmbito das comemorações do V Centenário. Encontrando-se patente na Biblioteca Nacional de Lisboa a importante exposição documental alusiva às relações entre Portugal e a Tailândia, o Estado deveria ter incluído uma visita à mesma.

 

O Portugal de sempre estará representado nesta excepcional honra que o Reino da Tailândia presta ao seu mais antigo aliado europeu. Na pessoa de S.A.R. o Duque de Bragança, o sucessor do Rei D. Manuel I que há cinco séculos com o Rei Ramathiboti II iniciou as relações luso-siamesas, o nosso país em Belém terá o seu representante legítimo e livre de peias, temores ou más disposições de circunstância.

 

Pedro Quartin Graça

Miguel Castelo-Branco

Samuel de Paiva Pires

Nuno Castelo-Branco

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:18


15 comentários

Sem imagem de perfil

De José Maria C. Pinto a 18.02.2012 às 23:25

É uma vergonha tudo isto. Se o MNE fez bem deve enviar o ministro e deixar de lado o Prof. Cavaco. 
Sem imagem de perfil

De Paulo Jorge Cruz a 19.02.2012 às 00:32

Os tailandeses fizeram tanto ao longo do ano de 2011 para comemorar os quinhentos anos e por aqui só se fez a exposição da Biblioteca Nacional, aliás muito boa.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.02.2012 às 01:12

Estamos a chegar a um ponto em que mais baixo não dá!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.02.2012 às 02:07

Já imaginaram o Cavaco e a Maria a dançarem esta música?
http://www.youtube.com/watch?v=WiTM_1euMXc&feature=related (http://www.youtube.com/watch?v=WiTM_1euMXc&feature=related)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.02.2012 às 02:09

Eis que depois de dançar a anterior a maria fica louca e se coloca nua na varanda do Palácio e exige que Cavaco dane, em cuecas (é noite e as luzes estão apontadas para o casal-maravilha), esta:
http://www.youtube.com/watch?v=fIElSf5R6VE (http://www.youtube.com/watch?v=fIElSf5R6VE)
Sem imagem de perfil

De Paulinha Manu a 19.02.2012 às 12:15

E o Cavaco teve que obedecer à Maria e lá dançou em cuecas na varanda. No final, ela disse-lhe: ''É para aprenderes a fazeres o que eu digo..deviamos ter ido ao Rio, pois eu fui convidada para desfilar no sambódromo...tenho muitos cariocas que ficam doidos por mim e tu fizeste-me mais uma desfeita''.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.02.2012 às 18:35

O que muita genta não sabe é que a Maria nos anos 70 e 80, era uma das melhores clientes do Studio 54 em Nova Iorque. Houve até uma músiquinha Disco feita em homenagem a ela, pois o cantor ficava Knocked out quando ela dançava em cima das colunas e nas escadas daquele espaço fabuloso. Bons tempos. Aqui vai o link da musiquinha: http://www.youtube.com/watch?v=Zj86JLn2zyc (http://www.youtube.com/watch?v=Zj86JLn2zyc)

 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.02.2012 às 18:37

Sim, ela era uma Diva da noite de Manhattan.
Sem imagem de perfil

De Paulina Manu a 19.02.2012 às 18:47

Mas rapidamente a Maria ficou novamente em êxtase e pediu so DJ para por uma música da Melba Moore. E assim foi..os dois a dançar loucamente até de manhã:
http://www.youtube.com/watch?v=Qm8a1iy_INU&feature=related (http://www.youtube.com/watch?v=Qm8a1iy_INU&feature=related)
Sem imagem de perfil

De Paulinha Manu a 19.02.2012 às 18:42

Foi no Studio 54 que a Diva conheceu o Aníbal (ele já na altura era espertíssimo e ia muitas vezes a Nova Iorque tratar de negócios). A 1ª música que dançaram, bem juntinhos, foi esta: http://estadosentido.blogs.sapo.pt/1941314.html?mode=reply#reply
Sem imagem de perfil

De Paulinha Manu a 19.02.2012 às 18:44

Perdão, aqui vai a música que marca esse grande amor Diva Maria + Aníbal Maravilha:
http://www.youtube.com/watch?v=3QHD9oATa8g&feature=related (http://www.youtube.com/watch?v=3QHD9oATa8g&feature=related)
Sem imagem de perfil

De WZD a 20.02.2012 às 01:37

Uma vergonha, se o PR se esconder outra vez...
Sem imagem de perfil

De O Falso Rei das Pampas a 20.02.2012 às 18:12

Desta vez quem dança é o SARna e a dona Isabel.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.02.2012 às 20:54

Cá está o Peidamoney. Ena, já consegue falar um bocadinho de português? Incrível!

Comentar post


Pág. 1/2







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas