Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A mais rápida ascensão da história

por Pedro Quartin Graça, em 31.12.11

O "Querido Herdeiro"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:53

É "azar" a mais!

por Pedro Quartin Graça, em 31.12.11

Ladrões assaltam viatura do ministro da Administração Interna

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, viu a sua viatura de serviço ser assaltada na madrugada deste sábado. O automóvel, que tinha ficado estacionado perto de um hotel de Braga, ficou com os vidros partidos e tudo o que estava no seu interior terá sido levado.

Para "mensagem" de final do ano em matéria de segurança interna não podia ser pior. Pior mesmo só este triste episódio ocorrido na Madeira a meio deste ano...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:19

Mas já experimentou dizer "NÃO"?

por Pedro Quartin Graça, em 31.12.11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:29

Merkel forçou demissão de Berlusconi

por Pedro Quartin Graça, em 30.12.11

A chanceler Angela Merkel fez em Outubro um telefonema confidencial para o presidente italiano, Giorgio Napolitano, para o tentar convencer a demitir o primeiro-ministro Silvio Berlusconi. 

 

Não é novidade. Apenas a confirmação de que a liberdade e democracia são conceitos desconhecidos em quem manda na Europa.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:20

O barato sai(nos) caro!

por Pedro Quartin Graça, em 30.12.11

Líder da China Three Gorges avalia negócio

"Comprar a EDP foi barato"

O presidente executivo da China Three Gorges (CTG), que comprou 21,35% da EDP, admitiu esta sexta-feira que o negócio com o Estado português, que arrecadou 2,7 mil milhões pela privatização da eléctrica, foi barato.

 

É só ouvi-lo(s). Quando o Presidente da Three Gorges diz que foi barato comprar a participação na EDP, é caso para os governantes lusos se interrogarem sobre a escolha que fizeram e o valor que aceitaram. Ainda estão "todos" convencidos dos méritos da proposta? Afinal foi ou não vendida ao desbarato? Pois...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:04

A Dam e o imperialismo Made in USA

por Nuno Castelo-Branco, em 30.12.11

A muito aristocrática Dam faleceu precisamente há um ano, vitimada por um fulminante cancro mamário. Sabendo que os americanos odeiam as Monarquias - e cá em casa ela estava no topo da pirâmide -, aqui está uma bastante plausível explicação para o súbito desaparecimento da minha gata.

 

Chávez deve ter razão e o estranho acontecimento caseiro, faz-me pensar acerca das maléficas interferências imperialistas na saúde de pessoas e animais. Tal como a pobre Dam, o Grande Petroleiro Chávez, o Grande Fumador Castro, a Grande Poufiasse Kirchner, a President"a" Dilma, um tal Lugo do Paraguai e o Sr. Lula da Silva, têm sido as vítimas mais notórias de tumores cancerígenos. Eu próprio deveria apresentar-me como queixoso, dada a paulatina perda de massa capilar e pior ainda, o lento e irreversível avanço do seu processo de embranquecimento. Deve andar por aí um veneno qualquer no Corn Flakes, no shampoo e talvez até, no papel higiénico.

 

Há quase noventa anos, Lenine também sucumbia a um notório ataque imperialista, com o seu cérebro transformado numa liquefeita sopinha ranhosa. As ou os agentes da exploração capitalista haviam-lhe transmitido a sífilis, sabendo-se que a Rússia czarista estava pejada de agentes pré-CIA, a postos e de pernas escancaradas para o ataque.

 

Há que dizer que a Dam era sem dúvida, infinitamente mais bonita, bondosa, limpa e inocente do que todos os outros acima mencionados.

 

Uns bandidos, estes americanos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:31

Futre tinha razão: agora é que "vai vir charters" mesmo

por Pedro Quartin Graça, em 29.12.11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:44

A invasão amarela

por Pedro Quartin Graça, em 29.12.11

"Chegam com o início da Primavera e asseguram-nos que o pior já passou.  Invadem todo o espaço público da cidade, desafiando as convenções e o planeamento urbano. Espreitam por entre as pedras da calçada, cobrem os jardins, estão à porta dos prédios, no meio dos carris dos eléctricos. Têm vida efémera, mas enquanto duram obrigam-nos a dar pela sua presença. São umas flores amarelas de pétalas fartas e folhas pontiagudas,  e estão por todo o lado. Curioso ver uma metrópole cosmopolita como é Berlim, ser sazonalmente reduzida à condição de prado da aldeia por uma horda de dentes-de-leão. Mais uma das belas contradições desta cidade." por Ines Thomas Almeida


Falamos dos dentes-de-leão, claro. Em Berlim, Alemanha. O que é que julgavam que era?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:05

Não tarda estão lá os chineses...

por Pedro Quartin Graça, em 29.12.11

Cavaco Silva, então Primeiro - Ministro, defendeu e incentivou a desertificação dos campos e o abandono do cultivo das terras, recebendo os agricultores portugueses verbas comunitárias para deixarem de produzir nas zonas rurais.

Hoje um Secretário de Estado do Governo de Cavaco quer que os abandonos de terras 'saiam caros'. Mais de 20 anos de produção deitados ao lixo. Ou as contradições de um "País rico".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 13:26

Um erro histórico

por Pedro Quartin Graça, em 29.12.11

 

Um erro histórico de governação com consequências, infelizmente, bem previsíveis. Ou, apenas, a triste constatação de que, no Governo, a ausência de pensamento estratégico é, não apenas parcial, mas total. Alternativamente, alguns dos ministros sofrem actualmente de manifesta capitio diminutis. Outros poderão chamar-lhe de temor reverencial. No fundo o resultado é o mesmo.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:11

Pratos limpos e latrinas borradas

por Nuno Castelo-Branco, em 29.12.11

Um texto a não perder.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:03

Definitivamente a Personalidade do Ano.

por Felipe de Araujo Ribeiro, em 29.12.11

 

(Daqui)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:35

Sem dar mais cavaco

por Nuno Castelo-Branco, em 28.12.11

No meio de toda a tormenta em que "los modernos del dinero" deixaram Espanha, o Rei João Carlos deslocou-se às Cortes, onde além de ter escutados entusiasmados "Viva el Rey!", recebeu a mais estrondosa e prolongada ovação parlamentar do seu longo reinado. Todos os grupos presentes o aplaudiram de pé e a Coroa é, sem margem para qualquer dúvida, a instituição mais prestigiada e que goza da maior confiança por parte da população do país vizinho. Aproveitando para dissipar qualquer dúvida, surgiram publicadas todas as despesas referentes à Coroa de Espanha e de imediato salta à vista, a abissal diferença entre aquilo que Portugal - ou melhor, os portugueses - entregam de mão repelentemente beijada ao Palácio de Belém e os montantes bastantes modestos, concedidos ao Palácio da Zarzuela. Até o conhecido oportunismo izquierda-gourmet do El País, teve de engolir em seco. Cai assim o essencialmente obsessivo argumento dos "gastos das Monarquias", pois nesta Europa em ocaso, qualquer República, por mais periférica que seja como a portuguesa, consome enormes quantidades de dinheiro e de criadagem - os famosos 500 de Belém! -, sem que isto tenha qualquer correspondência nas actividades exercidas pelos referidos Chefes de Estado. Pior ainda, ninguém imagina qualquer presidente da República Portuguesa, seja ele quem for, como um símbolo de unidade ou unanimidade nacional. Longe disso, ou antes bem pelo contrário.

 

Para infeliz previsível gáudio dos apoiantes destas "grandezas miseráveis" da República, aqui deixamos o texto em castelhano. O Sr. Cavaco Silva consegue a supina habilidade de gastar mais do dobro daquilo que os britânicos anualmente pagam per capita à Rainha Isabel II. Para que conste...

"Las otras Jefaturas del entorno

 

Perceberam?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:20

É ainda melhor que a célebre tirada de Futre "vai vir charters". Ora vejam (via artigo58):

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:04

Alguém falou em crise?

por Pedro Quartin Graça, em 27.12.11

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS
E MINISTÉRIO DAS FINANÇAS
Gabinetes do Ministro de Estado e das Finanças
e do Secretário de Estado da Cultura

Despacho n.º 17318/2011

 

(...)
Assim, ao abrigo do disposto no artigo 15.º dos Estatutos do Teatro D. Maria II, E. P. E., aprovados pelo Decreto -Lei n.º 158/2007, de 27 de
Abril, e dos artigos 78.º e 79.º do Estatuto da Aposentação determina -se:


1 — Nomear Director Artístico do TNDM, II, E. P. E., João Manuel da Mota Rodrigues,com efeitos a partir do dia 21 de Novembro de 2011 e autorizar o exercício das respectivas funções nos termos do disposto nos artigos 78.º e 79.º do Estatuto da Aposentação.

2 — Fixar em seis mil euros a remuneração mensal ilíquida correspondente ao exercício das funções de director artístico.


19 de Dezembro de 2011. — O Ministro de Estado e das Finanças, Vítor Louçã Rabaça Gaspar. — O Secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:49

Portugal por Miguel de Unamuno (II)

por Samuel de Paiva Pires, em 27.12.11

Em abono da verdade, esta é de Manuel Laranjeira, em carta a Unamuno:

 

«Em Portugal chegou-se a este princípio de filosofia desesperada - o suicídio é um recurso nobre, é uma espécie de redenção moral. Neste malfadado país, tudo o que é nobre suicida-se; tudo o que é canalha triunfa.» 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:54

O novo prato nacional: Lagosta "à la troika"

por Pedro Quartin Graça, em 27.12.11

Recebido por e-mail: Lagosta "à la troika" para a ceia de fim de ano.

Bom apetite!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:13

Ainda a emigração

por Samuel de Paiva Pires, em 27.12.11

Avelino de Jesus, num artigo que vale bem a pena ler na íntegra (via Blasfémias):

 

«A atitude face à emigração deve ser enquadrada numa posição de abertura face à mobilidade social e económica em geral. As restrições à emigração, quer em termos de políticas quer de pensamento, relevam sobretudo de posições ultraconservadores e reaccionárias, qualquer que seja a forma com que se disfarcem. É próprio destas perspectivas reprimir os movimentos de populações quer no interior quer para o exterior. É muito frágil a posição de alguns críticos segundo os quais "nem nos tempos do salazarismo se ouviu um governante dizer que os portugueses deviam ir embora"; claro que não, ouviam-se antes os tiros de perseguição nas fronteiras contra aqueles que procuravam sair a salto, contra a vontade dos que então, como agora, visam tolher a liberdade de circulação das populações.

Aqueles que - jovens ou maduros, profissionais manuais ou intelectuais - ousem emigrar, por necessidade ou ambição, merecem o nosso apoio e solidariedade.

O mesmo conforto merecem igualmente todos os que - incluindo os governantes - manifestem esse apoio e solidariedade àquela atitude de inconformismo radical.

O provincianismo e o cultivo de posições periféricas e isolacionista foram, e continuam a ser, dos principais obstáculos ao nosso desenvolvimento. Contrariar tais pechas - mesmo quando temos pela frente autênticas barreiras que, travestidas de posições progressistas, constituem puro terrorismo ideológico - não sendo tarefa fácil, não poderá ser contornada.

As críticas em apreço podem ser eleitoralmente rentáveis, porque fazem apelo aos reflexos mais atávicos, mas revelam uma ignorância da realidade e uma falência moral lamentáveis. »

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:04

WAZZUB: vem aí a maior rede social do mundo?

por Pedro Quartin Graça, em 27.12.11

Com uma adesão de 1 nova pessoa por cada 9 segundos(!), bate já aos pontos a fase inicial do Facebook, do Google, entre outras. Tudo isto se deve ao facto de os novos aderentes irem lucrar 1 dólar por pessoa por cada nova adesão, com ganhos em cadeia, ainda que, dizem os seus autores, não se trate de um esquema de "pirâmide", tudo de forma gratuita.

Trata-se da WAZZUB, em pré-lançamento a partir de 1 de Janeiro de 2012. A ser verdade, o que só se saberá na realidade a partir de 1 de Junho do próximo ano, veja todavia, e desde já, a potencialidade da nova rede usando esta calculadora disponível online.

Tem dúvidas sobre a popularidade imediata desta rede registada na Whois, ainda que apenas em fase de pré-lançamento? Não as tenha. É só consultar o ranking da ALEXA e ver os resultados. Impressionante. Um caso sério de marketing em 2012. Ou, a não se confirmarem as premissas, a maior fraude global do ano, destinada apenas a colectar milhões de e-mails de internautas crédulos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:28

No, no, NO!

por Nuno Castelo-Branco, em 26.12.11

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:29

Pág. 1/9







Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas


    subscrever feeds