Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A diplomacia do croquete estragado

por João Pinto Bastos, em 11.06.13

O petismo é, de facto, um poiso de petralhas, para usar o jargão do indispensável Reinaldo Azevedo. Só isso explica o porquê de a "presidenta" do Brasil, Dilma Rousseff, ter estado, em primeiro lugar, com António José Seguro e Mário Soares aquando da sua chegada ao país. Há gestos que definem um(a) político(a). E este foi um deles. Misturar uma visita de estado com lamechices de cunho político-partidário é tudo, mas rigorosamente tudo o que um chefe de Estado não deve fazer. Se não ensinaram isso a Dilma, lamento. Ainda para mais sabendo que tem no elenco governativo que lidera um diplomata da estirpe de António Patriota. Mas adiante. A única questão que importa colocar é saber se Aníbal Cavaco Silva, chefe desta República da treta, teve a coragem suficiente para fazer o devido reparo à dita "presidenta". Duvido que o tenha feito. Cavaco não sabe o que significa a palavra coragem. Nunca soube. Quanto a Seguro, a única coisa que me apraz perguntar é o seguinte: no grupo de Bilderberg também se ensina a tripudiar o protocolo de visitas de Estado? Provavelmente, sim. A esquerda lusófona é mesmo uma súcia. Valha-nos Deus.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:13


6 comentários

Imagem de perfil

De Equipa SAPO a 11.06.2013 às 09:41

Bom dia,
o seu post está em destaque na área de Opinião da homepage do SAPO.
Atenciosamente,
Ana Barrela - Portal SAPO
Sem imagem de perfil

De Philas a 11.06.2013 às 10:17

Bullshit!...
Sem imagem de perfil

De teixeira a 11.06.2013 às 11:58

nada como acordar e ler uma boa piada: sonhar, imaginar, desejar, que o intrépido, o bravo, o ousado, entre outros atributos, Professor Aníbal  chamasse a atenção da Presidenta Dilma! Não consigo conter o riso.
Sem imagem de perfil

De fernando marques a 11.06.2013 às 18:19


Dilma Rousseff pode ter "torneado" o protocolo ao encontrar-se primeiro com a oposição e só depois com o Governo, mas, o Governo e o Presidente também a deixaram "na mão", se a tivessem convidado para ir a Elvas, assistir às comemorações do 10 de Junho, ela não tinha tipo tempo para se encontrar com os socialistas, coitada de senhora, estava sozinha em Lisboa, rodeada por policias, queriam que ela fizesse o quê? só mesmo aturar politicos.
Sem imagem de perfil

De Antonio augusto a 12.06.2013 às 16:58

Quem é o senhor para falar em república da treta?
Quem é o senhor para falar mal de Dilma quando ainda há tempos idolatrava Lula e seus seguidores?
 Quem é o senhor para falar em coragem? É que depois do que fez e continua a fazer, duvido que tenha  coragem de pedir perdão aos seus progenitores.
Quanto a si só me apraz perguntar-lhe o que faz na vida?

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas