Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Panelinha de pressão do PS

por John Wolf, em 17.08.13

Ribeiro, Ribeiro! Quer que lhe faça um desenho? Em política tudo é sujeito à panelinha de pressão. Já dizia o outro; "a guerra é a extensão da política por outros meios" (Carl Von Clausewitz). Eu sei, eu sei, não estamos a falar de guerra, mas de conflito político, e para o caso, vai dar ao mesmo. Será que estão a fingir-se de ingénuos lá para os lados do Rato? Os socialistas ao apresentarem-se como damas ofendidas, e afirmarem que Passos Coelho insiste em pressionar o Tribunal Constitucional, parece que nasceram ontem. Toda a matéria circundante pode ser sujeita à influência, à persuasão, à manipulação ou ao golpe da opinião pública. O facto político e o exercício de poder estão presentes em tudo; nas calças apertadas, no detergente para a máquina de lavar loiça, na paróquia da igreja, no posto da GNR ou na novela da noite. Ou seja, desde que o animal político nasceu, exprime-se em tudo quanto é lugar. Não faço juízos de valor. Constato apenas que faz parte da condição política. O primeiro político da história não sonhou com isto, mas paciência, a coisa saiu fora de controlo, e tudo é entendido enquanto extensão da vontade governativa. Quando o Partido Socialista se apresenta como herói da isenção, parece esquecer o seu passado de condicionamentos e contingências. Ironicamente, o próprio Partido Socialista está sujeito à pressão da magistratura do seu fundador (e sem sair de casa). Soares está para o PS como o Tribunal Constitucional está para Passos Coelho. O PSD, embora tenha barões e condados, não vive na sombra de fantasmas, de lideres históricos que já partíram. De facto, o PSD de hoje, pouco ou nada tem a ver com o PSD de Sá Carneiro ou Sousa Franco (sim, sim, o Prof. Sousa Franco foi presidente do partido a dada altura da história, e mais tarde até serviu os socialistas). Passos Coelho enfrentará grandes obstáculos nos tempos que se avizinham, mas esses desafios e contratempos não são um exclusivo do Tribunal Constitucional. O PS, pela voz de João Ribeiro, e à falta de argumentos fornecidos pela casa, de ferramentas domésticas, tem de se servir do Tribunal Constitucional enquanto guarda Suiça dos seus interesses. É o que eu digo e volto a repetir, Seguro desapareceu de cena e o Ribeiro eterniza a inépcia do Partido Socialista. Em vez de andarem preocupados com o modus operandi do governo - se este envia recados ou recebe telegramas -, têm rapidamente de pensar o país. Por este andar nem em finais de Setembro nem em 2015 lhes sai a fava no bolo. Estes faxes que andam a enviar apenas servem para entupir os ouvidos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:18


7 comentários

Imagem de perfil

De joshua a 17.08.2013 às 13:51

Muito bom post.
Imagem de perfil

De John Wolf a 17.08.2013 às 14:27

Grato, Joshua!
Cumprimentos,
John
Sem imagem de perfil

De Ana a 19.08.2013 às 00:32

Infelizmente tanto PS como PSD são mais do mesmo, mas nós também somos mais do mesmo, porque eles nada fazem e na hora das eleições estamos sempre a premeá-los, se não é um, é outro. Cada povo tem aquilo que merece e é bem verdade, é que não evoluimos parámos no tempo e até interessa que assim seja, é que assim vão corrompendo e nós pagamos. Há melhor que isto?  
Sem imagem de perfil

De Lina Lopes a 19.08.2013 às 16:52

O João Ribeiro é mais um inútil de serviço no PS. Sinceramente acho mais divertidos os disparates do PSD ou daquela maluquinha do BE do que estes porta-vozes profissionalizados do PS, oficiosos e oficiais, e se é assim que o Tó-tó Zé Seguro quer ir a algum lado então é melhor abrir os pulsos  (os dele claro) . Ainda me lembro do que sofri com o Tiago Silveira e já arranjaram este João Ribeiro que me disseram estava em Macau a ganhar uma pipa de massa e não fazia nada. Já não sei o que é pior se o Zorrinho se o Ribeiro ou aquele ex perito em swaps do PS que agora é conselheiro económico do tótó  e que tem os maxilares colados com super cola 3 e de cada vez que fala parece que vai partir os dentes.
Imagem de perfil

De John Wolf a 19.08.2013 às 17:14

Cara Lina Lopes,
Obrigado pelo comentário que enriquece a discussão em torno destas perdas de tempo! Inutilidade - tem razão.
Cordialmente,
John
Sem imagem de perfil

De Rita a 20.08.2013 às 00:20


Nada é perda de tempo desde que discutido com seriedade. Os comentários podem é ser mais elegantes, caso contrário tornamo-nos iguais a eles. 
Imagem de perfil

De John Wolf a 20.08.2013 às 17:20

Viva, Rita!
Tem razão. Toda a matéria é passível de ser tratada em sede de discussão educada e respeitosa. Obrigado.
Cordialmente,
John 

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas