Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Afinal Marx até era capaz de dar uns ares de liberal

por Samuel de Paiva Pires, em 07.09.08

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:42


4 comentários

Sem imagem de perfil

De Alfredo a 07.09.2008 às 11:38

Bem para comentar, vou deixar o texto que escrevi como entrada no meu hi5. Acho que diz muito do Avante (sem contudo querer ser pejorativo).

Avante : 7/Set/2008
Este ano fomos ao Avante.
E não, o Avante não é a rentreé do Partido Comunista Português, nem tão pouco mais ou menos. É um festival!
Estão à espera de comícios a todo o instante, com uma enchente de pessoas? Enganem-se.
E qual é o momento mais importante daquela festa?
Não são de certeza as barraquinhas de comida e bijuterias, quase sempre cheias, num estilo de Rock in Rio (a diferença entre os recintos não é muito diferente). E também não o será a Feira do Livro na festa. Aliás nestes dois casos, o Avante assemelha-se ao grande "capitalismo", com os livros, a bijuteria e a comida a serem vendidos a preços muito pouco próprios do comunismo.
Os pequenos comicios ou conferências dados pelos dirigentes comunistas, também não de certeza o momento alto, nem tão pouco são dos momentos altos. A afluência é quase sempre pouca. Mas isso também se deve ao facto de eles infelizmente dizerem quase sempre o mesmo, não escapando à lógica politiqueira do regime. Onde o pior é o facto de não se saberem criticar. E onde grave é que talvez, aquelas pessoas que estão ali a discursar, se se pudessem exprimir com grande liberdade de pensamento, talvez até tivessem muito para explicar, em vez de se basearem constantemente naquilo a que chamam teoria marxista-leninista da história, onde o grande problema foi juntarem Lenine a Marx, pois este último defendia a revolução com operários minimamente instruidos, enquanto o primeiro teve o milagre de a realizar com um número infindável de camponeses, deturpando assim aquilo a que Marx queria dizer com Ditatura do Operariado.
Sobram então os concertos, mas nem estes se podem considerar o grande momento no final de um longo dia. São sim um dos pontos altos.
Qual é então o ponto alto?
O ponto alto, no final do dia é quando há fogo de artificio ao som da Carvalhesa. Quando começa a música, jovens e mais idosos parecem entrar num estado de euforia ao final do dia, ao som daquela música extasiante, dançando num misto de punk, rock e arraial, onde todos (também não escapei à tentação) trauteiam a bela da Carvalhesa. O momento do Avante é Carvalhesa, o resto que se dane.
Imagem de perfil

De Samuel de Paiva Pires a 08.09.2008 às 01:10

Eheh pois é Alfredo, mas parece que o camarada Jerónimo acha mesmo que os jovens todos que ali estão é porque estão interessados em política! LOL :p)
Sem imagem de perfil

De Maite a 07.09.2008 às 18:57

Caro Samuel de Paiva Pires

Um vídeo muito bom. E gostei do seu título para este post :)
Afinal "the free development of each is the condition for the full development of all"

and to understand communism as it was and still is "to kill those who disagree with you. Is that the communism I gave my life for?" a great conclusion, indeed.

Nunca fui à Festa do Avante mas pelo que me dizem é um "festival" que vale a pena ver.

Tenha uma excelente tarde de domingo
Imagem de perfil

De Samuel de Paiva Pires a 08.09.2008 às 01:08

Muito agradecido! Tarde passada a estudar, o que é sempre bom quando estamos interessados no tema :p)

De facto, é como costumo dizer, muitas das observações de Marx são ainda hoje válidas, pena é que deturparam completamente o seu pensamento original!

Cumprimentos


Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Em destaque

  •  
  • Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas