Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ora, cá estou...

por Nuno Castelo-Branco, em 27.10.08

 Enfim, após uma semana de ausência forçada, aqui regresso à nossa palhota, pronto para ir comentando o pouco que existe para ser comentado. Na verdade, o simples facto de ter um computador praticamente novo avariado, afastou-me completamente do mundo e posso dizer-vos que se vi dois telejornais, isso já foi muito. Simplesmente, as notícias deixaram de interessar, pois habituei-me ao longo destes oito meses, a ter pretensões no campo da sempre nebulosa prática da análise. Não se perdeu coisa alguma, diga-se...

 

Como nota introdutória deste regresso, o meu reconhecimento à Cristina e ao Samuel, por terem dirimido a minha preguiça em dirigir-me ao netcafé mais próximo para não haver baixas no staff. Logo a seguir e começando já na faina, espero que tenham reparado na entrevista do primeiro-ministro. As conclusões a tirar são simples e bastante esclarecedoras, porque confirmam as suspeitas existentes acerca da natureza volátil do regime:

 

1. Num período em que se berra a plenos pulmões por uma crise mundial de proporções gargantuescas, nada mudou nas intenções. Continuarão a apostar no betonismo a todo o transe, nas linhas TGV (Tudo Grande Vigarice) e em aeroportos hollywoodescos, exactamente quando se prevê um forte decréscimo da actividade aeronáutica. 

 

2. Afinal sempre houve dinheiro a rodos. A prová-lo, aqui estão as actualizações de salários, prometidas - por mera coincidência -, em vésperas de eleições gerais. Tudo aquilo que possa indiciar caciquismo, manipulação ou eleiçoeirismo de contornos oitocentistas, é decerto mera especulação por parte de malvados como nós, sempre prontos para o bota-abaixo.

 

3. O "presidente" vai soltando os seus "gritos de alma", como tivesse acabado de aterrar pela primeira vez neste país que ele tanto ajudou a erguer à imagem dos seus recônditos desejos de modernização, na qual tiveram lugar relevante os falsos cursos de formação profissional, os créditos fáceis para jeeps, férias a prestações, jaccuzzis em T0 de luxo na Musgueira-Leste, etc. O mais curioso nisto tudo, é sua excelência poder tentar imaginar que a nossa capacidade de esquecimento é assim tão avassaladora. Engano seu, ele está na linha da frente e não há trincheira onde se possa esconder, pois existe sempre uma Grande Bertha pronta a fazer fogo de barragem.

 

4. Nota relevante. O Chefe Jerónimo de Sous(esco)a, veio a terreiro dizer que a Direita portuguesa está hoje mais à esquerda que o PS. Grande novidade... Se o Marcelo Caetano fosse vivo, provavelmente votaria socialista, pois foi ele próprio quem preparou o terreno a todos estes habilidosos saltimbancos que do CDS ao BE vêm regendo as nossas miseráveis vidinhas.

 

Bom, vou dar uma vista de olhos pelas notícias, para ver se algo mais há para dizer, mas confesso que já me desabituei um pouco. Quem desaparece, esquece e esta é uma verdade bem presente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:49


10 comentários

Sem imagem de perfil

De Milu a 27.10.2008 às 15:57

Quando se referiu ao"Presidente", fê-lo de uma forma que leva a pensar que, os portugueses, não esqueceram as manobras esconsas que promoveu,que não só, não contribuíram para o desenvolvimento do país, como ajudaram a dar um empurrãozinho para a "sarjeta". Lamento que esteja enganado, porque além da costumeira memória curta dos portugueses, há também como que uma espécie de masoquismo. Por exemplo: quanto aposta em como Durão Barroso após rapar o tacho que tem nas mãos, surgirá das brumas, feito um Don Sebastião encabeçando o malogrado PSD, atirando a avó para um canto, para num malfadado dia acordarmos todos, com o dito, num frenesim diabólico em campanhas eleitorais, disputando o tacho mais apetecível. Nessa altura os carneirinhos lá irão às urnas, encarreirados como formigas, de estúpido sorriso estampado na fronha, obedientes, dar a vitória àquele cara de sapo,esquecendo completamente que nos deixou à deriva, entregues à anedota do Santana. Meu Deus, este último é como os felinos! Tem sete vidas! Sabem que mais? A política é isto mesmo! Basta observar como tem decorrido a campanha eleitoral nos EUA, até mete nojo! É nas costas dos outros que vemos as nossas!
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 27.10.2008 às 18:10

Ora, Milu, eu cá não me esqueço, por muito que ele arme agora "em boazinha". Quanto ao Barros, claro que quer ir para o lugar do Cavaco, disso ninguém duvida. Num dos primeiros posts que aqui escrevi, falava disso mesmo, daquela manhã em que eles pela primeira vez vão para o gabinete de 1º ministro e pensam ... "agora é que vai ser, vou mudar Portugal"... Depois, é o que se sabe. Eles lá têm a monomania de querer sentar o traseiro na cadeira do D. Afonso Henriques, D. João II, Carlos I, etc. Mas têm rabos gordos demais e não cabem!
Imagem de perfil

De António de Almeida a 27.10.2008 às 16:34

Afinal sempre houve dinheiro a rodos
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Afinal sempre houve dinheiro a rodos <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Wellcome</A> </A></A class=incorrect name="incorrect" <a>back</A> , já fazia falta por cá, embora também leia com gosto quer a Cristina, quer o Samuel. Claro que há dinheiro, o Estado avaliza os bancos, junto dos quais irá conseguir o empréstimo para financiar as grandes obras, está-se a tapar uma bolha construindo outra bolha maior em redor da primeira. Por décadas o rectângulo ficará empenhado, as novas gerações irão nascer com uma enorme dívida pública, se pretenderem continuar independentes é claro.
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 27.10.2008 às 18:13

Claro, António, disso tenho eu a certeza. Eles estão-se completamente marimbando para as parcas economias do vulgo e querem é garantir a solvência da escrocalhada que os sustenta. Veremos se tudo isto não acaba numa erupção ao estilo de Krakatoa...
Imagem de perfil

De Paulo Cunha Porto a 27.10.2008 às 18:16

Bem-Regressado seja, Caro Nuno. Os abontecimentos pararam, à Sua espera.
Abraço
Sem imagem de perfil

De mike a 27.10.2008 às 23:10

Uma verdade bem presente que não se aplica a si, Nuno. Seja bem aparecido.
Abraço.
Imagem de perfil

De Samuel de Paiva Pires a 28.10.2008 às 01:32

Welcome back my friend!

Quanto ao dinheiro que sempre houve, o representante dos Jovens do Bloco presente na conferência que referi resumiu bem a ideia dizendo que andamos desde há muito a dizer que não há dinheiro para nada, nem para educação, nem para a saúde, e de repente há 20 mil milhões de euros para os bancos, o tal dinheiro dos contribuintes que como escreve o Ricardo Araújo Pereira, vai ser emprestado aos próprios contribuintes com taxas de juro. É um mimo, como dizem os Marretas "nós não merecemos um governo tão bom".

Um abraço Nuno!
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 28.10.2008 às 10:06

Obrigado, Sam. Estás a ver agora, o que certa "direita" faz, ao dar imbatíveis argumentos aos "trotsquistas". E daqui a nada chegam os Sieg Heil com a mesma conversa. O pior é que têm razão.
Sem imagem de perfil

De António Bastos a 28.10.2008 às 11:39

Bem vindo ao convívio blogosférico, caro Nuno. Gostei do que escreveste em relação ao "caldo marcelista", habitualmente designado por "primavera marcelista", da qual emergiram muitas destas luminárias que tão bem tão bem se têm governado à nossa custa. Basta pensar no Veiga Simão por exemplo, isto já para não referir os "católicos" progressistas (Guterres, Marcelo e quejandos), os tais que confundiram Cristo com Marx.
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 28.10.2008 às 18:12

Pronto, Maggie-carinhoso, o Nuno, não?- aqui temos o homem que realmente fazia falta...

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Em destaque

  •  
  • Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas