Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Papá, o que é o Fascismo?

por João de Brecht, em 05.01.09

 

 

A palavra “fascista” é usada com muita frequência hoje em dia, não só no mundo da política, mas também na nossa vida social e profissional, se o pai ou a mãe não nos deixam sair até tarde, são “fascistas”, se o patrão não nos deixa sair mais cedo é um “fascista”, se o Benfica perde um jogo, o árbitro é um “fascista”.
Mas de facto o que é o Fascismo?
É uma doutrina baseada num ditado romano que dizia que um império só se pode manter quando funciona como um facho (conjunto de paus, que são fáceis de partir individualmente mas impossíveis quando atados e unidos). O movimento fascista foi criado em 1919 em Itália pelo nosso conhecido Benito Mussolini, defendiam um regime totalitário e corporativista, opondo-se ao liberalismo, socialismo/comunismo e ao ideal democrático. Um sistema que defendia a violência como base essencial da educação (quanto mais me bates, mais rijo fico). Apesar da errónea concepção de racismo que lhe é atribuída, ao contrário de Hitler, Mussolini não era a favor de genocídios e práticas desse género, apesar de haver alguns casos de xenofobia e violência com etíopes e outras minorias em Itália.
Houve fascismo em Portugal?
Sim, mas o único movimento fascista foi aquele liderado por Rolão Preto, curiosamente este foi ilegalizado pelo homem a quem chamam fascista, António de Oliveira Salazar. Apesar de algumas semelhanças entre os regimes italiano e português, no fundo tinham um funcionamento administrativo e actuação internacionais completamente distintos. Por isso há pequenas fórmulas que devem ser decoradas:
If Ien
N  F  C  En
Legenda:
If _ ideal fascista
Ien_ ideal do Estado Novo
En_ Estado Novo
N_ Nazismo
F_ Fascismo
C_ Caudilhismo
(Não ponham no mesmo saco berlindes de cores diferentes)
 
O que é um fascista para o PCP?
Para o Partido Comunista e para outros tantos, um fascista é todo aquele que não concorda com o ideais marxistas, por exemplo, se o Moita Flores não cede um pavilhão ao PCP para um comício em Santarém é considerado um fascista, se alguém sai do partido revoltado com alguém que está acima dele na hierarquia, é considerado um fascista, se alguém vai trabalhar como todos os outros camaradas para a festa do Avante, mas em vez de levar ciganosport tiver uma camisola da Pepe Jeans, é um fascista. São contra o MacDonalds mas já se imaginaram num país em que a comida rápida fosse servida num MacLenine? E se calhasse um Estaline aos garotos no Happy Meal? Como sabemos foi com a palavra fascista que o PCP conseguiu calar uma parte da oposição durante o Verão Quente, o nome fascista era aplicado com a maior das facilidades e tinha um carácter ainda mais pejorativo do que tem hoje. O boicote de vocabulário tornou-se na principal arma comunista até aos dias de hoje; prova disso é que eu próprio, sendo defensor de muitos dos ideais esquerda já fui chamado de fascista por não concordar com certos aspectos do marxismo! Já agora gostava de saber como é que eles classificam duas personagens da história… Francisco de Assis e D. Nuno Álvares Pereira, ambos riquíssimos que abdicaram de tudo para abraçar uma vida de pobreza, serão fascistas? Vieram de seio endinheirado e além disso eram católicos…
Cassete vermelha, cassete vermelha…
 
Vamos ser racionais e chamar as coisas pelos nomes, chamar fascista a Salazar é o mesmo que chamar António à Antonieta, apesar de ser parecido, há muitos aspectos que se distinguem. Na política devemos ser rigorosos com as terminologias usadas, correndo o risco de nos tornar facciosos e quando isso acontece perdemos toda a credibilidade no discurso, e isto é tão certo como os hábitos de higiene do Mao Tse Tung serem inexistentes ou como o facto de Marx ter sido um burguês!
 
P.S.: O Samuel está a fazer um artigo sobre o Fascismo que com toda a certeza completará os tópicos “Fascismo” e “Fascismo em Portugal”

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:47


8 comentários

Sem imagem de perfil

De JMB a 05.01.2009 às 03:11

Bom "post". Pedagógico.
Imagem de perfil

De João de Brecht a 05.01.2009 às 03:42

Num jeito de brincadeira...


Uma escola primária de Leninegrado:

A professora pergunta às criancinhas:
"Onde é que vivem as crianças mais felizes do mundo?"E todos respondem em coro : "Na União Soviética".
"E onde é que as crianças tem todos os brinquedos que quiserem e todos os chocolates e doces que lhes apetecer?"."Na União Soviética!", respondem novamente as crianças.
"E onde é que as crianças crescem saudáveis e alegres, e seguras em relação ao futuro?", continua a perguntar a professora, "Na União Soviética"...

De repente ouve-se uma menina a chorar. "Porque é que estás a chorar?", pergunta a professora.
"Quero ir para a União Soviética", responde a menina.
Sem imagem de perfil

De José Miguel Pereira a 05.01.2009 às 15:53

Ó João! Esse comentário tambem dava um bom post! :)

Acredita que não és o único a levar por tabela... quem não sabe cantar a música da cassete vermelha de cor é logo etiquetado, se estivermos a discutir ideias frontalmente num meio generalizadamente "comunista".

Se ousas sequer proferir uma sequencia de palavras com a combinação "estado + novo + houve + lado + bom", é melhor que te retires por vontade própria...

Não somos obrigados a remar sempre contra a corrente.
É o que vale...
Mal de mim atura-los todos os dias. :)
Sem imagem de perfil

De Vera Matos a 05.01.2009 às 21:06

ConclusãO: És um fascista! loool
Kiddin

Eu curtia abrir um MacLenine! Um bife tártaro no meio do pão... hum, nhamiii

Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 06.01.2009 às 22:57

Então, andei a ser enganado durante anos, porque ainda me lembro de gente próxima do PC, dizer na RTP que faxitas, feixistas, fácistas, fascitas eram:
o infante D. henrique, Vasco da Gama, Afonso e Mouzinho de Albuquerque, Filipe Ii, III e IV, Dª Carlota Joaquina e D. Miguel, D. Sebastião, D. João II e D. Manuel I, João Franco, Fontes Pereira de Melo, Mário Soares, Freitas do Amaral, Sá Carneiro, o barbeiro de Salazar, a Dª Efigénia da banca de frutas no mercado da Ribeira, eu, tu, ele, os gatos brancos, os gatos pretos e os gatos amarelos, enfim, quem não fosse militante do partido. Naquele tempo, 88% do povo.
Sem imagem de perfil

De José Miguel Pereira a 08.01.2009 às 01:22

Acabo de ver o filme "The Soviet Story".
Um documentário maioritariamente falado em ingles, meio russo com legendas lituanas.
Para quem não tem conhecimento dele, aconselho vivamente, inclusivamente aqui ao psoal do estado sentido a consumir e dar a consumir.

Nao digam a ninguem, mas eu fiz download por torrents :)
Sem imagem de perfil

De José Miguel Pereira a 08.01.2009 às 01:25

ah... so para ficar interessante....
desde os 7 milhoes de ucranianos mortos a fome em 1933, até aos assassinos de milhoes de judeus (assassinos sovieticos), de russos e demais nacionalidades esmagadas, tornados herois veteranos pela mãe russia e tolerados pela comunidade aliada...
enfim! um grande balde de agua fria, até para quem já nao os podia ver a frente!
Sem imagem de perfil

De André Ferreira a 17.01.2009 às 19:19

Weird! Procuro pelo documentário do Salazar, por uma qualquer razão aleatória, e dou com uma cena escrita por um gajo do CEF.

No entanto, friso e matizo. Em Portugal o que existiu foi uma ditadura conservadora nacionalista, não fascismo. Na realidade, quase tudo era permitido, baixo um regime autocrático em que a única proibição era ser socialista/comunista.

Quando se fala de PCP - Comunistas em geral - tudo é fascista, embora a palavra já não se use, sendo substituída por termos mais modernos: facha; burguês; capitalista,...

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Em destaque

  •  
  • Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas