Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




25 de Março de 2009, parabéns, D. Afonso

por Nuno Castelo-Branco, em 25.03.09

 

 

Completa hoje treze anos o Príncipe da Beira, D. Afonso de Bragança.  Do futuro Afonso VII, retenho apenas as imagens do seu multitudinário baptizado e aquelas outras que nos vão parcimoniosamente chegando através da comunicação social.  Educado numa família em tudo avessa a mundanismos ou desperdício em vaidades fátuas, D. Afonso surge em público quando deve e é conveniente. Está naquela fase da vida, em que a sua já conhecida forte personalidade - é esta a informação que me foi facultada, por quem não é susceptível de sucumbir à apologética de circunstância -, deve ser complementada por uma diversidade de interesses e conhecimentos, cujo fim máximo é o serviço a Portugal. Dele não esperamos outra coisa, senão a vida simples de que os pais são exemplo. Estudo, trabalho e sacrifício na dedicação à causa maior que é continuar Portugal. 

 

Aqui lhe deixo para reflexão, algumas palavras recentemente proferidas pelo Duque de Bragança e que podem ser um programa de acção nacional:

 

"Temos que nos preparar para novas circunstâncias económicas e sociais, onde o importante será aquilo que os portugueses souberem fazer para ter uma economia auto-sustentável, em vez de continuarem a viver de empréstimos e subsídios, nacionais e estrangeiros. Os responsáveis políticos, militares, empresariais e das organizações de solidariedade social, devem em conjunto, estabelecer planos para enfrentar os tempos de mudança que já vivemos. Vamos esquecer as ambições económicas e políticas pessoais e tratar de salvar o barco em que estamos todos embarcados. Estas dificuldades podem ser uma ocasião providencial para mudar o nosso modelo de desenvolvimento e aprender a viver melhor gastando menos, desperdiçando menos recursos, sendo mais solidários e preservando o futuro do planeta Terra que está gravemente ameaçado pela nossa ignorância e egoísmo".

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:26


11 comentários

Sem imagem de perfil

De Miguel Neto a 25.03.2009 às 12:13

Secundo-o nos parabéns a S. Alteza, o Príncipe D. Afonso de Bragança.

Sobre o que significa ser-se Rei ou pertencer a uma Família Real nos dias que correm, recomendo a entrevista do Nuno Rogeiro à Rainha da Jordânia, ontem na SICN no programa "Sociedade das Nações".

O video pode ser visto em:
http://sic.aeiou.pt/online/video/informacao/Sociedade+das+Nacoes/2009/3/mudar-mentalidades.htm
Imagem de perfil

De João Pedro a 25.03.2009 às 12:48

Já? como o tempo passa!

Do baptizado dele, em Braga, recordo-me da multidão nas ruas circundantes à Sé, e em Guimarães, na consagração a Nossa Senhora da Oliveira. Será que a Cristina estava lá?
Sem imagem de perfil

De LUIS BARATA a 25.03.2009 às 13:05

Parabéns ao Príncipe da Beira, D.Afonso de Bragança!
Imagem de perfil

De manuel gouveia a 25.03.2009 às 14:42

Afonso VII?
Imagem de perfil

De manuel gouveia a 25.03.2009 às 15:01

Como propõe que tal aconteça?
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 25.03.2009 às 15:11

Isso queria eu saber. O actual regime disso se encarregará, estou certo de que não falhará. Como as coisas vão andando, não me admirava nada. Caminha alegremente para o precipício.
Imagem de perfil

De manuel gouveia a 25.03.2009 às 15:18

A providência nunca nos é tão generosa. Cada um tem que lutar pelos seus sonhos!
Sem imagem de perfil

De Diogo a 25.03.2009 às 23:33

Está giro o miúdo. Demasiado informal? Espero que não, pelo menos por enquanto. Vou fazer uma pergunta ao Nuno, se tiver paciência ou vontade de me (sinceramente) ilucidar. O "pensamento" monárquico admite a possibilidade da monarquia se instaurar, no contexto actual, não por via de descendência directa (ou indirecta), mas por via do aparecimento de um novo rei, por vontade do povo e no seguimento de um grande feito? Não sei se sou claro?
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 26.03.2009 às 02:16

Creio que existe um organismo histórico previsto para isso e tal já aconteceu duas vezes, pelo menos. Sinceramente, creio que o melhor recurso é exactamente quem não oferece qualquer sombra de parcialidade e carrega séculos de responsabilidade. Torna tudo mais simples. Era só o que nos faltava ter o ex-presidente do psd como rei :)
Imagem de perfil

De manuel gouveia a 26.03.2009 às 10:11

Fiz uma referência a este post no 2711.

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas