Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

 

Duas semanas bastaram para fazer desaparecer para sempre esta bonita casa. De nada servem os protestos e a denúncia destas constantes depredações autorizadas pela Cãmara Municipal de Lisboa. Ainda ontem, recebi do gabinete do vereador responsável, o seguinte e-mail:

 

Exmo. Senhor

 

Encarrega-me o Senhor Vereador Manuel Salgado de acusar a recepção dos E-mails enviados por V. Exa. ao Centro de Atendimento ao Munícipe, datados de 05 e 06-04-09, sobre o assunto supra referido, que mereceram a melhor atenção.

 

Informamos que após a recepção dos E-mails enviados por V. Exa. foi realizada uma vistoria ao local pelo Departamento de Conservação de Edifícios Particulares para verificar as informações reiteradas nos mesmos, tal como a legalidade das obras em curso.

 

Assim, informamos que a 22-12-2005 deu entrada nos serviços municipais um Pedido de Licença de Construção/Alteração – Processo 2298/EDI/2005, para o local indicado, cujo requerente é Espírito Santo Reconversão Urbana - Fundo de Investimento Imobiliário Fechado S.A..

 

O Processo 2298/EDI/2005 foi Deferido por despacho do Senhor Vereador Manuel Salgado em 10-07-2008, tendo sido emitido o respectivo Alvará de Obras de Construção n.º 12/CE/2009 a 20-02-2009.

 

Foi também Deferido a 10-07-2008 o Processo 115/EDI/2007, respeitante a Emissão de Licença de Demolição, tendo sido emitido o Alvará de Obras de Demolição n.º 21/ED/2009 a 20-02-2009.

 

O Pedido de Ocupação de Via Pública - Processo 424/OTR/2007 foi também Deferido a 10-07-2008.

 

Desta forma, os processos referidos encontram-se devidamente instruídos e licenciados para os devidos efeitos.

 

 

Sem outro assunto de momento,

 

Com os melhores cumprimentos,

 

 

Helena Caria

Gabinete do Vereador Manuel Salgado

 

ao qual respondi desta forma:

 

Exma. Senhora 

Dª Helena Clara
 
Não tenho qualquer dúvida acerca das licenças para a nova construção na Duque de Loulé 35. Longe de mim pensar tal coisa. O que contesto veementemente, é o critério de avaliação que conduz à demolição de edifícios bonitos e que logicamente deviam encontrar-se protegidos pela CML. A CML autorizou a demolição e a construção de um edifício horrendo e é disto mesmo que se trata. Depredação de património que curiosamente, não consta no inventário municipal. Muito conveniente, todos compreendem...
E assim vai o regime,  despedindo-se despreocupadamente da sua própria razão de ser. Infelizmente. 
 
cumpts,
Nuno Castelo-Branco.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:46


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Joana a 29.04.2009 às 17:13

É uma dor de alma... Aí são os edifícos que vão abaixo; aqui são as árvores. Chegam à idade da reforma e são decepadas. Maldita gente.

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Em destaque

  •  
  • Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas