Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Constantemente Constâncio

por Nuno Castelo-Branco, em 07.07.09

 

 

Para a esmagadora maioria dos portugueses, as guerrilhas partidocráticas são absolutamente indiferentes, fazendo parte integrante do funcionamento do sistema. O ministro Teixeira dos Santos veio hoje a terreiro atacar a oposição, por esta manifestar toda uma série de reservas pelos factos recentemente ocorridos. Desta forma, o móbil seria a "cabeça do sr. Constâncio", o preço imposto pela política. 

 

O cargo que desempenha no Banco de Portugal, implica uma confiança que antes de tudo é política, pois a dita entidade tutela actividades fundamentais para a normal vida do regime. O já prolongado prazo de vigência do mandato do sr. Constâncio à frente do BdP, indica desde logo, a provável confluência dos principais partidos na manutenção de um cargo cobiçado e de enorme responsabilidade.

 

Sabemos o que se passou no âmbito do sector bancário nos últimos anos, sem que o BdP tenha dado notícia, ainda vindo informar a população que o escrutínio dos negócios escusos e ilegais era de difícil, senão impossível detecção. A verdade é que há muito corriam rumores acerca de operações de sórdidos contornos, onde a prepotência e a impunidade consagravam o crime que acabou por se verificar.

 

Estando ou não a executar o jogo político que lhes compete, toda a oposição está coberta de razão e justamente deve ser exigente numa matéria que a todos interessa. 

 

A única questão a colocar: quem ou o quê ainda segura Constâncio?  

 

Urge uma resposta, mesmo que sirva para obliterar as muitas teorias da conspiração, onde rituais antigos, juras de lealdade ou de perda, se mesclam com aquele argumento tão simples e sempre audível em qualquer fila na caixa do supermercado: ladroagem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:57


4 comentários

Imagem de perfil

De António de Almeida a 07.07.2009 às 18:56

A única questão a colocar: quem ou o quê ainda segura Constâncio?

-O pagamento pelo frete da invenção dos 6,83% de défice (estimado) em 2005. O PS protege os seus, foi assim com Lopes da Mota, como poderia agora ser diferente?
Sem imagem de perfil

De rui de brito a 08.07.2009 às 01:11

Velhos pactos. Há que desaparecer uma geração de
malfeitores comodistas profissionais que gostam de estar sentados em pequenos tronos...
Imagem de perfil

De João Pedro a 08.07.2009 às 17:04

Tenho para mim que Constâncio não é um homem desonesto mas com o espírito algo "mole", não tem forças para dar um murro na mesa, para se mostrar firme e convicto. Mostrou isso quando era líder do PS, de onde se demitiu devido a pressões, e agora, no BdP. parece que outro dia teve enfim uma posição de maior firmeza...tarde demais, já que devia tê-la tomado antes, para supervisionar devidamente as actividades bancárias, e não para defender a sua posição, agora que se vê atacado por todos os lados.
Sem imagem de perfil

De LUIS BARATA a 08.07.2009 às 18:05

O que segura Constâncio é o Centrão, esse bloco central informal de rotativismos político-financeiros. X gestores públicos para ti, Y provedores/altos comissários e afins para mim...

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Em destaque

  •  
  • Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas