Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

Um jovem da assistência trajado com um kilt, interpelou o 3.º painel afirmando desde logo "Sou um revolucionário", tecendo de seguida considerações sobre as 3 causas da desgraça: a existência da política, que, segundo ele, não serve para nada; a existência de um sistema monetário que, diz, não é necessário e serve apenas para distinguir entre ricos e pobres; e, por último, a religião, que é uma mentira. Concluiu afirmando que estes são os grandes limites da humanidade. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:08


8 comentários

Imagem de perfil

De Tiago Moreira Ramalho a 11.07.2009 às 16:10

Gostava de ter ouvido isso a viva voz. É que não ia conseguir parar de rir.
Imagem de perfil

De Samuel de Paiva Pires a 13.07.2009 às 18:55

É pena que o interveniente se tenha logo ausentado de seguida (demonstrando talvez uma falta de chá...) porque alguns dos presentes salientaram o carácter relevante da sua intervenção.
Imagem de perfil

De João Pedro a 11.07.2009 às 23:06

Há sempre um maluco que gosta de se mostrar.
Sem imagem de perfil

De Daniel Nunes Mateus a 12.07.2009 às 13:03

Cada vez chego mais a conclusão, que, é preciso saber ouvir. Ter humildade, como referiu o professor Adelino Maltez . A intervenção deste rapaz, talvez um tanto desadequada, podia ter elevado a discussão. A atitude desprezível do jurista do Minho, representante de uma concepção jurídica fossilizada " é que não permitiu. É falta de educação rir-se na cara das pessoas. Mesmo que apareça um individuo de Kilt , a dizer que é revolucionário.
Este evento, foi importante, para um evidenciar de problemas de mentalidade, que, impedem falar-se sequer de uma nova constituição. A postura presunçosa, e a falta de educação desse senhor, acho eu Historiador do Direito é que devia ser pensada. Só assim, podemos, começar a pensar numa nova ordem constitucional.
Se o professor Adelino Maltez , estivesse presente, penso eu, que não permitiria, que o rapaz sofresse tamanha humilhação.
Sem imagem de perfil

De Ricardo Gomes Silva a 12.07.2009 às 20:22

Caros ,

Temos de ser realistas e conscientes de que vivemos uma época onde não há espaço para maluquices...por muito curiosas que sejam

Contrariamente ao que já aqui se disse sobre rir à gargalhada...não vejo grande motivo para rir.
Jovens ignaros como a fraca imitação de escocés há ás "paletes" muito por culpa dos partidos que temos, das escolas irresponsaveis que abastecemos e do regime que lá vamos sustentando com os impostos.
Até posso apostar em como existem muitos ex-PR´s que até aplauidíriam como exemplo a seguir pelos restantes jovens

bem haja
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 12.07.2009 às 20:55

O rapaz fez mal em ter saído logo que terminou de falar, porque na verdade, se houve quem tivesse rido, a maioria, contudo, compreendeu o que ele quis dizer. para mais, um membro do painel até confirmou a necessidade de uma reflexão acerca daquele aparentemente deslocado discurso.
Sem imagem de perfil

De Lady-Bird a 13.07.2009 às 01:07

como é que eu perdi isto?????? lol, sinceramente...

beijinho
Sem imagem de perfil

De Daniel Nunes Mateus a 14.07.2009 às 21:00

Tenho de concordar com o Samuel e com o Nuno. O revolucionário podia ter ignorado o risinho e permanecido na sala. De certeza que a discussão tinha-se elevado. Mas ninguém é igual a ninguém.

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Em destaque

  •  
  • Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas