Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A minha resposta aos saudosistas do Cunhal

por Nuno Castelo-Branco, em 02.08.09

O Quisling português, "camarada-coronel" (1) da Guarda Vermelha do Kremlin, Álvaro Cunhal, recebe no 8º Congresso do PCP (na FIL), o respectivo estandarte de honra do Partido Comunista da União Soviética (2)  que lhe confirma o estatuto  de fidelíssimo. Ao seu lado,, Bóris Ponomariov, o ideólogo do PCUS que lhe transmitia as directivas.

 

 

 Do Senhor J S Teixeira e a propósito do link feito ao post do Combustões, recebi o seguinte comentário:

 

De JS Teixeira a 2 de Agosto de 2009 às 09:59
Se Cunhal, que foi um lutador de causas e uma das grandes personalidades que permitiram que hoje o Sr. . Nuno Castelo-Branco pudesse escrever aqui no blogue, "mal existiu", imagine-se a insignificante importância daquilo que o Sr. . escreve sobre ele.
E eis a minha resposta logo mais abaixo no mesmo comentário. A única possível, sem floreados, correcções de texto ou de conveniências:
 
Se o sr. JS Teixeira reparar bem no que leu (?), concluirá que infelizmente nem sequer fui eu a escrever o texto: dê-se ao trabalho, clique sobre as letras vermelhas e poderá lê-lo na íntegra e saber quem é o legítimo autor.

Quanto ao tal Cunhal ter proporcionado a minha liberdade de escrever o que me apetecer, não lhe reconheço nem um milímetro de mérito, pois sei bem o que ele me reservava. Aliás, quando cá cheguei exactamente no dia 31 de Agosto de 1974, esse imbecil andava a açular contra nós os seus crédulos seguidores. Cunhal era um inimigo da liberdade - e de Portugal - , uma criatura horrivelmente fria, calculista, fanática e sem escrúpulos. Abjecto, mereceu bem a bandeira do PCUS que o sr. Ponomariov lhe ofereceu num congresso do PC na FIL: o reconhecimento formal de um traidor à sua própria pátria. Resumo a carreira de Cunhal a isto. Ponto final.
 
Declarações de Álvaro Cunhal, numa entrevista a Oriana Fallacci (L'Europeo, pág.42, 13 de Junho de 1975)
 
Cunhal: "Nós, comunistas, não aceitamos o jogo das eleições. Não, não e não! As eleições não me interessam nada! Nada! Se crê que a questão se pode reduzir às percentagens dos votos obtidos por um partido ou por outro, engana-se redondamente, se pensa que o Partido Socialista com os seus 40% e o PPD com os seus 27% constituem uma maioría, não percebe nada. Eles não tê a maioria".
O. Fallacci: "Está a brincar, Cunhal? Ou a matemática é uma opinião?"
Cunhal:  "As eleições nada têm a ver, ou têm muito pouco, com a dinâmica revolucionária, quer isso lhe agrade ou não, agrade ou não aos socialistas. O processo eleitoral não passa de um complemento marginal daquela dinâmica."
Percebeu, Sr. J S Teixeira? Já agora, estendo a questão ao Dr. Soares e outros amnésicos da praça.
 
(1) "Tovarich Polkovnik" Cunhal
(2) Em que baú terão escondido tão veneranda relíquia?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:05


5 comentários

Imagem de perfil

De alcofribasnasier a 03.08.2009 às 02:16

Apoiado , Nuno ! Sou o Luís , do Montijo . É sempre bom refrescar memórias e chamar os bois pelos nomes!
Sem imagem de perfil

De Luís Bonifácio a 03.08.2009 às 09:32

Importa referir que a edição Portuguesa de a entrevista com a história viu censurada a sua edição em Portugal. A Entrevista com Álvaro Cunhal não constava nela, ao contrário da edição original.
Como naquela altura os editores ainda tinham treino, a Bertelsmann (Círculo de leitores) colocou a entrevista como perte integrante da própria capa.
Imagem de perfil

De João Pedro a 03.08.2009 às 11:56

Esfrego os olhos sempre que alguém considera Cunhal como "um combatente da liberdade". Até acho que o homem tinha qualidades raras - inteligência, coragem, espírito de resistência, além de alguns talentos artísticos, como demonstrou ao traduzir obras de Shakespeare e ilustrá-las com pinturas suas - mas como diz o Nuno, era frio, calculista e fanático. já conhecia a sua entrevista a Falacci, que demonstra na perfeição estarmos perante um estalinista puro e duro. Como teria sido se fosse democrata e não comunista?
Imagem de perfil

De alcofribasnasier a 08.08.2009 às 19:42

Apoiado , Nuno . Isso é gente que nunca me enganou.
Sem imagem de perfil

De CAR a 11.08.2009 às 00:29

Caros,

Nota-se certa dualidade de critério no que ao outorgar de idonéidade, ou veracidade, respeita.

Essa entrevista não plasma de forma literal a opinião de Álvaro Cunhal.
Por outra parte, se quisermos, se não pretendermos continuar o jogo do imperialismo que no traz famintos de liberda por esta marisma na qual se tornou a sociedade, podemos discernir, com base no conhecimento da palavra "revolução", entre ditadores e revolucionários.
Neste caso, pessoalmente só posso estar de acordo com a opinião de Álvaro Cunhal, reiterando a sua afirmação de que, não são as maiorias quem governam, hoje governa a oligarquia. Manipulando, oprimindo, segmentando as populações.
Quem afirma que a questão dos direitos do povo se pode solucionar reduzindo a questão à percentagem de votos deste o daquele partido, vão-me permitir, carece de conhecimento da realidade.

Assim mesmo, também pode acontecer que, no concernente a essa realidade, prefiram manter os olhos fechados ou, o que seria mais grave, queiram tapar olhos aos seus iguais.

Cumprimentos

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Em destaque

  •  
  • Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas