Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Brincar com o fogo.

por Cristina Ribeiro, em 16.09.09

Com este cenário, com as medidas catrastróficas do BE, é muito previsível a fuga dos empresários para o Estrangeiro, onde ninguém é suicida nem inconsciente, e então esperemos que os políticos estejam preparados para criar empregos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:19


8 comentários

Imagem de perfil

De António de Almeida a 16.09.2009 às 12:40

Julgo que Sócrates está a procurar um posicionamento à esquerda para não perder eleitorado para o BE, mas sabe ser impossível um acordo com o radical Louçã.
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 16.09.2009 às 18:05

Um acordo, não, mas " entendimentos parlamentares " que terão como contrapartida cedências às demagogias bloquistas...
Sem imagem de perfil

De Daniel Nunes Mateus a 16.09.2009 às 17:43

O BE como governo é uma realidade utópica! Mas em coligação é uma boa alternativa. Não podemos ver as coisas desta maneira tão pessimista. Não podemos deixar que a nova Ditadura do século XXI seja empresarial, com a desculpa de que os empresários é que geram riqueza. Mentira! São as pessoas! Mas, sem duvida que o papel do Estado é a garantia desse poder da sociedade civil. As propostas do BE, podem ser um pouco irreais, mas, em conjunto podem ser boas para discusão. Não critiquemos demasiado.
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 16.09.2009 às 18:09

As pessoas geram riqueza se tiverem trabalho. Quem cria condições para que haja trabalho são os empresários, não é?
Sem imagem de perfil

De Daniel Nunes Mateus a 16.09.2009 às 18:27

Será assim tão redutor quanto isso? Ou está aberto à discussão? Até que ponto um empresário gera o que for, só por ter dinheiro? E até que ponto o lucro serve de eterna desculpa para não se dignificar o trabalhador? Eu não concordo com Louçã a 100%. Mas, também não concordo contribuir para uma ditadura empresarial, que esta forma de globalizar está a formar. O mundo não é prefeito e a ciência económica é prova disso. Como tudo na vida, tem de ter regras, também as empresas devem ter. Porque a anarco economia é ditadura. Liberdade na economia é aceitar a existência de parâmetros de acção justos e iguais. E não vou ficar sentado, quando, pode ser diferente. Pois quem paga sempre é o mais desfavorecido. Só por isso acho que Louçã têm algo a dizer, para a sociedade civil reflectir
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 16.09.2009 às 20:06

A dignidade do trabalhador, a humanização no trabalho é um direito tão natural que nem sequer entra no jogo demagógico e fantasista de Louçã.
Sem imagem de perfil

De CBO a 16.09.2009 às 18:50

Puro oportunismo, Cristina. Do PM- porque não desmente- e também, em minha opinião, de alguma imprensa que pretende lançar a ameaça de um papão que só existe na fantasia de alguns jornalistas.
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 16.09.2009 às 20:23

Pois, enquanto não houver esse desmentido, o cenário é admissível, Carlos. E começa a parecer que ele não existe só na fantasia de alguns jornalistas: veja esta análise do debate entre os dois
http://novo-rumo.blogs.sapo.pt/81018.html

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Em destaque

  •  
  • Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas