Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Que vivo num país surreal,

por Cristina Ribeiro, em 24.09.09

é a única coisa que se me oferece dizer, ao ler  isto.....

Quem fracassou mais do que este partido, a quem, incompreensivelmente - por mais que se tente entender - os eleitores se preparam para pôr novamente no governo? Delírio colectivo?

A febre chegou, e  o resto ( ? ) de vergonha que pudesse haver, ainda, evaporou-se definitivamente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:12


6 comentários

Sem imagem de perfil

De CBO a 24.09.2009 às 12:53

Creio que estão a cantar vitória cedo demais e ainda vão arrepender-se, Cristina. Qualquer deslize de última hora pode ser fatal e ontem um dos cromos da rosa ( um tal junqueiro, que ficará célebre pelo seu anedotário) já deu um tiro no pé.
No fundo, porém, compreendo os portugueses. A alternativa tem tão pouca credibilidade e vem revelando um comportamento tão distanciado das realidades do país, que criou nos portugueses a ideia de que todas aquelas contradições eram uma prova de fraqueza.
Por outro lado, não caiu bem nas pessoas o constante carregar em teclas como "asfixia democrática" ( enquanto elogiava a Madeira) e a sua proclamação como arauto da Verdade.
Finalmente, quando o PSD lançou o papão do BE, as pessoas começaram a perceber que havia por ali muita falat de serriedade e o recurso a "medos2 em que as pessoas não acreditam. Os portugueses podem não perceber nada de política, mas não gostem que lhes passem atestados de menoridade mental!
Imagem de perfil

De António de Almeida a 24.09.2009 às 13:10

Um verdadeiro cenário dantesco, a pior calamidade que assolou este país nas últimas décadas...
Sem imagem de perfil

De Miguel Neto a 24.09.2009 às 13:15

Eu acho é que é dramático!

Dramático porque temos um partido que foi governo em 12 dos últimos 14 anos e que pergunta aos portugueses sem toda a gente se desmanchar a rir: julguem a oposição ao governo nestes últimos 4 anos e meio, não julguem as acções do governo.

Dramático porque parece que há muitos portugueses que acreditam que o dinheiro do Estado é ilimitado e que portanto pode ser gasto ilimitadamente.

Dramático porque os portugueses pensam que o país foi mal governado mas acreditam que a oposição ainda governaria e governará pior.

Dramático porque os portugueses não estão pessimistas por causa da crise, mas porque olham para quem os pode governar e ficam deprimidos.

Dramático porque parece que muitos portugueses não acreditam que, se continuamos neste caminho, em 2020 seremos o país mais pobre da Europa.

Pertencemos à UE. Se Sócrates se mantiver no governo e se governar como diz que o vai fazer, daqui a uns três anos a Commissão Europeia manda para cá um comissário qualquer para "pôr o governo nos eixos". Uma vergonha! Mas em último caso, a última esperança.
Sem imagem de perfil

De Luísa a 24.09.2009 às 16:23

Cristina, não comento o ridículo da afirmação. Conto que o ridículo seja mais ou menos óbvio para todo o mundo. Mas confesso-lhe, muito entre nós, que – talvez por cansaço - começo a ficar indiferente aos resultados eleitorais (sem que isso signifique que não tenha preferências). Os próximos anos podem ser destrutivos para quem detiver o poder, e se o forem, que o sejam para quem tão mal nos tem governado desde há uma década. Quanto a nós, cidadãos, havemos, de uma forma ou de outra, de nos safar – safamo-nos sempre - atendendo a que a travessia do deserto é já uma garantia com qualquer governo. É aguentar mais dois ou três anos, agora com uma oposição menos impotente, espera-se…




Sem imagem de perfil

De Luísa a 24.09.2009 às 16:24

Isto não significa que já tenha perdido a esperança... ;-D
Sem imagem de perfil

De john a 25.09.2009 às 15:40

Tem toda a razão, Cristina. A solução é emigrar. E infelizmente não estou a ser irónico.

Mais quatro anos de Sócrates é demasiado mau. A possibilidade de quatro anos da dupla Sócrates e Louçã é inenarrável, digna de meter medo ao bicho papão, ao Freddy Krueger e ao Chuck Norris ao mesmo tempo. Por má que seja a oposição, é incompreensível que o pensamento das pessoas se fique "mudar para quê?".

Enfim, se os resultados das sondagens se confirmarem, é tratar do passaporte no dia 28.

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas