Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

Programas-de-formación.jpeg

 

Poderia começar este soneto com o seguinte adágio - um dia plasma, no dia seguinte papel higiénico. De uma vez por todas, para que não apareçam todos com cara de espantados e a equivalente expressão estampada na face "não sabia de nada", talvez seja o momento, embora já com um atraso enorme, para efectuar o inventário exaustivo de TODOS os contratos firmados por todos os governos de Portugal. Dêem um nome à coisa; auditoria do Estado, fiscalização continuada dos contratos firmados pelo governo, mas por favor evitemos as novelas sem fim. Para cada plasma corrompido deve haver material requisitado a outras mono-entidades. O problema fundamental prende-se com o seguinte. O regime político vigente em Portugal assenta no clientelismo, que se em tempos fora discreto, nos últimos tempos assumiu a forma descarada, sem vergonha, despudorada. Sabemos sempre à priori que nunca há culpados nem responsáveis. São coisas que acontecem. A matriz cultural do país aponta no sentido da normalização dos desvios e extravios. E essa "norma" comportamental afecta todos os quadrantes da realidade. Monopólios há muitos. Existe o monopólio do emprego dado ao sobrinho pelo director da empresa pública. Existe o monopólio dos restaurantes que ganham as estrelas Michelin. Existe o monopólio de um certo local onde é possível dar um jeito a processos burocráticos. Existe o monopólio do humor que está nas mãos de certos intervenientes que querem corrigir com uma mão a borrada feita pela outra. Existe o monopólio do agenciamento de jogadores de futebol. Existe o monopólio de grupos editoriais que dominam os manuais escolares. Existe o monopólio de críticos literários que tornam os seus amigos escritores muito mais apetecíveis. Enfim, existem monopólios sem fim que mataram a ternura e a inocência daquele jogo de tabuleiro que, bem vistas as coisas, afinal era uma ferramenta para transformar indíviduos e sociedades em meras entidades cínicas dispostas a trocar fichas humanas em nome do lucro fácil. A maralha toda que faz parte deste conluio de favores e recompensas não passa de agiotas. Venha de lá aquele programa para debater os prós e contras do plasma. Já chega.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:32


3 comentários

Sem imagem de perfil

De isa a 16.12.2016 às 15:44

Um verdadeiro pantanal e a grande maioria colabora, contente por ir apanhando umas migalhas e nem sequer imagina que não passa de um escravo de um Sistema corrupto e completamente podre ("normalização dos desvios e extravios") 
Nada mudará sem a revolta dos escravos mas... 
"I freed a thousand slaves. I could have freed a thousand more if only they knew they were slaves" Harriet Tubman

As mentes foram bem "lavadinhas" e não conseguem ver os lavageiros, portanto, para alguma coisa mudar só por coincidência ou mero acaso 11:11




Sem imagem de perfil

De isa a 16.12.2016 às 17:02

Só quero acrescentar que não é um exclusivo português, aliás, fará mais sentido num contexto Global, a malta percebe que pode comer um hambúrguer igualzinho em qualquer parte do mundo, até no tamanho do pickle mas, não percebe como uma elite, o tal 1%, consegue controlar as suas vidas, os primeiros criam franchising's, os segundos, com verbas ilimitadas de dinheiro ("pequenas" fortunas de 500 Triliões) só têm de corromper e comprar gente. 
Infelizmente, o pior ainda está para vir.


Pode ver um vídeo e não acreditar mas, depois, vê o 2º e, o que sofre um deputado europeu por, simplesmente, falar a Verdade. Quem tenha, no mínimo, um neurônio disponível começaria a pensar sobre o caminho por onde nos estão a levar mas, a maioria é como o pão... Bimbo
O 1º vídeo, escolho ao acaso, há milhares (pode ver o mesmo, na Espanha, Alemanha, Suécia, Bulgária, Inglaterra, Itália...) mas, percebemos porque os média "tradicionais" apenas dão, diariamente, horas e horas de futebol (esconder porquê e para quê? Quem estão eles a servir?). 


https://www.youtube.com/watch?v=VeDjrHdTsv8&t=18s
Europe is Doomed. Don't believe it? Look at Paris, France



https://www.youtube.com/watch?v=ErTLEXJo1QA&t=14s
Marcel De Graaff talks about mass rapes by hordes of illegal migrants
Sem imagem de perfil

De RISONHO a 28.12.2016 às 20:07

Olhe...ponha a Alecsandra Borges ...é mais fino, tá a ver, na fila da ética para a casa de banho, e muna-a com papel higiénico, que ela vai precisar, digo eu de que. O conceito que ela e troupe teem de monopólio é muito brincalhão e para já, conseguiu pôr o mundo português, de portugal, é assim que ela fala até engasgar-se, a cantar "mais um clientelismo", ela até descobriu como resolver um problema de armazenamento de plasma, mandando o ministro fazer diretrizes rápidas, como as "reportages" que ela faz assim pontuadas com a caneta na mão da dita, em dó muito agudo, com o sorriso benevolente do presidente do ISPT. A alecasandra borges é uma heroína, e a sua expressão na TVI incha de modéstia risonha à medida que a parabenizam no ecran. Agora vou ler o seu artigo sobre favores e clientes, enquanto o alegado corruptor ativo anda solto, o passivo tá dentro e a alecsandra anda a pavonear o seu big wisdom sobre o plasma no Iraque e na américa do nobama. 

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas