Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




PS dispensa o BE e o PCP

por John Wolf, em 25.11.16

fora-daqui.jpeg

 

Existe uma frase-chave no artigo do jornal-online Observador: "se as eleições fossem hoje o PS de António Costa teria 43% dos votos, ficando muito perto da maioria absoluta e podendo dar-se ao luxo de dispensar os partidos que o apoiam no Parlamento". Veremos então se o Largo do Rato aproveita a deixa das sondagens para começar a dispensa do BE e PCP. Um lider carismático (mais um) como António Costa já afirmou que está para dura(cell)r, que tem intenções de levar por diante o seu plano bi-quinquenal, a tal estratégia para a década. No entanto, para chegar a solo ao jogo teria de provocar eleições antecipadas. O PS teria de esticar a paciência de Catarina Martins, das manas Mortágua e do Jerónimo de Sousa para que estes interdependentes lhe tirassem o tapete de governação debaixo do rato. Quando saem sondagens nos dias de hoje, penso logo nas congéneres americanas e como acertaram em cheio na vitória de Hillary. As máquinas de propasondagem são ferramentas de trabalho utilíssimas. É só meter a conversa, que o aparelho, a verdadeira geringonça, tritura inconveniências e números desfavoráveis. Essa lampejo de aladino concede três desejos. Um para cada partido da trilogia de governação. O BE e o PCP daqui a nada começam a fazer contas à vida e a chamar de nelo-liberais aos patrões socialistas. Já faltou mais. Têm um belo exemplo de protecção social que está a ser administrada a António Domingues. Mas há considerandos mais importantes. Numa clara bipolarização ideológica da Europa, a ponte de consensos do PS talvez seja a sua única forma de continuidade. Se os conservadores varrerem a Europa e os planos majestáticos de António Costa acordarem de repente para um resgate à luz da protelada dívida a 133% do PIB, e de um serviço de juros incomportável, o PS passa a ser o vilão da fita e abre caminho para outra expressão ideológica em Portugal. Se o PS precisa destas sondagens favoráveis é porque algo vai mal no reino das utopias socialistas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:19


4 comentários

Imagem de perfil

De Luis Moreira a 25.11.2016 às 12:40

Muito boa análise. Os objectivos estão aí.
Sem imagem de perfil

De PiErre a 25.11.2016 às 17:37

Hoje comemora-se o 25 de Novembro, data em que foi afastado o perigo de uma ditadura comunista em Portugal.  Faz de conta, é claro...
Sem imagem de perfil

De JS a 26.11.2016 às 00:38

Sondagens  são só sondagens. Não geram PIB, nem quando são pagas pelo PS nem quando são pagas por qualquer outro partido. Quem pretendem enganar ?. 
Sem imagem de perfil

De isa a 26.11.2016 às 04:00

Dívida de 133,63% do PIB, só para actualizar porque, isto, com os tais "líderes carismáticos" cresce sempre mas, para o desastre e, quanto a juros são 257 euros/por Segundo, para uma população de 10.374.289 em que, tirando os que têm menos de 18 anos, ficarão uns 8.000.000, sabendo que, destes, mais de metade não produz riqueza para o País, como funcionários públicos, reformados e todos os que recebem ou não paguem impostos, pelo menos directos porque indirectos, nunca um "líder carismático" conseguiu, tão bem, dar com uma mão e tirar tanto com a outra.


Pior que a Dívida, será essa percentagem dos 43% porque, se isso for verdade, além de pobres e endividados, temos uma população que não sabe fazer contas básicas de somar e subtrair portanto, completamente manipuláveis e, nem sei se é impressão minha ou se estou com alucinações mas, cada vez que vejo o 1º ministro falar, fico "presa", não às palavras mas, à sua expressão facial, a um certo arzinho de gozo que, quase sempre, ele deixa transparecer e aí, instintivamente, acendem todos os meus sinais de alarme que só me fazem confirmar, sobre quem andará ele a servir, se o povo português ou o "grupinho" com quem andou a tomar "chá" e, para um homem com tantas ambições políticas que até conseguiu "chutar" António Seguro, um "camarada" do seu próprio Partido, fazer coligações que, no final, só irão beneficiar a ele próprio e, falando muito francamente, a este, não lhe confiava nem a minha caixa de costura (nem os botões escapavam), quanto mais o porta moedas e, muito menos, o Futuro deste País mas, quantos serão os que, verdadeiramente, estarão preocupados com o Futuro? 
Contabilizando os que foram "educados" no Facilitismo, no "Tudo, Já e Agora", os que acreditam, piamente, na possibilidade do crescimento Infinito de uma Dívida Infinita e os que, de cima até abaixo, se continuam a "alimentar" do aumento dessa Dívida... devem ficar a sobrar muito poucos.


O mais interessante é que este esquema Ponzi, a uma escala Global, só pode acabar muito mal e, nem me interessa os "bodes expiatórios"que irão inventar mas, como alguém dizia, "arranjem uma cadeirinha e as pipocas" e preparem-se para assistir, aos tais 43%  a "berrar" enquanto abanam os cartazes de descontentamento e a "correrem que nem baratas tontas", à procura do próximo líder carismático que os meta num "buraco" ainda maior mas, muito surpreendidos com as consequências de um resultado previsível e mais do que óbvio, pelo menos, à hora deste meu comentário... 4,00 h da manhã 

Comentar post







Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas