Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Singeries

por Nuno Castelo-Branco, em 27.02.15

FRA-Chantilly-GrSngre-monkey-int-det-Jacky-2008-4.

 

 A respeito de um desabafo de quem falava para uma assistência representante de alguns milénios de civilização, alguém classificou a ora como chinesices. Eis o resmungo de sonoridade estridentemente xenófoba do Sr. Barroso,  Alfredo.

 

Se Costa acabou por involuntariamente se ver livre de mais um membro da familiar oligarquia presumivelmente habituada à feijoada servida em louça de Cantão ou ao entesourar de colecções família rosa, temos por boa e única forma de classificar as palavras do ex-camarada, como apenas mais uma singerie. Mais uma, talvez não a derradeira, na diluviana série desta enxurrada de duas ou três gerações, se contarmos ou não, com o primordial e despadrado patriarca primo-republicano.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:16

Imbecis, imbecis por toda a parte

por Felipe de Araujo Ribeiro, em 17.06.14

 

 

Descobre-se que a Greenpeace acaba de perder 3,8 milhões de euros devido a investimentos especulativos em mercados cambiais.

 

Esta emite rapidamente um comunicado pedindo desculpa aos doadores, explicando que se tratou de um erro de um funcionário que actuara para além dos limites da sua autoridade, o qual foi entretanto dispensado.

 

Que não se preocupem os demais, que irão ser recuperadas as perdas deixando de investir-se em infraestruturas orçamentadas para o ano seguinte.

 

E é tudo, obrigado pela vossa atenção.

 

Quem não conhece a internet que a compre. Seria naturalmente inevitável que este caso provocásse uma onda de indignação monumental, a começar pelas redes sociais e pela página de Facebook da Greenpeace. Hordas de proto-imbecis rasgando as vestes, indignados ao saber que o destino escatológico das suas doações tenha sido o seu arqui-inimigo - os luciferianos mercados cambiais - e que as centenas de milhões de euros que são entregues todos os anos para a salvação da terna e suave Mãe-Natureza são afinal processadas em Wall Street por yuppies neo-liberais. Que cairia com o estrondo de uma sequoia gigante a quimera institucionalizada dos amantes de brócolos e pinguins roxos da Amazónia.

 

Quem não conhece os imbecis que os compre. Afinal, o que se viu foi que a reacção dos homenzinhos verdes é a de enaltecer da ONG a transparência e exultar com o seu fairplay e honestidade, enquanto renovam o seu amor incondicional com promessas de fazer mais e mais doações à tão honrada instituição.

É como fazer amor com uma árvore, enquanto se é sodomizado por um urso.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:38

O Rato que Ruge

por Fernando Melro dos Santos, em 22.09.12

Boa noite a todos.

 

Estamos no ano da Graça do Estado de 2017.

 

Os Portugueses, as Portuguesas, os Transgenders de Nacionalidade Portugues@ e os Cidadãos Diferenciados Enquanto Possuidores de Anomalia Psico-Dramática estão felizes. Portugal, num salto histórico, ocupa agora o primeiro lugar no ranking de felicidade subjectiva da OCDE.

 

Milhares de cidadãos, quiçá mais de metade da população activa de 2.000.000 de pessoas, por seu turno metade da população total de 4.000.000 de almas, passam os dias nas recém-refundadas zonas ribeirinhas de Setúbal, Faro, Ponte de Lima e Fonte do Bebe e Vai-te Embora, onde todo um litoral artificial foi construído para dar vazão às pulsões felizes do eleitorado.

 

A fruta nunca foi tão barata, tal como a sardinha, uma vez abolidos os atilhos das certificações internacionais. As crianças pululam com a jovialidade de cordeiros pejados de sacrossanta saúde, envergando as cores da Nação, garbosos nas peças de indumentária oriundas das indústrias renovadas de Vermoim, Ceide, Ronfe, Valdante e Baguim do Monte. Enquanto escrevo esta crónica ergue-se das cinzas outra fábrica, de resistências para torradeiras, na Z.I. do Soldado Desconhecido.

 

O gáudio é total e a revolução irreversível. A una e coesa massa lusitana confia nos seus líderes, Zeca I (anteriormente conhecido por Anacleto Louçã) e Maria Teresa Horta, na demanda do progresso ulterior.

 

Às vozes bota-abaixistas que venham bramir queixumes, o nosso desprezo.

 

Que importa isso? Quem é que sente falta dos ténis nike, dos cereais crocantes, do chocolate, de poder ir de carro levar os miúdos à escola, de ter um carro novo de 20 em 20 anos, das férias em Cancun, do cabeleireiro com produtos cosméticos aprazíveis, da carne de borrego, das bananas (morte aos sequazes do separatista Jardim! morte!), da malha polar, das bicicletas, das bolas e raquetes de ténis, enfim, de tudo aquilo que sendo supérfluo, a nossa magnífica e refulgente Nação em tardia hora decidiu, a bem de todos, repudiar?

 

Viva a Revolução! Viva o Novo Calote, moeda de heróis e ditosa divisa dos libertados! Viva!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:15

Idiotas úteis

por Samuel de Paiva Pires, em 29.02.12

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:51






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas