Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Deplorável!

por Nuno Castelo-Branco, em 20.10.11

Como dissemos logo no início da sublevação que acabou por derrubar o brutal e iníquo regime do Sr. Kadhafi, aconteceu aquilo que se esperava. Sem qualquer hipótese de julgamento, o ditador foi sumariamente executado. Tornou-se num hábito, esta forma de calar gente inconveniente para as novas situações que substituem as longas e antigas prepotências. Copiando o que se passou com Mussolini - este é um evento ainda mais estranho e com zonas muito sombrias que apontam para uma das potências aliadas -, o caso Ceausescu e o espantoso episódio do seu delfim Illiescu, trouxe a Roménia ao "Estado de Direito" que se sabe e se imagina e nada mais há a dizer quanto a isto. Paulo Portas fala num virar de página, quando devia pesar mais as palavras, pois nada de decente sairá de um horror destes. Nada.

 

Ironicamente, as imagens televisivas mostram algo de muito parecido com aquilo que sucedeu em 1945 na Piazza Loreto, onde Mussolini foi ignominiosamente pendurado semi-nu para gáudio daqueles que umas semanas antes, berravam Saluto al Duce! Por enquanto, os antigos comparsas de Kadhafi podem continuar descansados por mais uns meses pois inevitavelmente chegará a sua hora de prestar contas. Jalil não perderá pela demora. É que nas revoltas a que se dá o nome mais sonoro de revolução, a primeira leva de heróis é desde cedo substituída por outra mais ciosa de pergaminhos pessoais, por muito recentes que sejam.

 

Tudo isto é deplorável e perfeitamente escusado.

Tags:

publicado às 19:29


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Giovinezza a 23.10.2011 às 15:48

Saluto Al Duce!

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas