Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Mais uma "da Europa"

por Nuno Castelo-Branco, em 15.12.11

Com o empernado regozijo da esquerda portuguesa - que no P.E. teve cinco dos seus PS, PC e BE votando a favor -, foi chumbada a prorrogação do acordo de pescas entre Marrocos e a "U.E." Burrices como esta, pagam-se bem caro.

 

Ainda não recuperada do desastre da política cavaquista e sucedânea que desferiu um golpe devastador na frota pesqueira nacional, os armadores portugueses terão de enfrentar mais um desastre, desta vez habilidosamente engendrado por parte daqueles que vêem no Saara Ocidental, uma possibilidade de um ajuste de contas dos tempos da guerra fria. Fosse Marrocos uma "república islâmica" ou de camaradas do timbre de um Kadhafi, decerto a votação teria sido bem diferente. O fito do interesse destes "europeus", é a possibilidade da criação de mais um Estado sem viabilidade e totalmente dependente daquelas generosas boas vontades que de imediato aterrariam no território, paternalmente exaurindo-o dos fosfatos e dos recursos pesqueiros hoje em causa. Um golpe velho e relho.

 

É este o cadáver europeu a que estamos ignominiosamente amarrados, por capricho dos nossos senhores bem refastelados na vida. Dentro de pouco tempo, estaremos já a falar da anexação pura e simples da até agora bastante teórica Zona Económica Exclusiva portuguesa, para nem sequer entrarmos no assunto das Selvagens que Madrid "acha" serem suas. Um esbulho que é tão infalível como a crise do regime. Sob o pretexto do federalismo, eis o novo Mapa Cor de Rosa que a República faz de conta não ver.

 

publicado às 14:22







Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas