Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Conselho de Ministros "informal"

por Nuno Castelo-Branco, em 20.12.11

Já repararam que todos os ministros tendencialmente suspeitos de pertencerem à "discreta", andam agora de penduricalho de esmalte verde-tinto à lapela? Ora observem bem esta obamisse bastante bushista. Até o nosso colega bloguista Carlos Abreu Amorim, agora elevado ao areópago de S. Bento, já anda com a coisa.

 

Bem a propósito, anunciou-se a grande novidade do Conselho de Ministros informal. Mas afinal, foi ou não foi um Conselho de Ministros? A menos que a formalidade seja apenas um sinal da obrigatoriedade da fatiota cinzenta e da gravata às riscas dos dias úteis da semana. Neste passado inútil dia de domingo, os modernaços informais apareceram de polo e pisaram as lajes de S. Julião com os seus ténis de fim de semana. Não vimos as formais motorizadas de 50c.c., mas lá estavam informalérrimas limusinas deixadas pela herança Sócrates.

 

Bem vistas as coisas, Salazar tinha razão, quando afirmou a Adriano Moreira que um Conselho de ministros podia reduzir-se a dois dos membros do governo, bem entendido, ele e o ministro em causa: ..."para Conselho, dois bastam."

 

E mais nada.

publicado às 00:44


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.







Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas


    subscrever feeds