Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Sem dar mais cavaco

por Nuno Castelo-Branco, em 28.12.11

No meio de toda a tormenta em que "los modernos del dinero" deixaram Espanha, o Rei João Carlos deslocou-se às Cortes, onde além de ter escutados entusiasmados "Viva el Rey!", recebeu a mais estrondosa e prolongada ovação parlamentar do seu longo reinado. Todos os grupos presentes o aplaudiram de pé e a Coroa é, sem margem para qualquer dúvida, a instituição mais prestigiada e que goza da maior confiança por parte da população do país vizinho. Aproveitando para dissipar qualquer dúvida, surgiram publicadas todas as despesas referentes à Coroa de Espanha e de imediato salta à vista, a abissal diferença entre aquilo que Portugal - ou melhor, os portugueses - entregam de mão repelentemente beijada ao Palácio de Belém e os montantes bastantes modestos, concedidos ao Palácio da Zarzuela. Até o conhecido oportunismo izquierda-gourmet do El País, teve de engolir em seco. Cai assim o essencialmente obsessivo argumento dos "gastos das Monarquias", pois nesta Europa em ocaso, qualquer República, por mais periférica que seja como a portuguesa, consome enormes quantidades de dinheiro e de criadagem - os famosos 500 de Belém! -, sem que isto tenha qualquer correspondência nas actividades exercidas pelos referidos Chefes de Estado. Pior ainda, ninguém imagina qualquer presidente da República Portuguesa, seja ele quem for, como um símbolo de unidade ou unanimidade nacional. Longe disso, ou antes bem pelo contrário.

 

Para infeliz previsível gáudio dos apoiantes destas "grandezas miseráveis" da República, aqui deixamos o texto em castelhano. O Sr. Cavaco Silva consegue a supina habilidade de gastar mais do dobro daquilo que os britânicos anualmente pagam per capita à Rainha Isabel II. Para que conste...

"Las otras Jefaturas del entorno

 

Perceberam?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:20


5 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.12.2011 às 22:47

Foi exactamente com esse intuito que eles cá se instalaram para não mais sair. Locupletar-se com os milhões de milhões a que pudessem deitar as mãos com toda a liberdade do mundo e consentimento total do povo, porque, hipócritas como um raio, andam a mentir despudoradamente há quase quatro décadas a esse mesmo povo alegando cínicamente que lhe devolveram a liberdade e que governam em seu nome...  e o pobre  povo continua a acreditar.

Sobre permitir que os portugueses se pronunciem em referendo  e 'em liberdade' sobre  se querem  ser governados em monarquia? Isso 'tá quieto!  É que nem  pensar! Lá se lhes ia para sempre a hipótese de continuarem a roubar desbragadamente os portugueses e  terminar a sua maior "obra": a destruição do que resta de país.  Não foi impunemente que eles barraram essa possibilidade  quando elaboraram a Constituição 'democrática'.  Eles sabem mais a dormir do que todos nós acordados.
Maria
Sem imagem de perfil

De Luis Henrique a 29.12.2011 às 01:24

Comparar o Silva e a Silva com Suas Majestades, os Reis de Espanha é uma crueldade!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.12.2011 às 12:07

E andamos nós a sustentar badameco atrás de badameco, cheios de criadagem, carros, cartões de crédito, amigos vadios, etc?!

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas