Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Um creme para as nossas leitoras

por Nuno Castelo-Branco, em 27.02.12

É imperioso o recurso aos produtos fabricados em Portugal, alguns dos quais são muito antigos e conseguem manter-se no mercado, tal é a comprovada qualidade. Este parece ser um caso de estudo, pois o Creme Benamôr (Fábrica Nally), foi preferido pela Rainha D. Amélia e por várias gerações de outras portuguesas. O aspecto gráfico é também algo de inusitado, uma beleza. Estou a pensar em iniciar uma série de telas em homenagem aos nossos produtos e aqui está a primeira, ainda por acabar.

 

Saiba mais sobre o Benamôr aqui e aqui. Pelos vistos, está de regresso.

publicado às 23:51


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Zeferino Zacarias a 28.02.2012 às 21:58

Belíssima tela.
Os meus parabéns pela arte, rigor e criatividade no domínio da cor, da luz, das sombras e dos ângulos... que o mesmo é dizer das linhas de fogo destas magníficas imagens.

 

ZZ

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.02.2012 às 22:42

Acabei de ver o vídeo sobre o creme Benamor e de ler o artigo sobre o Nally(?), de que o Nuno me falou. É exactamente como disse! Fiquei estupefacta com o preço do Benamor: 5 euros!!! O que eu uso para o mesmíssimo efeito, custa entre 35 e 55 euros, consoante o tamanho do boião...

O seu quadro está uma delícia. E muito a propósito, devo dizer.
Não se esqueça dos produtos Ach. Brito do tempo dos meus pais e avós e, imagine-se, pelo menos o sabonete ainda está à venda e até é bastante bom. Há 30 anos era carote, agora não sei. Parece que os norte-americanos, sobretudo californianos, os apreciam grandemente e o estão a importar em quantidades industriais...

Ah! E os produtos d'origem alemã <Nº.4711>? Água de colónia, sabonete e outros produtos, creio que só para homem? Não sei se tinham muito ou pouca qualidade, só me lembro de os ver nas montras das perfumarias, mas parece que voltaram ao mercado. Ou se calhar nunca o abandonaram :).
Maria
 

Comentar post







Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas