Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Rainha Sofia

por Nuno Castelo-Branco, em 20.04.12

.

 

Uma excepcional mulher que por muitas razões nos faz recordar,

 

 

 

 

 

 

 

publicado às 15:13


13 comentários

Sem imagem de perfil

De areia_do_deserto a 20.04.2012 às 15:30

Por Diós, Nuno, não vai querer branquear o episódio da chacina do elefante com a foto da Rainha com 2 pandas. Pelo menos, opte pela modelação mais subliminar!Image
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 20.04.2012 às 17:56

Pelo contrário, a atitude da Rainha para com os animais é o que a foto demonstra e o que quis sublinhar. Detesto "caçadas", um bando de parvos armados de espingardas, armando-se em valentões. Sejam lá eles quem forem.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.04.2012 às 18:03

veja:
http://www.diariodenavarra.es/20080924/culturaysociedad/dona-sofia-bautiza-lluvia-burro-protegido-peligro-extincion.html?not=2008092416490126&idnot=2008092416490126&dia=20080924&seccion=culturaysociedad&seccion2=culturaysociedad&chnl=40
http://www.google.com/imgres?q=reina+sofia+burros&um=1&hl=en&client=safari&sa=N&rls=en&biw=1560&bih=983&tbm=isch&tbnid=ZExipxe5GUEJEM:&imgrefurl=http://www.diariodenavarra.es/20080924/culturaysociedad/dona-sofia-bautiza-lluvia-burro-protegido-peligro-extincion.html%3Fnot%3D2008092416490126%26idnot%3D2008092416490126%26dia%3D20080924%26seccion%3Dculturaysociedad%26seccion2%3Dculturaysociedad%26chnl%3D40&docid=DNeYQZbKzuvNtM&imgurl=http://www.diariodenavarra.es/actualidad/20080924/fotos/2008092416520264_375.jpg&w=375&h=280&ei=gpWRT7joCom1hAeNvryHBA&zoom=1&iact=rc&dur=3&sig=115136209685096562236&page=2&tbnh=137&tbnw=157&start=38&ndsp=43&ved=1t:429,r:36,s:38,i:232&tx=198&ty=540
http://www.google.com/imgres?q=reina+sofia+burros&um=1&hl=en&client=safari&sa=N&rls=en&biw=1560&bih=983&tbm=isch&tbnid=CBcvA5T6R6n1RM:&imgrefurl=http://gpdhome.typepad.com/royalblognl_news_summary/2008/09/queen-sofia-not.html&docid=dR7d6EnxhNRk0M&imgurl=http://gpdhome.typepad.com/photos/uncategorized/2008/09/24/sofiaezelkus.jpg&w=600&h=468&ei=gpWRT7joCom1hAeNvryHBA&zoom=1&iact=rc&dur=3&sig=115136209685096562236&page=1&tbnh=158&tbnw=203&start=0&ndsp=38&ved=1t:429,r:3,s:0,i:75&tx=354&ty=156
Sem imagem de perfil

De Mourão a 20.04.2012 às 15:54

As grandes Mulheres caminham na vida sem quase nos aprecebermos da sua existência...  deixando sempre um cunho de modéstia e serenidade alcançando mais tarde ou mais cedo o  estatuto de Senhoras...que nos obriga a prestar a devida vènia com total respeito...
Sem imagem de perfil

De areia_do_deserto a 20.04.2012 às 22:17


Nuno, então ok, até porque um casal não é uma cooperativa, é a união de 2 indivíduos, que podem ser totalmente distintos e, de facto, nota-se que a Rainha detém uma aura distinta do Rei- já assisti a uma conferência com ela na mesa de Honra e, ao lado,  estava a Maria Barroso que, perto dela, parecia uma folha de capim estorricada...
E, para além do mais, a imprensa cor-de-rosa Espanhola farta-se de aludir, nem que seja de forma subliminar, ao martírio da  Senhora, por múltiplos motivos relacionados com as pulsões do Rei de Espanha...
Até porque são poucos os pretéritos casamentos reais consumados por Amor, com excepção, agora, para a nova vaga de tentativa de aproximação da monarquia à plebe, após os fenómenos mediáticos Grace Kelly e Diana de Gales (esta não era plebeia, mas a sua relação com os media elevou-a a "Princesa do Povo", enquanto o Príncipe Charles mantinha a Camilla Parker Bowles como sua amante, que despertaram a monarquia para a importância dessa tendência...:)
Vejamos uma pequena análise quantitativa de casos recentes:
Paradigma: Grace Kelly (plebeia) e Diana de Gales (nobre, mas muito perto da plebe:)

- Príncipe da Holanda + Cristina (plebeia), Filha de um ditador Argentino.
- Príncipe Filipe + Letízia (plebeia)
- Príncipe William + Kate Middleton (plebeia)
- Princesa da Suécia + um plebeu...

Padrão: 2 seguiram Diana no fenómeno da anorexia, vai-se lá saber porquê...

Creio que o Príncipe Filipe herdou a aura da Mãe, mas há umas das infantas que é tal e qual o Pai- a mais feiota, que já se divorciou de um duque tb retratadpo pela imprensa pink espanhola (o que fazer? tive de ler catrefadas de produtos culturais do género para a 1ª tese, não para saber das fofoquices, mas para chegar ao âmago da questão, mas por incrível que pareça, comecei a perceber que aquilo é um mancial para perceber intertextos até judiciários...:) como playboy.
E o Iñaki e a sua Infanta que pareciam um casal tão querido e pumba :) rebenta o escândalo de o ex-jogador supostamente se ter metido em negócios ilícitos. No melhor pano cai a nódoa!
De qualquer das formas, tb é uma Lição Divina, pois a Casa Real Espanhola quase sempre desprezou a Monegasca, pelo seu pretérito passado corsárico e pela vida pessoal algo errante da Princesa Stéphanie. Engraçado, como até aqui "o que parece passa a ser", senão vejamos- a Princesa Stéphanie sempre foi transparente e foi a que foi mais afectada pela morte da Mãe, que adorava; a Princesa Carolina, que tem um nariz empinado como tudo, desprezandoo a irmã, para depois tb levar uma Grande Lição, depois do desgosto da morte do Casiraghi, casou-se com alguém que os media descrevem como um déspota muito amigo do álcool, que diz-se que dizem era muito amigo do barão von Breyski, residente em Portugal até à sua morte (é assim que se escreve???!!!sim, o das festas  e das noivas sucessivas que apresentava, nas revistas cor-de-rosa, em campanhas autopromocionais como novos produtos....:).

Bem, convenhamos que o Sr D. Duarte e Sra D. Isabel são Pessoas de Bem e de Carácter, até porque, como já afirmei, sendio eu, na essência, muito Cristã, renascentista e republicana (que mixtura!!!:), pois acredito que o valor de um indivíduo não está na consaguinidade, mas no teor da sua alma, já me convenci que, face a esta Res Púbica das bananas valeria mais termos uma Monarquia Constitucional- poupar-se-ia muito nos gastos, pensões vitalícias  e mordomias dos Presidentes da República assim como a imagem de marca de Portugal como país muito pequeno que é sairia capitalizada no seu reposicionamento no mercado simbólico das nações....

Enfim, uma coisa é certa :) a Justiça Divina É Implacável e não há monarca algum que lhe escape! Su Majestad matou um Ser Inocente por prazer e foi dar com a bacia partida ao hospital. Aliás, o historial de Su Majestad aqui em Portugal demonstra bem como sempre adorou armas e disparos!Image
Sem imagem de perfil

De areia_do_deserto a 20.04.2012 às 22:25


Ah, escapou-se-me o Alberto do Mónaco + a  Sul-Africana Charlotter que a imprensa cor-de-rosa afirmou ter tido vontade de se pisgar para a sua Mátria, para fugir a um casamento- vai-se lá saber porquê!!! E até disseram que o seu noivo mandou fechar o aeroporto para ela não se escapulir!
Por acaso, o Príncipe Alberto, já que assumiu a paternidade de 1 ou 2 Filhos com uma ex-hospedeira Africana bem que poderia aderir às tendências trendy e ter-se casado com a Mãe dos seus Filhos. Teria sido muito melhor para a Dignificação da Casa Monegasca, garanto-lho!Image
Sem imagem de perfil

De areia_do_deserto a 21.04.2012 às 01:09


ai!Image
Sem imagem de perfil

De areia_do_deserto.i.e_Isabel_Metello a 22.04.2012 às 17:55


Nuno, mas adorei o acrescento da imagem do burro, o que só demonstra que a Rainha partilha de mais um dos meus traços distintivos vivenciais- o gosto por burros- sabe que, em Moçambique, o meu livro preferido intitulava-se: "O Burrinho Cantor", porque nunca tinha visto algum que fosse, pois os primeiros Animais que vi eram os da Savana Africana, pois fui criada no mato até ao último ano em que fui para a Beira: Leões/Leoas, Macacos(as), Elefantes, Girafas, Cobras (ui!!! eram mato! :)
Ora, e o que perguntei logo à minha Mãe quando soube que íamos regressar era se erm Portugal havia burros, pois queria ver um.
E não é que quando íamos, certo dia, em direcção a Sta Apolónia vi uma carroça puxada por um? Fiquei fascinada- nunca tinha visto nem uma carroça nem um burro!
O Meu Pai conta que, certa vez, tentaram introduzir este animal em Moçambique nos hábitos de trabalho das populações nativas, mas não deu resultadio e os burros que restaram ficaram nas suas 7 quintas- eram livres e pastavam o dia todo. Até havia um, conta o meu Pai, a quem um médico oferecia todos os dias um copo de whisky o que o fazia subir escadas- já viu isto? Um burro a subir escadas?

Bem, tenho de reconhecer que, modelada pelo universo dos livros da Anita pensava que Portugal era assim cor-de-rosa, mas quando cheguei a cor que vi era o cinzento do mais cinzzento que se possa imaginar!
Senti-me traída, pela primeira vez, com a literatura, para além de outros símbolos!
Eis, mais tarde que descubro que o mito de que as capacidades cognitivas de um burro são como as de uma galinImageha estão completamente erradas- diz um eminente pedagogo que é um Animal muito pedagógico tanto para Crianças como para adultos, pois é de uma Sabedoria Extrrema! Pronto, lá me pacifiquei, ainda mais quando vi mais do que 10.000 x o Shrek- quem tem Filhos tem de rever vezes sem conta os mesmos filmes- eis que lá aparece um Burro e logo com a voz do Eddie Murphy, que adoro, na versão não dobrada!
http://www.youtube.com/watch?v=gfP8eS5LuEA (http://www.youtube.com/watch?v=gfP8eS5LuEA)
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 22.04.2012 às 20:36

Subscrevo o que aqui deixa, mas já agora, lembra-se daquele filme, hoje censurado, "O Zé do Burro"? O que eu ri na altura. E não é que estava certo? A prova disso é o resultado de mais de três décadas de sapiente "governo" "dus Firilimo"
Sem imagem de perfil

De areia_do_deserto.i.e_Isabel_Metello a 22.04.2012 às 22:05

Não vi o filme ou se vi não me lembro (perdoem-me a falta de pontuação e outros lapsos, mas a escrita brainstórmica tem destas coisas, mas prefiro assim- escrever ao som das teclas :) mas vou perguntar à minha Mâe- posso ter visto (a tv, chegada a Portugal, foi o meu babysitter (nunca pude despedir-me do meu babá nem do cozinheiro (que adorava os meus refilanços ao almoço, mesmo Bebé! :), que, a par da minha Avó e Mãe (o meu Pai era um Homem muito ocupado- era administrador do concelho e anadava sempre no seu jeep e com os seus Melhores Amigos- os empregados, entre os quais o Cipaio a tratar de melhorar as condições de Vida das populações e a lutar contra certos interesses estabelecidos...), me Deu tanto Carinho- sei que, se tiver já morrido, é um dos meus Anjos Protectores...:) vi todos os filmes do Fred Astaire, do Johnny Weissmuller, tudo...
Lá, não tínhamos televisão, mas foi uma infância tão rica, que nos deu cá uma estaleca (tinha tanto medo da Xipoca, que, diziam os empregados, era um monstro!!!:), ao que se acrescenta a Ponte Aérea- viemos num avião militar e fomos obrigados a aterrar em Luanda e mais metralhadoras apontadas e os meus Pais e toda a gente sem saberem se iríamos ser fuzilados (lembro-me da expressão da cara dos adultos, em pânico...:)- foi horrível ! Lembro-me de que, quando chegámos, os Moçambicanos se saudavam quando viam um carro com volante à direita, lembro-me tb dos insultos dos da Metrópoleno espaço público e do gozo perante a nossa pronúncia carregada e de ter ido a uma mercearia pedir uma chwinga e um icecream e o homem ficar a olhar para mim sem saber o que eu queria...lá apontei para as Gorilas e para um gelado da Olá, pensando- mas isto não sabe aos gelados italianos da Beira ou do homem do carrinho que tocava um sininho e a minha Avó lá ia comigo buscar o icecream; mas isto não sabe às chwingas... E os chocolates? Ui!!!- mas isto não é chocolate como os da África do Sul e por que é que, aqui, não bebem leite condensado ou Milo?
Lembro-me de os Frilimo, tantos que nem eram Moçambicanos, entrarem na sala de aula com armas,  e de nos fazerem cantar o hino da Frilimo com o punho levantado- lembro-me desta cantilena: "Frelimo azatawa Mçambiqui, Spinóla, Spinóla azagwea Mçambiqui". Lembro-me tb de umas catanas horrorosas a nós apontadas e da sentença: "branco capinar"- o que nos salvou (3 Crianças no carro) foi um dizer: "deixar btranco passar, branco é bom", mas nunca mais esqueci aqueles olhos e aquela multidão em fúria a abanar o carro; lembro-me  de uma bomba prestes a explodir no prédio que habitávamos, cheio de Crianças. Tínhamos um parque enorme, com tabelas de basket, baloiços resistentes, um labirinto e uma carcaça de um táxi. Quando do alerta da bomba, avisaram-nos para não puxarmos os fios do táxi- claro que os puxámos todos- o que valeu é que estava na lixeira. Lembro-me de me despedir, em pranto, abraçando-o com todas as forças do meu ser, do meu grande Amigo de infância na Beira, sabendo, intuitivamente, que nunca mais o voltaria a ver. Costumávamos apanhar caranguejos no pântano do Xiveve e colocar grandes gafanhotos em sacos para despejá-los nas cabecitas das meninas menos traquinas. Eu tanto me dava com os rufias como com as meninas, mas o meu Amigo nunca mais o vi.
Chegada a Portugal, perdi o chão, tornei-me reservadíssima, o que me valeu foi ir com a minha Mãe em Cascais, de braço dado até à Escola a pé, onde tive uma Professora que me deu tanto Carinho como a da Beira! Perdi-lhes tb o rasto. E tb me lembro de tanto Carinho que recebi de uma herdeira de um grande magnata Português, Mãe de uma minha Amiga da Escola, de uma simplicidade tocante! Pessoas que nunca mais vi, mas que Terão sempre a minha Eterna Gratidão!
Sem imagem de perfil

De areia_do_deserto.i.e_Isabel_Metello a 22.04.2012 às 22:14


E claro que tb me lembro do Inhassoro, da Seta, o resort do Sr. Leonel, um piloto de excelência e Amigo do meu Pai que nos costumava levar na sua avioneta, daquelas águas translúcidas onde eu pela primeira vez engoli, literalmente, uma onda (os meus Pais tinham lá construído uma casa de férias, com o resultado de uma Vda de esforço e trabalho honesto- a minha Mãe era Professora do Ensino Primário e dava aulas de manhã até à tarde a brancos, indianos, negros, mestiços e tratava-os todos com o mesmo Carinho...:), de Mambone (para onde voei com apenas 1 mês de idade), do Chiúre...
Lembro-me que, quando saímos do Chiúre, toda a população se foi despedir de nós com lenços brancos e estávamos na zona dos Macondes, dos turras, perto de Porto Amélia, hoje, Pemba.
O que me dói mais é saber o sofrimento que todos os meus patrícios têm padecido- nem para eles algo ficou, foram remetidos a uma miséria ignóbil!Image

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas