Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O futebol e a pátria

por Samuel de Paiva Pires, em 28.06.12

Por estes dias, falham alguns em entender o mito que é a pátria enquanto, nas palavras de Karl Deutsch glosado por José Adelino Maltez, "uma comunidade de significações partilhadas" e, nestes tempos de paz na Europa, como esta se reflecte numa ligação emocional entre um povo e os seus representantes em actividades onde exista representação nacional, como o caso do desporto - em concreto, nestas últimas semanas, o futebol. Lembrando que a pátria é, como escreveu Miguel Torga, "o espaço telúrico e moral, cultural e afectivo, onde cada natural se cumpre humana e civicamente. Só nele a sua respiração é plena, o seu instinto sossega, a sua inteligência fulgura, o seu passado tem sentido e o seu presente tem futuro", vale bem a pena ler o Filipe Nunes Vicente e o Carlos Guimarães Pinto:

 

Filipe Nunes Vicente, O futebol e os intelectuais:

 

«As vitórias da selecção nacional suscitam orgulho aos portugueses porque o EURO 2012 é um parque de diversões para os símbolos nacionais. Nenhum problema nisto.  Nas guerras, as acções dos soldados, dos generais  e dos políticos suscitam o mesmo espírito e ninguém pensa que essa inflamação patriótica oculta atraso económico, maus hospitais ou insucesso escolar.

A ligação de um povo com a sua selecção não passa pela leitura de Píndaro ou pela exegese de Heidegger: é simples, directa e dura pouco. Como o sexo.

Os que contam bandeirinhas, se incomodam com  a cruz ou anotam os minutos imbecis dos directos, racionalizam o que não é racionalizável. Nunca tiveram um ataque de pânico ou uma obsessão?»

 

Carlos Guimarães Pinto, Os ateus do Futebol:

 

«Os ateus do futebol já fazem parte do folclore das competições internacionais de futebol em que Portugal participa. Para quem não sabe o ateísmo futeboleiro foi inaugurado por Pacheco Pereira e, entre coisas, consiste em passar todo o período das competições de futebol a falar sobre o quão irrelevantes elas são, da irracionalidade do gosto pelo futebol e sobre a forma como estes eventos distraem as pessoas dos assuntos importantes (por assuntos importantes, entenda-se, a política, a troika, o défice, o sacana do Sócrates e o demagogo do Louçã).
Tenho que concordar com eles: a devoção irracional pelo futebol contribui de facto para que muitas pessoas se esqueçam por um período de tempo destes assuntos. Mas não é só o futebol: um bom livro, as séries de televisão americanas, as quecas, os bikinis, os jantares de amigos, um bom cabrito, o sorriso dos filhos são tudo aspectos da vida que, sem motivo racional, nos fazem esquecer desses assuntos “importantes”. Os ateus do futebol estão certos relativamente à relação causal, têm é as prioridades de vida trocadas.»

publicado às 11:12


15 comentários

Sem imagem de perfil

De Isabel Metello a 28.06.2012 às 17:31


Quanto ao CGP, assusta-me a sua associação da fé futeboleira à Fé Religiosa (no que concerne À Autêntica e não à meramente formal, sem conteúdo, das falsas beataspapagueantes indulgentes, claro está, que aí terei de concordar com Marx, Eça de Queiroz et alii.....), ainda que compreenda que palettes de gente ainda modelada pela matriz da sociedade de consumo que a canalizou e canaliza para uma OVM (Orientação Valorativa Materialista- já leu, Sr, Dr, FNV, a obra que analisa este fenómeno??? Se não, recomendo-a- procure-a pela keyexpression em Inglês- só lhe digo a Editora :) A American Psychological Association...:), i.e., para o culto do exterior, esvaziando, mais ainda um vácuo intrerior abismal, facilmente modelável pelos sofistas do costume...aí está um dos busílis da questão!!!!  Pois, reforçando, A Autêntica Fé Assenta na Descentração, no Amor ao Próximo,na Empatia (não viu A Lista de Shcindler???!!!! até nesse campo somos uns desnaturados, pois enquanto Schindler salvou Vidas para as usar como mão-de-obra, Um Verdadeiro Santo, o Sr. Cônsul Aristides de Sousa Mendes, Salvou-as sem interesse absolutamente algum, i.e., pelo Amor Agapé, pelo Amor Cristão, que claro, gente hedonista, autocentrada e autosentada nunca compreenderá!!!!:), na Capacidade de Dar a Vida pelo Outro, mesmo que Este nos Seja Distante, na Auto-Superação e nunca, jamais, em tempo algum, na competitividade ego e etnocêntrica!!!!
....quando falo do desenvolvimento de Portugal não é por etnocentrismo, é por HUMANIDADE, de HUMANE, que de human being já todos sabemos do que esta espécie é capaz, não é Sr. Dr. Filipe Nunes Vicente???!!!! Já viu, acho que teremos sempre uma contundente pega virtual, pois temos essências opostas!!!ImageDou-lhe mais um conselho :) não fica muito bem a uma pessoa da sua área fazer palpites superficiais online, descredibiliza-o, mostra a quem realmente sabe os interesses que estão ao redor, percebe?- olhe, por exemplo, se me aparecesse, aqui, um obsessivo pelo F opiáceo, com ataques de pânico por bolas que rolam no relvado, eu nunca o conduziria ao seu consultório, pois sempre me apercebi que das duas uma :) (a) ou não detém competências para analisar a estrutura profunda; (b) ou tal não lhe interessa, o que bem demonstra do que entende por Ética...dê cumprimentos por mim à Azelha do Mar!

Comentar post







Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas