Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Do patriotismo

por Samuel de Paiva Pires, em 28.06.12

Tratar o patriotismo como algo pejorativo sem operacionalizar e qualificar o que se entenda por patriotismo é, vá lá, um bocadinho para o iliberal, irracional e academicamente pouco sério. Umas leituras de MacIntyre ou Scruton podem ajudar. E relembrar o que é uma ordem espontânea também. Por mim, continuo a subscrever Pessoa quando diz que o «O Estado está acima do cidadão, mas o Homem está acima do Estado» e apenas acrescento que a pátria está acima do estado, não podendo ser aprisionada por este nem por nenhum de nós e sendo, na realidade, o mito que fundamenta o burkeano contrato entre os mortos, os vivos e os ainda por nascer. E continuo também a subscrever Samuel Johnson quando falando no falso patriotismo afirma que este é o último refúgio de um canalha. Relembrando Miguel Torga, a pátria é "o espaço telúrico e moral, cultural e afectivo, onde cada natural se cumpre humana e civicamente. Só nele a sua respiração é plena, o seu instinto sossega, a sua inteligência fulgura, o seu passado tem sentido e o seu presente tem futuro." Nenhum homem é uma ilha, ao contrário do que muitos pensam.

publicado às 22:01


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Isabel Metello a 29.06.2012 às 19:30


Como tal, quando defendo o Caritas Patriae Camoniano é no sentido do Agapé (há um estudo muito interessante sobre Os Lusíadas como Viagem iniciática, onde o autor, Hélder Macedo, discorre  sobre Os Vários Tipos de Amor Sublime na perspectiva de Camões...:), de Humanidade para com a população de um país , hoje, maioritariamente na miséria material e moral (não sou falsa beata- o que considero miseria moral é a ausência de Vera Espiritualidade, pela objectivação própria e alheia, i.e., pela tal OVM...:)- o Portugal que eu perscruto ter todas as condições para se afirmar com todas as suas potencialidades naturais no turismo segmentado de forma inteligente, nas energias renováveis, na agricultura e na pesca de qualidade, no artesanato (das ondas, eólica...:) nas indústrias do vestuário e do calçado, no seu património tão rico e, hoje, entregue às moscas! (a última vez que visitei o Convento de Cristo, em Tomar, partiu-se-me o coração!), et caetera...E o que temos assistido desde o 25/74? A uma maior abertura, por um lado, mas à manutenção e até ao acirrar de uma matriz sociocultural secular (mas, ao menos, Salazar tinha Honra, nunca roubou um tostão ao Estado e di-lo uma anti-salazarista, Filha de quem enfrentou a PIDE comme il faudrait! :) que Camões, Camilo e Eça de Queiroz, Jorge de Sena, José Gil et alii caracteriza(r)am tão bem que beneficia sempre as mesmas (com o acrescento dos boçais novo-riquistas sucateiros) corjas laicas e religiosas na forma endogâmicas, entrópicas, egocêntricas, sem algum sentido de Ética, de Deontologia (só as demonstram no palco, pois cultivam (quase) todos a matriz do culto das aparências e da forma, descuidando o conteúdo, as mesmas corjas que vão para a TV lutar pela Liberdade de Expressão, mas no seu dia-a-dia não admitem aos seus subordinados ter uma opinião distinta da sua, penalizando-os por isso; as mesmas que andam sempre com o abrilismo na boca, mas se toparem alguém que não lhes assina a matraqueagem  marcam-no(a) a ferros e anulam-no como numa caçada pidesca imoral (e não estou a exagerar!:), num mobbying imoral primitivo,  as mesmas que defendem os Direitos Humanos frente ao ecrã, mas sempre os desrespeitaram de forma aviltante, sendo sempre aplaudidos pela marabunta alienada que os sacraliza, pelo analfabetismo funcional reinante muito acirrado pelo F alienante futeboleiro e pelo futebolês, em vez de lhes desconstruir as manhas, as farsas, os crimes de lesa-pátria e Contra a Humanidade e responsabilizá-los de facto et de juris ...As mesmas que anulam  à la carte alguém se lhes apetecer, pois “ a prostitutra universal” compra tantas (in)consciências e não há, de facto, órgãos de fiscalização a sério, pois são todos filhos da mãre dos primos da tia da irmã!!!...Image

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.







Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas


    subscrever feeds