Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Desta feita vindos da pena do João Miranda, que se revela mais um aprendiz de Maquiavel. Enquanto há tempos, por aqui, íamos debatendo a fonte da moralidade, numa perspectiva de transcendência vs. imanência, o João Miranda, de uma só assentada, resolve um dos principais problemas filosóficos, com uma leitura desactualizada e simplista da separação entre a política e a moral de Maquiavel, e encarando como fonte de legitimidade das normas morais e, no caso, das trapaças relvistas, o facto de Sócrates ter sido reeleito após ser conhecido o caso da licenciatura na Independente. Ou seja, é como dizer que se outro rouba e não é apanhado, eu também posso roubar e não há nada de errado com isso. Isto até não seria surpreendente, se viesse de um socialista, mas é verdadeiramente admirável para um liberal. Tocqueville, Acton, Stuart Mill, Hayek e outros devem estar a rebolar-se de riso nas respectivas tumbas.

 

Leitura complementar: Vários posts sobre a Relvas School of Political Science

publicado às 13:07


3 comentários

Sem imagem de perfil

De Isabel Metello a 17.07.2012 às 18:09

Samuel, sugiro-lhe que analise os dois casos com base :) (a) numa análise discursiva (pode escolher como cases study :) (i) a famosa conferência en Poitiers da PCDR; (ii) a resposta de Miguel Relvas a um escritor quanto á Lusofonia! Não capta ali uma diferença significativa???!!!
Olhe, o meu Avô Paterno era projectista, não era arquitecto, mas se for a comprar algumas das suas obras com algumas actuais tb poderá inferir algo daí!
Nesse aspecto, concordo com Marcelo Rebello de Sousa- os Grandes Empreendedores deste país e em termos globais não são licenciados, mas há licenciados completamente analfabetos funcionais!
É que há uma diferença entre querer-se fazer Licenciaturas, Mestrados, Doutoramentos por gosto, por paixão e fazê-los pela apetência das aparências!
Olhe, certa vez, cometi uma incongruência, mas foi em prol da eficiência :) verificava que, com determinadas pessoas nos balcões da Caixa Geral de Depósitos, as pessoas que eram tratadas como Drs, muitas vezes, sem o serem, eram atendidas com mais prontidão! Ora, então, eu pensei :) já que assim o é, vou colocar lá o título Mestre e não é que passou a funcionar até à hecatombe, quando localmente passei a ser vista como "a separada perigosa"???!!!! Por falar nisso, algumas das falsas beatas de um determinado centro, quando passavam por mim benziam-se- olhe, achei um piadão e, agora, sou eu que, quando passa por seres do mal ou falsas beatas me benzo! Na Sicília finge ser Siciliano!Image
Sem imagem de perfil

De Isabel Metello a 17.07.2012 às 18:10


erros da pata :) à; comparar :)Image
Sem imagem de perfil

De Isabel Metello a 17.07.2012 às 18:15


Se bem que, quanto ao fingimento, já dizia Um dos Poetas de mi corazón :)

 

"Autopsicografia

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração."Image

 

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas