Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Patético (5)

por Samuel de Paiva Pires, em 06.08.12

Conforme já tinha ficado patente no meu post anterior, não é mesmo possível debater racionalmente com indivíduos irracionais, ignorantes, de má-fé, que fazem da manipulação, do negacionismo e da reserva mental as suas principais armas e que sabemos muito bem o que fariam se pudessem dar largas à sua sede de sangue. São casos perdidos, nada a fazer. A única resposta a isto, só pode ser isto:

 

 

Leitura complementar: PatéticoPatético (2)Patético (3)Patético (4); Como é que é possível debater racionalmente com indivíduos irracionais?

publicado às 08:47


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Carlos Velasco a 06.08.2012 às 09:41

Caro Samuel,

Ainda bem que vivemos numa sociedade com algumas liberdades, apesar destas serem decrescentes. Graças a isso a reacção destas bestas, cujas certezas são  inversamente proporcionais à olímpica ignorância que predomina nos esgotos vermelhos, se resume a gritar "faxo", "reaça" e outros rótulos infantis, que só assustam covardes como eles, para distrair o público e calar o adversário.
Estivessem essas cavalgaduras no poder, receberias uma injecção de chumbo na nuca e a sua família teria que pagar pelo tratamento. Enfim, essa gente merece uns bons tapas na cara, coisa que os pais de muitos agradeceriam, uma ida ao barbeiro para cortar o cabelo, aparar a barba e matar os piolhos e um pé no rabo como  incentivo para arranjarem um emprego de acordo com as suas qualificações.
No caso deles, lavar latrinas em bombas de gasolina de estrada é o emprego ideal, mas desde que haja supervisão, afinal, pode haver uma recaída: a coprofilia é um vício do qual dificilmente alguém consegue se livrar.

Um abraço.  
  

 

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas