Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Não, não há nem pode haver

por Nuno Castelo-Branco, em 05.09.12

Aguiar Branco perguntou: "há uma cultura suficientemente forte de partilha interna e com países vizinhos, neste caso, Espanha, para se poder edificar despreconceituadamente e descomplexadamente aquilo que é fundamental para sermos produtores de segurança"?

 

Não.


Porque não? Porque este é um velho e relho projecto republicano e para mais, já a contar com uma improvável mudança de regime em Espanha, essa arcaica monomania de certas lojas e marcenarias para todos os gostos. Aguiar Branco não parece ou não quer entender o percurso secular de Portugal na história e o que significa essa inevitável subalternização à Espanha. Aguiar Branco não entende? Olhe para o mapa, os militares podem explicar-lhe: Zona Económica Exclusiva no Atlântico, o Caso das Selvagens e a posição de Portugal na NATO. Estes três argumentos entre muitos outros sobejamente conhecidos e em suma, a independência nacional. Dada a situação do espaço lusíada no Atlântico, chegou o tempo de começarmos a olhar para o Brasil e para já, aproveitar melhor a estadia de Paulo Portas naquelas paragens. Angola e Cabo Verde seguir-se-ão automaticamente. 

 

Que outras brilhantes ideias terá o sr. ministro? Também pretenderá reeditar o anúncio guterrista do fecho do ensino militar em Portugal, remetendo a nossa gente para a Academia de San Fernando? Atenção, existe um limite para tudo.





Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:42


5 comentários

Sem imagem de perfil

De Perplexo a 06.09.2012 às 00:58

O audio das declarações de Aguiar Branco

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=584481&tm=8&layout=123&visual=61
Sem imagem de perfil

De aparvalhado a 06.09.2012 às 08:19

Se Portugal fosse uma monarquia, o ministro teria sido chamado ao palácio e corrido num abrir e fechar de olhos. 
Sem imagem de perfil

De Carlos Velasco a 06.09.2012 às 11:48

Em tempos de normalidade, fosse o povo realmente soberano e não escravo de um sistema de opressão fiscal a soldo de bancos e corporações internacionalistas, este sujeito seria executado. Apesar de ser meio idiota, como todos os políticos de carreira, ele sabe muito bem quais serão as consequências do que está a promover. Dentro desse regime não há salvação e só os idiotas continuam a achar que é escrevendo num pedaço de papel de tempos em tempos que se vai reconquistar a nação para os portugueses.
Sem imagem de perfil

De df a 10.09.2012 às 17:09

Deixe lá as olhadelas para o Brasil.
Precisamos é de olhar por nós e para nós e concentrarmo-nos na nossa vida.
E deixe a cada um decidir por si, que o resultado é bem melhor. Nos finais dos anos 50 e princípios dos anos 60 os portugueses não emigravam para as colónias, mas para a Europa e isto diz mais sobre o império de que muitas bibliotecas.
Sem imagem de perfil

De df a 10.09.2012 às 17:13

...sobre a palermice do Branco nem vale a pena falar.

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas