Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A resposta é sim.

por João Quaresma, em 16.09.12

Respondendo à pergunta abaixo do Pedro Quartin Graça.

Caro Pedro, a resposta é: sim, fizeram. O anterior governo andou na China, no Brasil, em Angola, nos Emirados Árabes Unidos, até em Timor (!!!) a tentar convencer esses governos a comprarem dívida portuguesa. A ainda passámos pela humilhação de Dilma Rousseff dizer que não comprava por os títulos de dívida portuguesa não serem de qualidade prime.

A seguir, Teixeira dos Santos obrigou os bancos portugueses a comprarem e foi só depois destes pararem de comprar que o PS pediu ajuda internacional. Toda a gente nos fechou a torneira. Se não fosse a Troika, o Estado Português tinha falido.

publicado às 12:25


8 comentários

Imagem de perfil

De Pedro Quartin Graça a 16.09.2012 às 12:36

Caro João,
garanto-lhe que está enganado. Ademais, vários foram os países que se disponibilizaram, sem qualquer contacto de Portugal, para o fazer. Seria bom que os responsáveis deste governo e do anterior fizessem luz sobre este assunto. Mas quando os compromissos são outros e bem mais vantajosos para alguns...
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 16.09.2012 às 12:39

Ninguém dá seja o que for de graça. Quais seriam as condições políticas e económicas? A exclusividade na exploração da (ainda) nossa ZEE? Umas bases aéreas? Os portos de Lisboa e de Sines?
Já agora, que países eram esses? Apenas vislumbro a China.
Imagem de perfil

De Pedro Quartin Graça a 16.09.2012 às 12:46

Ninguém falou em dar de graça, Nuno, como é evidente. A questão que se colocava era se esses países ofereciam, ou não, melhores condições. Era o caso. Quanto à divulgação dos seus nomes cabe ao responsáveis fazerem-no. Para que tudo fique claro. A mim basta-me saber que existiam e que foram pura e simplesmente ignorados. As razões todos as conhecemos.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 16.09.2012 às 13:40

Volta Sócrates, estas perdoado. És um estupor, mas comparado com Passos, es um menino de ouro e um pouquinho menos mentiroso,
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.09.2012 às 18:17

Entre Sócrates e Passos Coelho, podemos encontrar aquelas que existem entre bafo de Onça e o Zé Carioca. Prefiro o Zé Carioca.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 16.09.2012 às 13:40

Volta Sócrates, estas perdoado. És um estupor, mas comparado com Passos, es um menino de ouro e um pouquinho menos mentiroso.
Sem imagem de perfil

De Isabel Metello a 16.09.2012 às 20:59


Eu não digo???!!!! Esta gente como o Anónimo está "somada", só pode! "Volta Sócrates, estás perdoado"???!!!! Ó Anónimo, como perdoar o imperdoável???!!!! Só se for mesmo pela memória curta e falta de responsabilização individual e cívica. Olhe, dou-lhe um conselho :) desanonime-se e espiritualize-se!!! Fora com Sócrates, que venha para dentro se for mesmo dentro!!! Deu cabo do país, esbanjou balúrdios em superficialidades, enriqueceu num flash! Foi um milagre ao contrário, não foi???!!! Tenho vergonha deste país com uma memória tendencialmente curta que branqueia os autênticos responsáveis pela hecatombe! No fundo, Sertório ou Pompeu tinham razão:) "Este povo não se governa nem se deixa governar" e, acrescento eu :) mas deixa-se manipular com uma facilidade, daí os resultados!!!Image
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.09.2012 às 01:04

A tua falta de inteligência e pbsessão com este PPC e Companhia, mete dó. Cai na real querida.

Comentar post







Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas