Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Hoje o Rei saiu à praça e sem medo falou com o povo

por Nuno Castelo-Branco, em 05.10.12

 

Aquele amplo salão de portas escancaradas à população de Lisboa, é um local carregado de memórias da nossa luta por uma independência hoje mais do que nunca ameaçada. Esta tarde recebeu centenas de portugueses que ouviram as palavras de total entrega da Casa Real ao povo. Não podendo nem desejando participar nas questiúnculas da micro-política partidária, o Senhor D. Duarte fez o discurso que ao país mais convém, não deixando de vincar a inequívoca posição da Casa de Bragança quanto ao catastrófico momento que o país atravessa. Um abissal contraste com o caudal de lugares comuns hoje medrosamente murmurados no Pátio da Galé.

 

Terminada a cerimónia, S.A.R. dirigiu-se à conhecida e popular A Ginjinha do Rossio, onde, para grande surpresa dos muitos clientes que àquela hora bebericavam e na rua aproveitavam os derradeiros dias de um sol ainda a fazer-nos lembrar o verão que já passou, o chefe da Casa Real abertamente falou com quem ali estava e com outros que de imediato por ali ficaram numa curiosa expectativa.  

 

Aquele que para muitos é simplesmente tratado como O Rei, não deve nem teme. Não se eximindo ao contacto com a população, ouviu queixas e palavras de incentivo a uma causa que  representa a derradeira esperança de milhões de oprimidos nos seus direitos de cidadania.

 

Com este Rei, os esmagados súbditos da República seriam os verdadeiros e únicos senhores do país. 

publicado às 17:33


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas


    subscrever feeds