Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A catástrofe iminente

por João Pinto Bastos, em 09.11.12

Fico perplexo com a falta de debate político que existe nesta ocidental praia lusitana - exceptuando o sempre pertinaz Jorge Costa - a respeito daquilo que está, ou poderá estar, prestes a acontecer na Grécia: o incumprimento da dívida. É certo e sabido que a Grécia tem de pagar uma tranche de 5.000 milhões de euros ao BCE na semana que vem, porém, até agora a Europa e o FMI ainda não chegaram a um entendimento sobre as condições do alívio prometido, com Wolfgang Schaeuble a protrair a resolução da crise para as calendas gregas - mas, afinal, para que é que serviu a famigerada contemporização em torno do resgate grego? O anúncio de que a Europa não deixaria cair a Grécia serviu exactamente para quê? Não é difícil intuir o que sucederá caso a Grécia não cumpra as suas obrigações: um evento de crédito, com fortes repercussões a nível europeu - instabilidade nos mercados, queda abrupta do euro, and so on. O cansaço das elites gregas é notório. Os partidos da coligação têm já uma enorme dificuldade em comprometer as suas bases eleitorais no apoio às medidas draconianas impostas pela troika, sem falar no facto de a aposta neste caminho suicidário estar a favorecer a emergência de extremismos políticos perigosíssimos. Por outras palavras, ou a Europa arrepia caminho - e arrepiar caminho significa reconhecer que os programas de ajustamento, assentes na sucção fiscal, estão naturalmente fadados ao fracasso - e reconhece a inviabilidade daquilo que impõe, ou a Grécia, seguida posteriormente de Portugal, Espanha, Itália, Irlanda e França, cairá estrondosamente. Pensar, ou acreditar - não sei o que será pior ou mais leviano - que a resolução da crise do euro far-se-á com curas de austeridade intermináveis, sem cuidar de oferecer aos Estados nacionais alternativas de política que lhes permitam mitigar os efeitos dessas soluções, é meio caminho andado para o desastre. Fixemos uma coisa, austeridade sem políticas monetária e cambial dignas desse nome, não funciona, repito, não funciona. A austeridade é necessária, aliás é inevitável, mas sem os instrumentos políticos atrás mencionados falhará. Quanto mais tempo demorarmos a entender este dilema, pior será.

publicado às 11:36


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.







Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas


    subscrever feeds