Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Sporting: a hora é de união!

por Pedro Quartin Graça, em 23.11.12

Hoje é daqueles dias que é muito fácil dizer mal até porque ontem foi uma noite má de mais. Sem entrarmos por esse caminho, analisemos então o sucedido com um olhar crítico. O que sobrou em empenho da direcção e dos sócios e simpatizantes do clube, faltou no rendimento da equipa e do treinador. Comecemos por este. Vercauteren fez más escolhas e a sua opção revelou-se fatal. Optou por um meio campo "mole", com 2 jogadores - Elias e Gelson - incapazes de cortar bolas e de lançar o ataque. Em bom rigor, o meio campo do Sporting foi um verdadeiro queijo suiço. A estes somou-se Pranjic, que mal se viu em campo e 2 centrais - Xandão e Rojo - que, para se ser honesto, estavam lá fisicamente mas cuja cabeça ficou, respectivamente, em Araçatuba e em La Plata... Cedric viu-os passar e, até o outrora poderoso Insúa, esteve muitíssimos furos abaixo do seu normal. Sobraram Rui Patrício e Capel e, a espaços, Labyad e Carrilho. Tudo o resto é para esquecer. Mas se Vercauteren está decepcionado, essa decepção carece, em primeiro lugar, de uma introspecção. Franky "inventou". Deixou Rinaudo no banco - erro grave - e tardou nas substituições, atitudes incompreensíveis num treinador já com tarimba. Ou seja, não pôs a jogar os melhores e não mexeu quando devia mexer. O resultado foi fatal. Mas a verdade é que Vercauteren não joga. Quem joga são os jogadores. E sobre estes há que perguntar: onde é que "Vosselências" tinham a cabeça? Como se justifica tanta falta de empenho quando tanto havia ainda para ganhar? Não se compreende. Se estes jogadores, por razões que a razão desconhece em profissionais muito bem remunerados não se sentem em condições de render, pois que joguem outros então. Da "A" ou da "B", o que interessa é o empenho posto em campo e a dignificação da camisola do clube que a maioria dos que jogaram ontem não souberam, na verdade, honrar.

No meio disto tudo, há que fazer um apelo à serenidade. Não vale a pena "pedirem a cabeça" de Godinho Lopes e desta direcção. Eles não jogam, a não ser por fora, logo são os menos culpados de tudo o que está a acontecer. Já para não falarmos da legitimidade derivada de uma escolha democrática dos sócios (e as eleições ganham-se e perdem-se, em democracia, por 1 voto), e o sportinguismo sempre revelado, a grande questão que se coloca é esta: mudar de direcção, como alguns insistentemente pedem, punha a equipa a jogar melhor de um dia para o outro? É evidente que não. Deixemo-nos, pois, de fantasias e regressemos à realidade de que há muitos pontos por conquistar e objectivos concretos a atingir. Com esta Direcção, este presidente e estes jogadores, das 2 equipas de futebol profissional que o Sporting tem em competição. Todos juntos, o grande Sporting ressurgirá.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:41


26 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.11.2012 às 11:14

"Bela Katzirz". É o nome de um guarda-redes húngaro que nos anos 80 veio para o Sporting. Como todos os que chegam, foi logo idolatrado como o melhor daqui até Marte, com a complacência dos pasquins. Como em muitos casos revelou-se fraquinho, e o destino foi-lhe traçado rapidamente à moda leonina. O problema do Sporting são os sócios. Vivem de extremos, sem qualquer análise racional, mesmo que admita que o futebol tem pouco de racional. O último caso foi do "Sá". Acharam que por beijar o simbolo do clube e dar-se bem com a "Juve", era solução para o banco. Nunca foi. Felizmente quando falo com amigos sportinguistas não há um único que concorde comigo. E assim lá caminham nesta medíocridade de quem num pais onde apenas 3 equipas são campeãs, ter ganho 3 campeonatos em 32 anos. 
Sem imagem de perfil

De Duarte a 24.11.2012 às 09:27

Desculpe, mas você não sabe o que diz.


O problema do Sporting não são os sócios, mas sim apenas alguns sócios... a maioria daqueles que têm muitos votos e da falta de informação sobre o real estado do Sporting. São esses sócios que têm decidido manter um regime de "monarquia" no Sporting.
Eu também tenho muitos votos, mas para mim todos os sócios deveriam ter apenas 1 voto.


Isso que você diz do Sá Pinto, é outra prova que está enganado.
O Sá Pinto foi metido a treinador, não por culpa da maioria dos sócios, mas sim por culpa da falta de liderança desta direcção, que para salvar a pele, decidiu fazer o gosto à JuveLeo, sabendo que a JuveLeo poderia e pode ameaçar o poder desta direcção.
E mais... a liderança da JuveLeo é hoje em dia composta por pessoas que se venderam por dinheiro e interesses e são coniventes com esta direcção. Caso contrário, esta direcção já não estaria em funções.


Além disso, quando Domingos Paciência começou a ter dificuldades no Sporting, o próprio Sá Pinto apercebeu-se que a sua oportunidade estava perto e ele próprio tratou de fazer a cama ao Domingos internamente e externamente com a ajuda dos amigos (da Juve e de alguns vices da direcção).

O Sporting, hoje em dia, para minha infelicidade, é um clube sem rumo, sem liderança e em guerra constante, porque aqueles que se apoderaram do clube em 1995, aproveitam-se do estado quase "vegetal" de muitos sócios com muitos votos e vão enganando os Sportinguistas e roendo a carne do Leão.


E é por isso que quando vejo apelos à União, quase que perco a vontade de lutar pelo meu clube, porque enquanto as pessoas não perceberem que, com esta gente que tem andado a desgovernar o clube desde 1995 (e todos iguais a eles), não há união possível, enquanto não perceberem isso, então andaremos sempre nesta vida e sempre a pensar que "para o ano é que é", mas cada vez mais em ruína.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.11.2012 às 11:45

Caro Duarte. Eu admiti logo que " Felizmente quando falo com amigos sportinguistas não há um único que concorde comigo". Nao precisa de me dizer que eu não sei o que digo. Sei é que em 32 anos apenas conquistaram 3 campeonatos. E vão continuar no mesmo registo por muitos mais anos. Precisamente porque, como disse, "não há um único que concorde comigo".
Sem imagem de perfil

De Duarte a 25.11.2012 às 21:54

Vamos lá ver se nos entendemos... Eu digo que você não sabe o que diz, porque a situação é mais grave do que aquilo que você imagina.


E como lhe disse, não foram os Sportinguistas em geral que quiseram o Sá Pinto como treinador, apenas alguns sectores do clube e a própria direcção para salvar a pele.


E é falso que a culpa seja de todos os sócios, porque como já disse, a culpa é efectivamente de uma minoria de sócios que tem demasiado poder nas mãos.
E mesmo com esse poder, se esta direcção não tivesse recorrido às famosas "afinações" não teria sido empossada.
Imagem de perfil

De Orlando Sousa a 23.11.2012 às 14:01

Boa tarde. 
Ao falar-se em legitimidade democrática, relembro que nas eleições para o SCP e para o SLB há sócios com mais votos que outros, por questões de antiguidade.
No FCP (o meu clube) isso não acontece, cada sócio tem direito a um voto, seja ele sócio há 30 anos, seja sócio há um ano.
Cumprimentos
Orlando Sousa
Imagem de perfil

De Pedro Quartin Graça a 23.11.2012 às 15:06

Os Estatutos do Sporting, bem ou mal, consagram estas diferenças as quais não foram objecto de qualquer contestação do ponto de vista legal. Logo são legalmente legítimas. Cumps,
Imagem de perfil

De Orlando Sousa a 23.11.2012 às 16:54

Não ponho em causa (nem ninguém) a legitimidade dessas diferenças, nem faço juízos de valor sobre a bondade ou maldade delas.
Dizem respeito a cada clube, estatutos e respectivos associados.
Mas é bom conhecermos essas diferenças.
Cumprimentos
Sem imagem de perfil

De Duarte a 24.11.2012 às 08:53

A hora é de união, certíssimo!


De união contra os canalhas que andam e andaram a DESGOVERNAR o Sporting... desde 1995!


Rebentaram com o nosso Património.
Rebentaram com a nossa saúde Desportiva.

Rebentaram com a nossa saúde Financeira.
E rebentarem com a nossa Representação e Influência Social.


Agora, vão ter que ser os Sportinguistas a rebentar com eles.
Sem imagem de perfil

De Duarte a 24.11.2012 às 09:12

Dizer isto: "No meio disto tudo, há que fazer um apelo à serenidade. Não vale a pena "pedirem a cabeça" de Godinho Lopes e desta direcção. Eles não jogam, a não ser por fora, logo são os menos culpados de tudo o que está a acontecer.", é de uma falta de honestidade intelectual gritante.



O percurso do Sporting, desde que esta direcção foi eleita, até agora, deve-se e tem com principal base decisões tomadas por esta direcção.

Eles não jogam à bola, mas foram eles (Godinho), que foram buscar (outra vez) o incompetente do Luís Duque e o Carlos Freitas, que vivem de mitos de competência fabricados em Alvalade.

Foram eles (Godinho, Duque e Freitas), que contrataram os jogadores que o Sporting foi buscar.

Foi Godinho Lopes, juntamente com Duque e Freitas, que despediram Domingos Paciência e que meteram Sá Pinto na cadeira de treinador.

A estrutura da SAD, que estava montada até à demissão de Duque e Freitas, foi decidida por Godinho Lopes... e a presente foi também decidida por Godinho Lopes.

Godinho Lopes não soube liderar nem soube gerir um clube que tem como principal foco o futebol, ponto final. Não há volta a dar, é a realidade!

Dizer que Godinho Lopes e a sua direcção, são os menos culpados, é faltar à verdade, excepto se pensarmos que eles só entraram no clube porque existiu uma minoria de sócios que lhes deu a vitória nas eleições. E sendo assim, essa minoria, na realidade, é a verdadeira culpada.

E digo minoria, porque na realidade é isso mesmo. É uma minoria (não esquecer que além disso, Godinho não foi o candidato com mais sócios votantes nas eleições), que deu uma minoria de votos, que infelizmente para o Sporting, foram mais do que aquilo que qualquer outro candidato teve.
Imagem de perfil

De Pedro Quartin Graça a 24.11.2012 às 10:00

Falta de honestidade intelectual? Eu assino o que escrevo com o meu nome bem visível e escrevo sempre o que penso. Outros não o fazem, por sua opção.
Ademais, actualmente não só não sou sócio do Sporting  - apenas simpatizante - portanto, por maioria de razão, não elegi ninguém nem devo favores a ninguém. E, muito menos, sou pago por alguém para escrever o que LIVREMENTE penso.
Desonestidade intelectual é escrever, caro leitor, que a actual direcção do Sporting não foi eleita pelos sócios de acordo com os Estatutos do clube, de forma maioritária, aliás. Tudo o resto é querer deitar poeira para os olhos de sócios e simpatizantes numa política de terra queimada tão ao jeito de uns tantos que, à falta de melhores argumentos e soluções, preferem o caminho do abismo. Para isso não contam comigo!
Sem imagem de perfil

De Duarte a 25.11.2012 às 22:05

Já percebi que temos visões diferentes acerca do clube, mas não lhe posso desculpar que continue a incorrer na mentira de dizer que esta direcção foi eleita de forma maioritária pelos sócios.


Talvez, você tenha que rever a definição de maioria...


A Lista de Godinho Lopes, teve 36,55% dos votos e teve 30,98% de sócios votantes. Como pode ver aqui: javascript:nicTemp(); (http://acreditar.blog.com/files/2011/03/ELEI%C3%87%C3%95ES-SPORTING-CD-2011-1024x744.jpg)
http://acreditar.blog.com/files/2011/03/ELEI%C3%87%C3%95ES-SPORTING-CD-2011-1024x744.jpg



Para Godinho Lopes ter a maioria, seja no que for (sócios ou votos), teria que ter mais que as outras listas todas juntas. É isso que significa ter a Maioria!


Repare, que em termos de sócios votantes, até existe outra Lista que teve cerca de mais 10% de sócios votantes.


Por isso, para bem da credibilidade daquilo que escreve, não deveria voltar a repetir a conversa da "maioria".
Sem imagem de perfil

De Dignitas a 25.11.2012 às 15:28

Que um fraco Rei faz fraca a forte gente, já nós sabemos, o que muitos ainda não perceberam é que Godinho Lopes é fraco e, ao contrário do que se cansa de repetir, não é credível.

Não tem perfil nem capacidade de liderança e não entende o negócio do futebol e todas as suas características e nuances. E nos quase dois anos de mandato em que esteve à frente dos destinos do Sporting, mostrou claramente não ser capaz de tomar as melhores decisões.

O novo técnico leonino chegou ao clube com quase um mês de atraso, está mal acompanhado, pois não tem um adjunto de confiança a seu lado, e o balneário quase que não o respeita mais, assim como a Oceano, a quem já perderam por completo o respeito, e nem vamos falar sequer de Godinho Lopes, que se alguma vez o teve, há muito que o perdeu.

E todos nós sabemos o que acontece na lógica das organizações, quando quem tem posições-chave na hierarquia, não é respeitado nem tem autoridade. Frank Vercauteren está também ele à beira de perder a pouca autoridade e o pouco respeito que os jogadores ainda tenham por ele, pois é claro que está mal informado e mal acompanhado.

Godinho Lopes é incapaz de ver isto, de reverter a situação e agora é uma questão de tempo para as coisas ficarem ainda piores. Alguma vez uma pessoa com um mínimo de sanidade mental vai para a guerra, para o campo de batalha, com um líder como Godinho Lopes? Ou quando alguém como Oceano é o sargento da companhia?

O projecto que apresentou para eleições acabou, o mais digno que podia fazer neste momento, era terminar o mandato mais cedo. Mas dignidade é coisa que Godinho Lopes nunca teve, nem um assomo, caso contrário, no próprio dia das eleições, por não ter a maioria dos sócios consigo (teve apenas a maioria dos votos, em circunstância que talvez jamais se venham a apurar), demitia-se assim que fosse empossado e pedia a convocação de novas eleições.

Falar de união, desconhecendo ou omitindo a clara agenda que Godinho Lopes conduz em Alvalade, é, no mínimo, de mau gosto. A lógica do poder fala sempre mais alto e os interesses plutocratas que se apossaram do clube, da SAD e dos seus activos, com origem no maldito projecto Roquette, têm como objectivo maior, a liquidação do património construído ao longo de décadas à custa do suor, trabalho e sacríficio dos inúmeros sócios que tanto esforço, dedicação e devoção mostraram pelo Sporting Clube de Portugal.

A devoção pelo clube de Godinho Lopes pelo clube é nenhuma, a dedicação que tenha é apenas para cumprir o mandato, e o esforço é apenas no sentido de terminar o trabalho de que foi incumbido: espoliar o clube de todo o património que for possível, passando-a para a SAD, e através das VMOC, garantir o controlo do que restar, nas mãos dos credores.

A gestão do Projecto Roquette conseguiu desde 1995 tornar um clube que até então, entre o deve e o haver, tinha um saldo positivo assinalável, para em 15 anos, deixar uma cratera de todo o tamanho nas contas do clube e da SAD.

E Godinho Lopes, credível e com um projecto também ele credível, conseguiu nos dois anos seguintes, quase cumprir por completo a famigerada promessa eleitoral dos 100 milhões, ao apresentar quase 90 milhões de euros em prejuízos.

E é com gente desta que temos de nos unir e estar nesta hora difícil para todos os sportinguistas? A sério? Mas que diferença de tratamento merece Godinho Lopes e os seus apaniguados, em relação a todos aqueles que nas últimas décadas deixaram as contas do Estado no estado lastimável que todos conhecemos?

Para mim, nenhuma.
Imagem de perfil

De Pedro Quartin Graça a 25.11.2012 às 15:42

Godinho Lopes é o Presidente eleito, com total legitimidade eleitoral e democrática. Ou seja, a maioria dos sócios do clube consideram Godinho Lopes credível. V.Exa, caso seja sócio do clube, tem, todavia, toda a legitimidade de propor uma assembleia-geral, assim reúna 1000 votos, como decerto saberá. 
Da mesma forma que critiquei aventureirismos do passado, critico agora quem quer destruir o Sporting por dentro e lançar o clube na total anarquia. A quem aproveita um Sporting fraco?
Sem imagem de perfil

De Duarte a 25.11.2012 às 22:08

A Lista de Godinho Lopes, teve 36,55% dos votos e teve 30,98% de sócios votantes. Como pode ver aqui: http://acreditar.blog.com/files/2011/03/ELEI%C3%87%C3%95ES-SPORTING-CD-2011-1024x744.jpg


Para Godinho Lopes ter a maioria, seja no que for (sócios ou votos), teria que ter mais que as outras listas todas juntas. É isso que significa ter a Maioria!


Repare, que em termos de sócios votantes, até existe outra Lista que teve cerca de mais 10% de sócios votantes.




A maioria dos sócios, não escolheu Godinho Lopes!


Godinho Lopes, foi efectivamente eleito por uma minoria.


Por isso, para bem da credibilidade daquilo que escreve, não deveria voltar a repetir a conversa da "maioria".
Imagem de perfil

De Pedro Quartin Graça a 26.11.2012 às 23:41

O que este leitor não consegue de forma alguma explicar é como é que Luiz Godinho Lopes ganhou as eleições no Sporting...
Talvez tenha sido por ter sido o menos votado dos candidatos ou por um golpe de mágica...
Francamente! 
Quanto à definição do que é maioria, confesso que é a primeira vez que leio ou oiço uma explicação tão bizarra. O leitor parece desconhecer, na verdade, o conceito de maioria e confunde maioria absoluta com maioria relativa, também conhecida por maioria simples e pretende convencer quem o lê de que o presidente do Sporting foi eleito porque a maioria dos sócios NÃO o escolheu! Se não estivéssemos quase em Dezembro eu acharia que se tratava de uma brincadeira de Carnaval...
Sem imagem de perfil

De Duarte a 27.11.2012 às 01:29


Pedro, quando se escreve que a direcção foi eleita de forma maioritária, como você fez, para mim está subentendido que se está a falar de uma maioria absoluta, porque a sua frase é demasiado vaga e porque você está a falar para muitas pessoas que podem ou não saber o que realmente aconteceu na eleições em termos de votos. E foi isso que eu fiz, quando me referi à maioria. E vou explicar porquê.


Primeiro, porque você não especificou que tipo de maioria é que estava a falar. E segundo, porque para Godinho ser eleito, é óbvio que, pelo menos, teria que ter uma maioria relativa, logo não se justificaria que você estivesse a realçar uma coisa que é tão óbvia.
Porque qualquer candidato, para ganhar, teria que ter uma maioria relativa. No caso de ter uma maioria absoluta é que esse facto mereceria "destaque".


Dito isto, quero agora esclarecer que tenho estado a falar de maioria como maioria absoluta.
E garanto-lhe que é isso que as pessoas entendem quando leêm coisas como esta: "foi eleita pelos sócios de acordo com os Estatutos do clube, de forma maioritária, aliás.", que foi aquilo que você disse.


Além disso, também importa esclarecer que essa maioria relativa apenas aconteceu em termos de votos e não em termos de votantes, como algumas pessoas possam achar por desconhecerem os Estatutos do Sporting Clube de Portugal e o sistema de votos.


O reparo da minha parte está feito. Da próxima vez, diga que Godinho foi eleito com uma maioria relativa em termos de número de votos (que afinal é aquilo que conta) e não apenas "de forma maioritária" como você disse, porque essa frase, que é vaga, fica sujeita a muitas interpretações diferentes para quem não está devidamente informado acerca daquilo que aconteceu. 


Mas você referiu algo que eu disse que sempre foi verdade, considerando maioria relativa ou absoluta... A maioria dos sócios do Sporting não escolheu Godinho Lopes, seja essa maioria relativa ou absoluta... é verdade das duas maneiras.
Imagem de perfil

De Pedro Quartin Graça a 27.11.2012 às 07:56

Tudo esclarecido, a bem do SCP.Image
Sem imagem de perfil

De Duarte a 28.11.2012 às 04:06

Image Image
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.11.2012 às 00:32

Não entendo como é que diz que "eles não jogam, logo são os menos culpados." Mas desde quando é que uma Administração é a menos culpada da performance da empresa que dirige?! Ainda mais se pensarmos que este "tipo de Administração" já lá está desde 1995 e nos trouxe ao ponto em que estamos. Nenhuma revolução muda a situação de um dia para o outro mas é o primeiro passo para que as coisas melhorem. Sempre foi assim e sempre será. Mas algum dia ela tem que acontecer, senão as coisas não melhoram....
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.11.2012 às 12:52

Quando pensam que pior não há, eis que dentro em breve irão eleger o vosso "Vale e Azevedo". Tal como o verdadeiro, não foi à primeira mas será certamente à segunda. Só não sei se será em eleições antecipadas ou não. Mas nas próximas irão a correr elegê-lo. E o "cómico" da situação é que quanto a este ponto também os sportinguistas acham que não tenho razão. 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.11.2012 às 16:26

Mas quem é o "Vale e Azevedo" ? E porque razão o é ?


Não basta mandar umas bocas para o ar e difamar pessoas à toa... é preciso argumentar!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.11.2012 às 16:38

O "Vale e Azevedo" do Sporting é o Bruno Carvalho. E não vale a pena argumentar. Vamos falando ;)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.11.2012 às 20:16

O que vale é que na Internet ninguém paga multa por não argumentar...


Basta dizer o que se quiser, sejam parvoíces ou não... sem ter que argumentar.


Mas, como parece que você é de outro clube... eu bem percebo que tenha receio de ver uma pessoa como o Bruno de Carvalho como presidente do Sporting. É que aos outros dá jeito ter um Sporting fraco, apesar de dizerem o contrário.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.11.2012 às 21:52

ahahahahahahahhahahaha
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.11.2012 às 22:45

Tem razão. Não sou do Sporting. Mas prefiro que o meu clube vença com o Sporting forte, do que com um Sporting que não conta. Num pais onde praticamente só 3 clubes vencem o campeonato, é pena a luta estar cingida a 2.


Quanto à argumentação, vale o que vale. As probabilidades de você conhecer o seu clube e a respectiva SAD de forma a poder emitir uma opinião válida, são muito infimas. O mesmo se passa em relação a mim e ao meu clube. Estes são hoje realidades complexas não só do ponto de vista desportivo como também financeiro. 


Com sorte estaremos neste espaço de discussão  daqui a 3 anos, quando o Bruno Carvalho já for presidente. E depois poderemos falar um pouco mais. 

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas