Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O erro histórico da privatização da TAP

por João Quaresma, em 18.12.12

Terminou há pouco o Prós e Contras dedicado à privatização da TAP (a três dias do anúncio da decisão do Governo), numa das edições mais importantes do programa da RTP.

Ficou perfeitamente evidente como este negócio será desastroso para o País (a par da venda da ANA), do ponto de vista empresarial, patrimonial, económico e do interesse nacional (e não apenas do Estado), a tal ponto que os três convidados que começaram por defender a privatização acabaram no final por dar razão aos argumentos para não privatizar. Mesmo que o assunto estivesse a ser tratado com transparência e normalidade (que claramente não está), seria na mesma um erro histórico, cujos prejuízos se sentirão para sempre. Foram referidos os exemplos do desmembramento e da destruição da Cimpor, contra todas as promessas feitas no momento da sua venda a empresas brasileiras, e por outro lado, da possível renacionalização da Ibéria, uma hipótese que o país vizinho equaciona.

Em resumo, a TAP é uma empresa estratégica (uma expressão que muita gente parece não compreender) de uma importância capital não só pelo ingresso de divisas que representa para Portugal (representa 1% do PIB) mas também pelo serviço que presta à economia portuguesa e aos interesses portugueses no Mundo (4 milhões de cidadãos estrangeiros expatriados), algo de que Portugal não pode prescindir, e nada disso fica assegurado se for privatizado e o seu centro de decisão sair de Portugal e do Estado (como estão os espanhóis a sentir no caso da Ibéria, com os interesses ingleses a sobreporem-se aos espanhóis). A situação estratégica de Portugal é um activo valioso (economica e politicamente) que deve ser usado por Portugal e para bem dos Portugueses; nunca cedido a estrangeiros.

Se este negócio prosseguir, Portugal ficará mais pobre economicamente, politicamente e na sua dimensão internacional, e não é por acaso que outros países não se aventuram a fazer o mesmo. Será mais um erro histórico a lamentar, mais um numa longa série que nos trouxe à actual situação.

Espero que o Governo não prossiga neste erro e se o fizer, pela minha parte, PSD e CDS saem definitivamente do meu boletim de voto, sem hipótese de regressar. 

 

Petição contra a privatização da TAP

http://www.pnetpeticoes.pt/tap/

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:17


49 comentários

Sem imagem de perfil

De António Almeida a 18.12.2012 às 08:03

Vivo no Porto, vivo a baixa portuense desde que nasci,  tenho memória, pouco tempo antes da ANA ter gestão autónoma, que o Porto não tinha turistas, posso afirma-lo que por volta de 2005 a cidade estava deserta, mesmo com a crise Europeia vejo o Porto a crescer. Ainda no sábado fui para a Baixa,(fui mais cedo do que necessitava), fiz umas ruas a pé, e fiquei agradavelmente surpreendido com prédios recuperados. Isto só possível pelo movimento que o Turismo gera na cidade.


 


A TAP fez o que lhe competia? NÃO. Pois o Porto nunca foi servido pela TAP como a Rainair.


 


Claro que não, ser patriota não é defender incondicionalmente a TAP.


 


Por muito nacionalista que eu seja, a Rainair fez mais pelo Aeroporto Sá carneiro que alguma vez a TAP faria.


 


Não quero saber da TAP, os interesses estratégicos defendem-se com a "competência". (Em espanhol Concorrência. Leiam das duas formas.)

Sem imagem de perfil

De António Almeida a 18.12.2012 às 08:27


Li isto, é uma piada mas muito real.
TAP: T(ake) A(nother) P(lane)
Sempre que posso.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.12.2012 às 12:26

O bairrismo e o complexo de inferioridade de algumas pessoas do Porto, faz com debitem asneiras em catadupa. Chega a dar pena.
Sem imagem de perfil

De António Almeida a 20.12.2012 às 08:52

Dizer que sou bairrista é uma asneira. Nada nas minhas afirmações sobre o Porto indicam que sou bairrista, nunca comparei o Porto a Lisboa, nunca disse que o Porto é melhor, ou que é descriminado.
O seu preconceito é que se é do Porto é Bairrista.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.12.2012 às 12:59

E não faz falta nenhuma. A TAP felizmente não precisa de passageiros como o senhor.
Sem imagem de perfil

De António Almeida a 20.12.2012 às 08:54

Neste momento o sentimento é Mutuo eu não perciso da TAP e a TAP não percisa de mim, como milhares de passageiros que viajam noutras companhias. E já viajei na TAP.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.12.2012 às 19:29

E pode continuar a viajar. Está a ser feita uma análise ao contributo real das rotas do Porto da TAP, para Nova Iorque, Rio e S.Paulo. Como é normal, a pelintrice é maioritária e os custos das ecalas dos A330 e A340 no Porto (e respectivas tripulações), superam os ganhos, pelo que se espera que, brevemente, esses voos sejam reduzidos ou eliminados. Podem ir a nado, por exemploi.
Imagem de perfil

De João Quaresma a 18.12.2012 às 16:03

Caro António Almeida: mas isso é argumento? Sem dúvida que ao longo dos anos a TAP tem tomado decisões erradas (nitidamente por influência política), como a compra de uma empresa de manutenção no Brasil, da Portugália ao Grupo Espírito Santo ou de aviões obrigatoriamente à Airbus sem considerar a Boeing (em nome da "Europa"). Mas vamos deitar tudo a perder por causa disso?


De certeza que há muita gente também descontente por o Metro do Porto ou os STCP não passarem onde lhes convém mais. A solução então é vender tudo por uma bagatela ao único candidato que aparece? Já basta lamentarmos os erros passados para aceitarmos erros presentes.
Sem imagem de perfil

De m.m.c. a 19.12.2012 às 01:18

Mas o que vamos "deitar a perder"?
Preferia que a TAP fosse para mãos portuguesas, ou que fosse propriedade de uma empresa mais prestigiada, mas apenas isso.
A Rolls-Royce não foi comprada por não ingleses? E a Jaguar não foi comprada pela Tata?
O que perdeu a Grã-Bretanha?

A CP, por exemplo, bem precisaria de ser salva do caminho que tomou.
Se visse a CP a ser comprada pela DB ficaria feliz pelo meu país (e por mim, e por mais alguns milhares de utentes).
Sem imagem de perfil

De António Almeida a 20.12.2012 às 08:59

Quanto às opções erradas só aconteceram porque é gerida pelo o Estado, se fosse gerida por privados podia ter tomado as decisões que quisesse mas o dinheiro não era dos contribuintes
E o Metro do Porto e STCP deveriam ser vendidos separadamente e não fundidos como estão, para aumentar a concorrencia entre operadores, e a operação de transportes de passageiros deveria ser liberalizada. quem ganhava era os consumidores.

Existem operadores privados a operar em linhas iguais aos STCP, e ganham dinheiro.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.12.2012 às 09:13

António Almeida, não o conheço nem pretendo ofender mas o que afirma revela um grande desconhecimento da realidade. Senão, responda a si próprio a estas perguntas com honestidade (escusa de me responder pois já percebi que não sabe):

• Faz a mais pequena ideia dos custos associados a uma operação aérea?...
• Acha que é financeiramente sustentável cobrar bilhetes a 25 ou 30 euros e ter lucro?...
• Sabia que as companhias aéreas low-cost, como a que refere, recebem subsídios dos municípios e dos institutos de turismo das cidades e regiões para onde voam, por cada turista que transportam?...
• Sabia que foi a TAP que pôs o Porto no mapa das cidades intercontinentais, com ligações directas a cidades como Nova Iorque, São Paulo ou Rio de Janeiro?...


Quando estiver mais bem informado, fale de aviação séria e esqueça a aviação para meninos.
Sem imagem de perfil

De António Almeida a 20.12.2012 às 09:04

Não tem capacidade para me ofender. Por muito insultuoso que seja.

O Sr por acaso sabe qual a necessidade de investimento em novos aviões para a TAP?

Diga aos portugueses que vai ser na ordes dos 4.000 milhoes de euros.

Diga que desde 2011 a 2015 está previsto ser pago 23. milhões às companhias Low Cost.

Peça aos Portugueses que pagam impostos e que não vivem à custa da TAP, para escolherem.

A TAP não fez nada pelo Porto. Só começou a ter mais saídas do Porto quando aumentou a concorrencia, até lá teria que ser por decreto, quantasvezes tive que ir a Lisboa pra ir para Madrid.
 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.12.2012 às 19:34

Esses números são completamente irreais. E sim, tenho capacidade para o ofender e até mais que isso, só que não é esse o intuito. Seria boa ideia aprender a ser humilde e reconhecer que está errado. Mas o seu comportamento é normal, pois alguém que defende uma Ryanair, que é uma companhia, cujos procedimentos de segurança, são, no mínimo, escandalosos, só pode mesmo comportar-se como se comporta. É como ter mentalidade de suburbano - por mais dinheiro que haja na conta bancária, o estigma não desaparece.
Sem imagem de perfil

De Luis F a 21.12.2012 às 19:27

O padrão:


"Esses números são completamente irreais." (os números reais, quais são? não interessa, o importante é negar, negar sempre).


"É como ter mentalidade de suburbano - por mais dinheiro que haja na conta bancária, o estigma não desaparece. " (a tentativa de amesquinhar o arguente, em vez de argumentar). 








Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.12.2012 às 17:18

Concordo em absoluto com João Quaresma.
NÃO à venda/expropriação da TAP. O país já teve expropriações gravemente lesivas dos portugueses e do país, que chegam e sobejam.
O sistema está podre desde a raiz e a culpa é da politicagem apátrida que deixámos que tomasse conta da governação vai para quarenta anos. Esta gente que continua a destruir impunemente o que resta de país, é criminosa e traidora.  Fora com ela.

Se necessário for que se faça uma mega manifestação - 200.000/300.000 pessoas ou mais - para mostrar aos governantes (e à oposição, toda ela, a eles colada como lapas aos cascos dos navios, embora, hipócrita que é, finja que não) que os portugueses de bem também têm voto na matéria e há que estancar urgentemente esta insanidade de vender ao desbarato uma companhia aérea de bandeira.  E isto, se eles não sabem o que representa para um País Soberano, então que voltem à escola para aprender.
Maria
  
Sem imagem de perfil

De Luis f a 18.12.2012 às 21:06


É falso que a TAP seja uma importante fonte de divisas. A TAP perde dezenas de milhões de euros por ano. Parte significativa dos seus custos é paga ao estrangeiro.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.12.2012 às 21:27

Sabe o que está a dizer? a TAP não perde dinheiro, não faça afirmações idiotas. O grupo TAP pode ter prejuízos, devido a erros estratégicos como a VEM, mas a TAP transporte aéreo é lucrativa! A TAP não é importante fonte de divisas? Se calhar é você, não me diga?! Ou também é dos tais que não dorme nem come, só de pensar que o staff da TAP tem viagens com desconto? É por isto e por outros comportamentos similares que chegámos ao ponto que chegámos!!!
Sem imagem de perfil

De Luis F a 19.12.2012 às 12:45



A TAP perde dinheiro, todos os anos. Afirmação idiota é o contrário. A TAP não é apenas o transporte aéreo. 


"A TAP não é uma especial fonte de divisas - muito menos 1% do PIB (cortesia do economicofinanceiro:)


Isto é uma grande treta porque na facturação da TAP estão combustíveis e fornecimento de serviço que são importados.
Além disso os aviões são importados e os empréstimos pagam juros ao estrangeiro.
Vejamos.
A facturação em 2011 foi de 2439Milhões€.
Fornecimentos e serviços externos foram 1657Milhões€.
Mercadorias adquiridas foram 188milhões€.
No final, ficam apenas os "Custos com Pessoal" (524M€) a que se têm que subtrair os prejuízos que o Estado teve que cobrir (77M€).
Acreditando que todos os trabalhadores da TAP são residentes em Portugal e que metade do ganho é realizado com passageiros estrangeiros, estamos a falar de 220M€ por ano.
Não é grande coisa ao ponto de ficarmos reféns da TAP."

Quanto ao staff da TAP, tanto me faz. Chateia-me mais os 2 mil milhões de dívida. 

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.12.2012 às 12:54

Pois, vc é de facto o inteligente e o Sr. Efromovich é que é burro. Fale do que sabe e aprenda a ser humilde em vez de escrever baboseiras. O Estado não teve que cobrir custos, pois não 'mete' dinheiro na TAP há 15 anos.  Reféns da TAP? Porquê? Mas você paga algum cêntimo para a Companhia? Não me admiraria nada que seja um daqueles passageiros tipo novo-rico imbecil, que trata o pessoal com falta de respeito e julga que quando paga um bilhete, está incluída a imbecilidade e a falta de educação. Fim de conversa.
Sem imagem de perfil

De Luis f a 19.12.2012 às 18:16


Para qualificar os outros, o anónimo está pronto. Para rebater argumentos, a coisa fia mais fino. Passando por cima dos qualificativos:

1) O Sr.Efromovich não deve ser burro, evidentemente.

2) Como qualquer ignorante sabe, o facto de o Estado não ter pago os prejuízos não significa que não sejam sua responsabilidade - significa apenas que foram cobertos por dívida, garantida pelo Estado, que se acumula no balanço, vence juros, e vai degradando os capitais da empresa, ao ponto de, num cenário de liquidação da TAP o Estado ter que desembolsar no mínimo 800 milhões de euros. Resumindo, para que o anónimo não se perca: a TAP é um encargo para todos nós.

3) Quanto à sua observação sobre imbecilidade e novo-riquismo, dispenso-me de lhe recomendar que olhe ao espelho, limito-me a sugerir que releia o parágrafo anterior. Se ainda continua a pensar que "não pago um cêntimo" para a TAP, não há remédio para si.

4) Por fim, não me admiraria que o anónimo fosse um daqueles funcionários da TAP, que acham que o ordenado cai do céu, e que os prejuízos não são pagos por ninguém.
Sem imagem de perfil

De João Melo a 19.12.2012 às 20:15

O anónimo não sei, mas eu posso dizer-lhe que sou funcionário da TAP e o ordenado que recebo é fruto do meu trabalho e não é um favor que me fazem. Ao contrário de certos inúteis da sociedade Portuguesa, que nada produzem e se convenceram que iam poder continuar a roubar quem trabalha e produz e que iriamos voltar ao tempo da outra senhora. E já agora aproveito para confirmar o que foi escrito pelo anónimo, sobre a falta de educação e nível de muitos pseudo-empresários e políticos, que ao utilizar a companhia e seus serviços, julgam que estão na cavalariça a dar ordens aos criados e normalmente ou viajam à conta das empresas, que chulam até à medula, ou roubam e exploram os seus empregados.
É caricato ler os seus posts..até são divertidos. Para si, tudo o que comprado em território Nacional por cidadãos Nacionais, na TAP ou em qualquer outra empresa, não é lucro. Se a TAP é um encargo para todos nós, o que dizer da maioria das outras empresas de diversos sectores, incluíndo o financeiro. Pode dizer o que quiser, o senhor e esse Professor não sei das quantas...mas eu e outros também podemos afirmar, por exemplo, que o que os senhores produzem, é infinitamente inferior aos salários que auferem e como tal, são um encargo para todos nós, ou através do erário público, ou não pagando os impostos devidos, pois as empresas em que trabalham, estão asfixiadas com o custo dos vossos salários. Se não gosta, paciência, mas neste País, chegou o momento de dizer basta e acabou o tempo da conversa do costume, em que tudo é um custo, incluíndo as horas que as pessoas descansam, as férias a que têm direito, etc., etc. A Ana tem razão, o melhor é desprezar, mas neste vale a pena por os pontos nos ii's.
Sem imagem de perfil

De Luis f a 19.12.2012 às 23:04




Começa a formar-se um padrão: quem defende a TAP pública é incapaz de debater de forma civilizada e, digamos, racional. Para o que importa neste blog, a simples menção à obvia falsidade e ao caracter falacioso dos argumentos (chamemos-lhes assim, por piedade) tem como resposta o insulto, e a acusação descabelada. 
 Começando pela espuma, pelo superficial:


1) a insistente referencia aos ministros e sua suposta falta de educação, seria quando muito um argumento a favor da privatização. Acresce que criticar a falta de educação de outrem, no mesmo texto em que se insulta o interlocutor é no mínimo bizarro.




2) a insistência em inventar pensamentos absurdos ( quem compra nao sei o que é prejuízo nao sei para quem..) demonstra incapacidade de interpretar textos simples, na melhor das hipóteses, ou má-fé na pior.


Quanto ao essencial:


1) Nao é rocket science, nem "conversa do costume", nem uma invenção mirabolante de ninguém: uma empresa publica que tem capitais próprios negativos é um peso para o cidadão. Significa que o valor dos seus bens é inferior ao valor das suas dividas. Alegar que o estado nao põe lá dinheiro ha 15 anos e portanto nao nos custa nada é ignorância ou má-fé. 
Pode alegar que é um custo pequeno a pagar por blablabla, mas por amor da santa, nao negue o inegável.


2) da mesma forma, invocar o pretenso estatuto de maior exportador nacional, sem recordar que essas exportações decorrem de previa importação, também so pode ser ignorância ou má-fé.


3) a incapacidade de perceber a diferença entre uma empresa que consome capital (prejuízo) e outra que gera capital (lucro) subjacente ao seu comentário, é apenas ignorância. 


4) subjacente a tudo isto, um raciocínio entre aspas, ridículo: as rotas da TAP são rentáveis, e o bicho mau vem comprar a empresa para acabar com elas. 


5) outro ainda: a TAP é uma pérola, um negocio da China, e só aparece um comprador. 


Por fim, mais um pouco de espuma: pela amostra, os funcionários da TAP que aqui opinaram são tão ou mais arrogantes que os ministros e empresários que tanto vituperam.
Sem imagem de perfil

De Luis f a 19.12.2012 às 23:12

Um destaque especial para esta pérola de burrice:
"eu e outros também podemos afirmar, por exemplo, que o que os senhores produzem, é infinitamente inferior aos salários que auferem e como tal, são um encargo para todos nós, ou através do erário público, ou não pagando os impostos devidos, pois as empresas em que trabalham, estão asfixiadas com o custo dos vossos salários"


Poder dizer, até pode. No meio de tanta burrice, é mais uma. Acontece que o salário que me pagam foi estabelecido livremente entre mim e a entidade empregadora, e é validado todos os dias pelo que produzo para a entidade empregadora. É uma chatice, nao poder acumular centenas de milhões de prejuízos à conta do pato, ups, do contribuinte..
Por outro lado, a obrigação da minha entidade empregadora não é gerar impostos,  que são mais um custo - é gerar retorno para o capital dos accionistas, o que aliás tem feito, ao contrario de uma certa companhia aérea...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.12.2012 às 19:25

Burro e idiota é vc e os da sua laia. Nem imagina a pena que tenho de si..lá vai ter vc que continuar a matar-se a trabalhar para manter a TAP. Ridículo!!
Sem imagem de perfil

De António Almeida a 19.12.2012 às 20:58


O Sr. Efromovich não é burro.

Como todo o empresário sabe que a TAP vai dar lucro, mas não na mão do estado.
Sem imagem de perfil

De Luis f a 18.12.2012 às 21:09


Quanto ao serviço estratégico, as linhas rentáveis manter-se-ao, as outras nao. Nada mais estratégico que ter ligações com procura.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.12.2012 às 21:28

E quais são as linhas da TAP não rentáveis ou deficitárias? Porque será que temos tantos comentadores de bancada, neste País, que falam e opinam sobre o que não sabem?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.12.2012 às 21:32

E aprenda, porque eu não vivo sempre - as linhas da TAP da Europa e Estados Unidos dão lucro, não é só o Brasil e Luanda. Aliás, mais de 50% das vendas e lucro da companhia, são geradas nas rotas Europeias e actualmente nas de Newark e Miami. Por outro lado, há rotas Africanas e até algumas no Brasil (são 10), cuja rentabilidade é bem menor.
Sem imagem de perfil

De Luis F a 19.12.2012 às 12:46



Isso não me interessa. As que forem rentáveis continuarão, as outras, não. Quais são, é-me indiferente. Se a TAP ganha dinheiro a enviar portugueses ao Polo Norte, óptimo. Se perde a levar portugueses ao Polo Norte, azar. 


Capisce? 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.12.2012 às 12:57

Quem parece que não capisce é vc meu caro. Deve pensar que está a dar ordens na criada...bem típico de Tuga que não se enxerga. Como dizem os Americanos: Get a Life!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.12.2012 às 01:42

Leia e aprenda, ainda está em boa idade...ou acho que o Sr. Efromovich é burro?
http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/privatizacoes/detalhe/efromovich_se_depender_de_mim_voces_vao_amar_muito_mais_a_tap.html (http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/privatizacoes/detalhe/efromovich_se_depender_de_mim_voces_vao_amar_muito_mais_a_tap.html)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.12.2012 às 01:44

O link correcto:
http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/privatizacoes/detalhe/efromovich
Sem imagem de perfil

De Luis F a 19.12.2012 às 12:48



E? 

De Anónimo a 18.12.2012 às 23:54

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.12.2012 às 11:28

Realmente a malta do Porto afirma muitas vezes que a Ryanair trás muitos turistas para a cidade, mas esquecem que são 90% de Ingleses que para além da passagem pouco mais gastam! Quem leva os turistas que encaixam dinheiro na cidade é fundamentalmente a TAP com as rotas do Brasil...com uma classe média com cada vez mais poder de compra! 
Sem imagem de perfil

De Ana Gomes a 19.12.2012 às 13:48

Nao percam tempo a responder a esse tal de Luis F, pois gastar energias com gente dessa laia, so faz mal à saude. Alguem que diz que se se está nas tintas para o pessoal da TAP (prefere pagar, com os seus impostos, mais de 20000 eur por cada um que poderá ir para a rua e terá direito ao subsídio dr desemprego, para o qual drscontou), alguem que insere os custos de combustível em perdas (como se os avioes das outras companhias nao voem com combustível importado - so algumas companhias do Medio Oriente e a Delta Airlines dos Estados Unidos, que é dona de uma refinaria, escapam a essa regra), só pode ser mesmo idiota. É a cara da direita estúpida que temos neste País, que se pensa acima de tudo e todos e acham que só eles podem aceder a certo tipo de bens.
Depois, com a privatização, vai ser rir com o acabar da mama dos upgrades automáticos para políticos ladrões e emprezariozinhos parasitas e até assistirmos à proibição de viajar na companhia de clientes ordinários, como acontece, por exemplo, na British Airways e Lufthansa. E já agora, vamos reduzir o peso no PIB Nacional de todas as empresas, pois todas gastam dinheiro com transportes, que são movidos a combustível importado.
Sem imagem de perfil

De Luis f a 19.12.2012 às 18:31


Obrigado, pela parte que me toca. A gente da minha laia só tem é que contentar-se em pagar o que a Ana e o(a) anónimo(a) entendem que é estratégico.

"Alguem que diz que se se está nas tintas para o pessoal da TAP(prefere pagar, com os seus impostos, mais de 20000 eur por cada um que poderá ir para a rua e terá direito ao subsídio dr desemprego, para o qual drscontou)"
Parece que tem dificuldade em perceber português. Vamos tentar de novo: questionado sobre uma suposta comichão provocada pelo facto de o staff da TAP ter viagens de borla, limitei-me a responder que me é indiferente, o que me chateia é os 2 mil milhões de dívida. 

Parece que as dificuldades de compreensão são extensas:

"alguem que insere os custos de combustível em perdas (como se os avioes das outras companhias nao voem com combustível importado - so algumas companhias do Medio Oriente e a Delta Airlines dos Estados Unidos, que é dona de uma refinaria, escapam a essa regra), só pode ser mesmo idiota."

Eu não inseri custos de combustível em perdas. Limitei-me a lembrar, utilizando aliás um texto que citei, o óbvio: a suposta fonte de divisas/maior exportador nacional que é a TAP (falaram em 1% do nosso PIB... ) é um logro, uma falsidade! Para perceber isso, e evitar repetir argumentos falsos, é fácil de fazer contas: facturação anual de aproximadamente 2439 milhões de euros (1,5% do PIB, vá..). E deste valor, só uma parte virá do estrangeiro.
Para calcular esse gigante efeito de importação de divisas, temos que deduzir ... o que a TAP importa. Aviões, comprados ao estrangeiro, e financiados "lá fora" (ainda está a acompanhar o raciocínio, ou é demasiado complexo para si, Ana?);  combustível, etc.
Segundo as contas do Prof. Pedro Cosme Vieira, o efeito é relativamente ridículo para ser usado como argumento..

Quanto ao resto do seu comentário, não me considero "de direita". E quanto à sua proposta de reduzir o PIB nacional porque  não sei o quê... enfim, nem você percebe o que quer dizer.
Imagem de perfil

De João Quaresma a 19.12.2012 às 23:57

Caro Luis F., 


Apenas duas correcções. A TAP é o maior exportador de serviços, naturalmente: o maior exportador "nacional" é a alemã Autoeuropa, como é bem conhecido. Segundo, o passivo não é de 2 mil milhões mas 1200 milhões (daí a proposta de Efromovich de 1,5 mil milhões, que inclui os 300 milhões de capital negativo).


Espero sinceramente estar errado e que os receios que envolvem esta privatização não se concretizem, mas estou muito pessimista.


Cumprimentos,


JQ
Sem imagem de perfil

De Luis f a 20.12.2012 às 00:37



Caro joao:
1) sobre a divida, ver no blog economicofinnceiro: "A primeira coisa que vi lá é que as dívidas da TAP são o dobro do que é referido na comunicação social (1140M€).
Isto acontece porque a TAP tem a "dívida não corrente", principalmente "financiamentos obtidos" (985M€), que os medias referem mas também tem a "dívida corrente" principalmente a "fornecedores" (165M€), "financiamentos" (245M€), "outras contas a pagar" (223M€) e "documentos pendentes de voo" (264M€).
Somando as dividas todas dá 2325M€ a que podemos retirar as provisões (158M€).
"

2) sobre as exportações, são em grande medida anuladas pelas importações. Fenómeno semelhante ao da qi,onda, lembra-se? Era dos maiores exportadores - mas o saldo liquido importações/exportações era diminuto...

Quanto ao processo de privatização em concreto, nao me pronuncio.
Imagem de perfil

De João Quaresma a 20.12.2012 às 01:15

1) Ou seja, ainda passa de 2000 M€. Obrigado pela informação. Fico curioso com os 264M€ em "documentos pendentes de vôo».


2) Certamente, numa companhia aérea portuguesa, já se sabe que a incorporação nacional terá sempre limitações. Falemos também da Autoeuropa em que a percentagem de componentes nacionais é inferior a 20% no caso do Eos e do Scirocco. Não é por acaso que exportações como o calçado e o mobiliário são tão proveitosas para a economia nacional: é quase tudo, senão tudo, feito cá.


Obrigado pelo seus comentários.


JQ
Sem imagem de perfil

De Luis F a 20.12.2012 às 12:57

Caro João,

1) Por outro lado, segundo a análise do Prof.Vieira, o activo também são cerca de 2000 milhões, embora esse valor seja provavelmente sujeito a revisão.  O essencial é o saldo negativo nos capitais próprios, que são os tais 300 e tal milhões. Quanto aos documentos pendentes, suponho que se trate essencialmente de bilhetes não voados e milhas atribuídas.

2) Naturalmente. Mas concordará que é falacioso falar de 1% do PIB em divisas. Sim senhor, é uma empresa que capta divisas - na medida em que parte das suas receitas seja captada no estrangeiro. Mas também compra no estrangeiro, e muito.

Quanto ao resto, só hoje li o texto da petição. Compreendo que haja quem queira manter uma TAP pública, mas não compreendo o argumentos nela utilizados. Talvez o facto de ser adaptada de um texto de MST tenha alguma coisa a ver com isso.

1) O argumento da companhia de bandeira não me diz nada. Não quero uma empresa que seja o braço do Estado aqui ou ali.

2) O argumento da imagem e da relação com os países lusófonos também não diz grande coisa: se as rotas são rentáveis, o comprador terá todo o interesse em mantê-las.

3) O argumento do pagamento de impostos é estranho:  A TAP continuará a pagar os impostos que já paga, privada ou pública - com a vantagem de que, sendo privada, mais facilmente gera lucro (e por essa via mais impostos - IRC). Ao mesmo tempo, deixará de consumir capital público e de gerar dívida (logo, de consumir impostos..). Dizer que a TAP é rentável, já é esticar a corda.
Sem imagem de perfil

De Joao L a 20.12.2012 às 13:08

Sou funcionario da TAP, com muito orgulho e surpreende-me ver alguem supostamente informado, acreditar no orgao de CS do PSD ...o q menciona a par do CM. Esses numeros sao falsos. Ponto. E referindo o q aqui disse uma colega, posso acrescentar que alem de políticos e empresários (alguns), temos tb umaclasse de gentalha ordinaria e arrogante, que na economis real nada produz. Dizem pomposamente q trabalham no sector financeiro e sao invariavelmente uns chulos idiotas que meteciam ser fuzilados. Mais, eu sou a favor dapribatização da TAP, mas nO nos tetmos da dupla Relvas e o outro consultorzeco que foi despedido do FMI. Mais dois q mereciam ser fuzilados.
Sem imagem de perfil

De Luis F a 20.12.2012 às 15:05

"o q menciona a par do CM. Esses numeros sao falsos. Ponto. "



Quais números são falsos? Como não vejo mais números mencionados, suponho que se refira aos que eu coloquei. Ora, se diz com tanta certeza que são falsos, sugiro que dirija a sua reclamação ao EngºFernando Pinto, que os publicou no relatório e contas de 2011. E talvez ao Ministério Público. 


Quanto à insistência na arrogância deste e daquele, suficientemente genérica para não poder ser contrariada,  lá vamos nós: coincidência ou não, todos os funcionários da TAP que se manifestaram neste tópico limitaram-se a insultar quem não vê a TAP como uma vaca sagrada.  Em termos de educação e humildade, zero. 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.12.2012 às 19:35

Se calhar aprenderam consigo, o António Borges e gentinha similar.
Sem imagem de perfil

De assessor a 20.12.2012 às 14:52

Ultima hora!
Governo já não vende a TAP, ver notícias .


Mais uma trapalhada do duo Coelho - Relvas.


Arranjam clientes a beber uns copos  com brasileiros e é o que dá...


A Máfia também mete água.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.12.2012 às 19:39

Fiquei deveras triste e com uma preocupação enorme, só de pensar como vai conseguir o Luis f poder continuar a manter a TAP. Sim, porque ele trabalha MUITO e produz MUITO e é muito injusto ter que pagar seja para o que for. Seria uma boa ideia isentá-lo de todo e qualquer imposto (atenção Relvas e Borges, favor tomar nota) e propor à TAP que possa (ele e os iguais que TANTO trabalham, TANTO produzem e TANTO pagam), poder viajar na TAP em Executiva, com reserva confirmada, sem limite de voos. Ele(s) merecem, coitados.
Sem imagem de perfil

De Luis F a 21.12.2012 às 15:35



Tanta boçalidade junta, só serve para sublinhar a ausência de um, um só que fosse, argumento.  Nada nos seus escrevinhados se destaca do nível do insulto, e da arrogância de quem sabe que durante mais uns tempos vai continuar a viver à conta do pato.  Mas pode ser que lhe saiam furadas as contas.. 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.12.2012 às 23:07

Boçal, arrogante e idiota é você meu caro. O que é que você faz na vida e o que produz para a sociedade? Sim, o que produz que seja útil para a sociedade? Se fosse a si, pensava duas vezes, porque muito provavelmente, é a si e aos como o senhor, a quem as contas e o desprezo que têm pelos outros, que lhe vão saír furadas as contas. E cá estaremos para ver. Enxergue-se e vá fazer algo de útil na vida.
E já gora posso informá-lo que, felizmente, disponho de meios para poder viver muitos anos confortavelmente, sem ter que trabalhar. E não tenho medo nenhum nem do senhor nem de ninguém, porque não devo NADA a ninguém, nem sequer moralmente.

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas