Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




"Orgulhosamente sós"! e agora Portugal?

por Pedro Quartin Graça, em 28.12.12


DECRETO Nº 7.875, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012


Altera o Decreto nº 6.583, de 29 de setembro de 2008, que promulga o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.


A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, caput, inciso IV, da Constituição,


D E C R E T A :


Art. 1º
O Decreto nº 6.583, de 29 de setembro de 2008, passa a vigorar com as seguintes alterações:

 

"Art. 2º
...................................................................................
Parágrafo único. A implementação do Acordo obedecerá ao período de transição de 1o de janeiro de 2009 a 31 de dezembro de 2015, durante o qual coexistirão a norma ortográfica atualmente em vigor e a nova norma estabelecida." (NR)

 

Art. 2º
Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

 

Brasília, 27 de dezembro de 2012; 191º da Independência e 124º da República.

 

DILMA ROUSSEFF

 

Ruy Nunes Pinto Nogueira


Já é oficial: o Brasil adiou para 1 de janeiro de 2016 a aplicação obrigatória do novo acordo ortográfico, de acordo com o decreto publicado no "Diário Oficial da União".

E a pergunta a fazer por cá é a mesma do passado. E agora Portugal? Continuamos sempre "mais papistas do que o Papa?". Como justificar a aplicação de algo que não está, definitivamente, em vigor, e que a esmagadora maioria do Portugueses não quer, sequer, que venha a vigorar? Tanto, mas tanto, disparate fizeram que ficámos mesmo "orgulhosamente sós"!!!

publicado às 15:06


5 comentários

Imagem de perfil

De Pedro Quartin Graça a 28.12.2012 às 15:43

E eis como, de repente, ficámos "orgulhosamente sós"!!!Image
Sem imagem de perfil

De Lionheart a 28.12.2012 às 16:06

Agora fica um grande imbróglio. É evidente que se tem de voltar atrás. É no que dá dois analfabetos funcionais (Lula e Sócrates) armarem-se ao pingarelho com a língua portuguesa.
Sem imagem de perfil

De João a 28.12.2012 às 21:47

http://noticias.terra.com.br/educacao/nova-ortografia-nao-ha-motivo-para-adiamento-dizem-especialistas,8fe01ce3beddb310VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html
Sem imagem de perfil

De Duarte Meira a 28.12.2012 às 23:47


A "Presidenta" ?... A "Implementação"?...

Sobre a "presidenta", o Dicionário Priberam em linha tem uma ligação para as origens da entrada do termo na lusa linguagem, onde se lê:

« Refira-se ainda que Cândido de Figueiredo regista este vocábulo como neologismo (em 1913, pelo menos) e abona o seu verbete com uma referência à obra As Sabichonas, de António Feliciano de Castilho (1872), versão livre da comédia de Molière Les Femmes Savantes, onde a personagem Pancrácio se dirige várias vezes à personagem Teodora como "presidenta". »

Femme savante, a presidenta?...
Belas origens.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.12.2012 às 02:37

Na realidade a única coisa que aqui interessou, tal como em quase todas as outras actividades levadas a cabo por quem nos (des)governa, foi encher, um pouco mais, os bolsos a uns amigos que puderam editar umas publicações com o "novo acordo", criaram uns correctores de texto informáticos e outros que tais, que andaram a brincar às ferramentas linguísticas. Ao fim ao cabo foi isso que foi feito, não se iludam. E esse objectivo, o que nada tem a ver com a nossa nobre, antiga e linda Língua Portuguesa, foi conseguido, tudo o resto são problemas que somente apoquentam aqueles que ainda se preocupam com coisas sérias, não os pseudo governantes que vamos tendo!

Comentar post







Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas