Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Agressões do arco da velha

por João Pinto Bastos, em 18.01.13

Não sei se o ajuntamento de estudantes reunido em torno da Escola Secundária Alberto Sampaio investiu ou não contra o dispositivo policial presente no local. Não sei e, como qualquer cidadão atento e cuidadoso, aguardo por ulteriores esclarecimentos, devidamente elaborados, investigados e diligenciados por quem de direito. O que não posso aceitar, e não me venham com argumentos dissimulados, é que se utilize gás pimenta para a dispersão de um grupo de menores que se manifestava, com razão ou sem ela, em frente de uma escola. Mais: afirmar que a utilização deste meio visou obstar ao "uso de formas mais musculadas de intervenção” é uma zombaria da pior espécie. Entendamo-nos, o uso da violência, sobretudo quando é comandado pelo expoente máximo da violência politicamente organizada que é, como se sabe, o Estado, demanda princípios, padrões e limites éticos bem delineados. Sem eles, e ao arrepio deles, a arbitrariedade domina e, nessas circunstâncias, nem velhos nem jovens, nem grandes nem pequenos escapam à fúria dos medíocres inchados pelo poder da bastonada. Em suma, investiguem, averiguem, busquem o porquê, mas saibam de antemão que usar gás pimenta contra menores é um acto moral e politicamente reprovável. Como disse o Samuel, vivemos, de facto, tempos muito perigosos. A liberdade joga-se também aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:05


2 comentários

Imagem de perfil

De Maria Araújo a 18.01.2013 às 20:26


E logo de manhã cedo?
Acho estranho.
Mas que manda pode, quem pode manda.
Sem imagem de perfil

De P a 19.01.2013 às 09:37

Assisti a um concerto dos GNR em Quarteira nos anos 90, num daqueles complexos de diversões com água, em que um número considerável dos espectadores eram GNRs dos fardados com seus pastores alemães e METRALHADORAS, ( se não eram imitavam muito bem). Note-se que praí uns 90% dos outros espectadores eram adolescentes. Na mesma época, na Ilha de Tavira eram usuais as rusgas (*) também com grande número de militares com cães e novamente as METRALHADORAS . Numa dessas rusgas foi notícia no C.da M. (tinha de ser), a apreensão de droga na dita ilha - um puto italiano de QUINZE anos fora apanhado com uma pedrinha de haxixe.
    Que a mecânica das coisas me dê a santa paciência!
(*) Por vezes ás SEIS DA MANHÃ. Certamente em nome da defesa do turismo nacional.

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas