Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

publicado às 14:16


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Sérgio Pinto a 21.01.2013 às 19:00

2 perguntas, ambas muito simples:
1) Há quantos anos é que o Peter Schiff anda a prever hiperinflação mesmo ao virar da esquina?
2) Perante falhanços clamorosos e sucessivos nas previsões efectuadas, o que é que leva alguém a ainda ouvir tal personagem?
Imagem de perfil

De John Wolf a 21.01.2013 às 19:32

Boa tarde Sérgio Pinto,


O Peter Schiff, o Jim Rogers, o Marc Faber, o Mohamed El-Erian, entre outros como o Nouriel Roubini, há muito que avisam sobre os perigos da impressão de divisas e o eventual efeito que terá na inflação. A questão dos timings é delicada e traiçoeira, mas não impede que eventos extremos possam ser perspectivados. (Nassim Nicholas Taleb explica os fenómenos no seu livro "O Cisne Negro". Estamos já em ambiente inflacionário - aumento da base monetária, embora erradamente os media não entendam o seu significado. Inflação de Preços seguir-se-à Inflação de modo assimétrico. Há dez anos que me "posicionei" para o que está agora a acontecer. É curioso que o mainstream que ignorou e excomungou estes senhores, agora lhes conceda tempo de antena prime.
Na minha humilde opinião nenhuma visão deve ser descartada.
Obrigado.
Cordialmente,
John


PS 
Peter Schiff não se enganou na previsão que fez do descalabro do mercado imobiliário nos EUA...

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.







Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas


    subscrever feeds